Caja PDF

Comparta fácilmente sus documentos PDF con sus contactos, la web y las redes sociales.

Compartir un archivo PDF Gestor de archivos Caja de instrumento Buscar PDF Ayuda Contáctenos



Comércio 334 .pdf



Nombre del archivo original: Comércio 334.pdf

Este documento en formato PDF 1.5 fue generado por Adobe InDesign CS5.5 (7.5) / Adobe PDF Library 9.9, y fue enviado en caja-pdf.es el 07/04/2017 a las 03:49, desde la dirección IP 85.242.x.x. La página de descarga de documentos ha sido vista 1283 veces.
Tamaño del archivo: 9.8 MB (16 páginas).
Privacidad: archivo público




Descargar el documento PDF









Vista previa del documento


Preço: 0,01

Publicidade

Publicidade

Semanário | Sexta-Feira | 07 de Abril de 2017 | Ano X | N.º 334

Director: Fernando Borges

EM Risco de
Paralização!

PÁGs. 2 e 3

sociedade

Sociedade

entrevista

Desporto

Um cordão humano, ligando a sede dos
três agrupamentos escolares da Quinta
do Conde, exigiu a construção de uma
escola secundária na localidade.

Escola EB 2/3 Dr. António Augusto
Louro integra o projeto Erasmus+,
Open your mind, change your life”, do
qual é parceira juntamente com vários
Países Europeus.

Hugo Rodrigues, vice-presidente do
Seixal Clube 1925 e responsável pelo
departamento de futebol, dá a conhecer
a dinâmica do novo projecto do futebol
seixalense.

Realiza-se dia 9 de abril 6.º Prémio de Ciclismo Juvenil da Quinta do Conde, destinado aos escalões de benjamins, iniciados, infantis e juvenis, de ambos os sexos.

Pág. 5

Pág. 7

Pág. 12

Pág. 15

Publicidade

reportagem

CSS | 07 de Abril de 2017

2

Celino Cunha Vieira

editorial

Historicamente, remonta aos finais
do século XIV o primeiro serviço
de incêndios de Lisboa, mas só em
1820 surge na capital a Associação de
Bombeiros Voluntários, seguindo-se
depois muitas mais espalhadas pelo país.
Ainda há poucos anos, principalmente
nas localidades mais pequenas, os
Bombeiros Voluntários nada recebiam
pelo seu trabalho, sendo dispensados
pelas suas entidades patronais para
acudirem às emergências sempre que
tocava a sirene, saindo os carros que os
iam recolhendo antes de se dirigirem aos
locais de sinistro, aproveitando o tempo
do percurso para trocarem de roupa e
vestirem o fardamento dentro da própria
viatura.
Eram outros tempos e as exigências
de hoje nada têm a ver com um
passado que não tinha ao seu dispor os
meios sofisticados assentes nas novas
tecnologias que obrigam a uma formação
contínua e completamente diferente,
só possível com um elevado grau de
profissionalismo.
O Seixal, por exemplo, que há 50
anos tinha uma população ao redor de
30.000 habitantes, tem nos tempos que
correm cerca de 170.000. E se nessa
altura se compreendia e desejava uma
Corporação de Voluntários, hoje tem
necessidade de uma estrutura totalmente
profissionalizada e dependente da sua
Câmara Municipal, tal como muitos
outros Municípios já o entenderam e
puseram em prática.
Não chega dizer-se que se dá todo o
apoio às Associações Humanitárias e aos
seus Corpos de Bombeiros; é preciso de
uma vez por todas decidir o que é melhor
para a população e para o enquadramento
dos profissionais que prestam auxílio 24
horas por dia, 365 dias por ano.
O que se está a passar com a
Associação Humanitária de Bombeiros
Mistos do Concelho do Seixal veio
despoletar esta velha questão, pois se a
mesma estivesse integrada nos Serviços
Municipais, não estaria agora em risco de
ter de paralisar todas as suas actividades
por falta de meios financeiros para a sua
operacionalidade.
E não se culpem os Juízes ou os
Advogados por uma Justiça que para
garantir o pagamento a uma pessoa,
coloca em risco a subsistência de 90
famílias. Não são os juízes nem os
advogados que aprovam estas Leis: são
os senhores que nós elegemos para se
sentarem no hemiciclo da Assembleia da
República e que aprovam legislação sem
o mínimo de bom-senso. No fundo, a
culpa é de todos nós.

Associação Humanitá
Concelho do Seixal EM

entre as áreas de risco tanto florestais como como Voluntária pode subsistir.
urbanas, ficariam no futuro, com a criação
dessa força municipal, protegidas de uma
Quantas
pessoas
dependem
forma mais directa.
profissionalmente da Associação do
Seixal?
O voluntariado é muito bonito, mas
ainda existem Bombeiros Voluntários
Neste momento contamos com 90
noutros países?
funcionários, 70 são bombeiros preparados
para o socorro de emergência e os outros 20
Tanto em Espanha como em França, para os serviços de apoio, como secretaria,
que são os países mais próximos do nosso, comunicações, lavandaria, limpeza, etc.,
já têm forças profissionais que trabalham num total de 90 famílias que dependem
as 24 horas por dia e têm um regime da Associação.
de voluntariado da população que em
determinadas acções aparece para colaborar
As receitas que os serviços geram
com os profissionais, nomeadamente ao chegam para pagarem as despesas?
O Seixal, com uma caracterização fim-de-semana, prestando algum apoio
predominantemente urbana e uma voluntário, mas durante a semana são só os
população
superior
a
170.000 profissionais que asseguram a protecção.
habitantes mas contendo zonas
florestais e industriais, não necessitaria
Em relação ao Seixal, justifica-se
de ter uma Corporação totalmente haver duas Corporações de Bombeiros
profissional e dependente da Câmara Voluntários no mesmo Concelho?
Municipal?
As Corporações de Voluntários são
Esse é um dos desejos que temos como sempre admissíveis, o que elas fazem é que
objectivo para o futuro. Há anos que pode ser mais ou menos importante. Eu
pessoalmente apontamos que essa é de próprio disse em determinados momentos
facto a perspectiva que se deve seguir na que era preferível seguir para a perspectiva
área do Município na defesa da população. de Bombeiros Municipais do que criar mais
Só que isso implica para a Câmara Corpos de Bombeiros. Seria, em termos
encargos muito superiores àquilo que úteis na defesa das pessoas muito mais
neste momento concede em subsídios aos positivo. Não foi esse o rumo que as coisas
Bombeiros. Agora a população existente, levaram e surgiu uma nova Associação que
Através
do
Comunicado
da
Direcção da Associação Humanitária
de Bombeiros Mistos do Concelho do
Seixal, ficou a saber-se que por decisão
do Tribunal Judicial da Comarca de
Lisboa, Juízo do Trabalho do Barreiro,
foi estabelecido um Procedimento
Cautelar que teve como consequência
a indisponibilidade de movimento
das contas bancárias da Associação.
Enquanto o recurso decorre, fomos
ouvir o Presidente António Matos para
nos falar sobre outros aspectos não
menos importantes para o futuro da
Corporação.

Administração, Redacção
e Publicidade

Director: Fernando Borges - CP1608
Registo do título: 125282
Depósito Legal: N.º 267646/07
Contribuinte N.º 194 065 499
Propriedade e Editor: Ângela Rosa

Av. José António Rodrigues, n.º 45, 2º
2840 - 078 Aldeia de Paio Pires
Telm. 969 856 802
Telf. 210 991 683
comerciodoseixal@gmail.com
http://jornalcomerciodoseixalesesimbra.wordpress.com
Facebook: Comércio do Seixal e Sesimbra

Director Adjunto: Celino Cunha Vieira TE1218
Directora Comercial: Ângela Rosa
Paginação: Sofia Rosa
Desporto: Luis Pontes CO1039
Repórter: Fernando Soares Reis CP6261
Colaboradores: Adriana Marçal, Agostinho António Cunha,
Alvaro Giesta, ANIVET - Consultório Veterinário, Dário Codinha,
Fernando Fitas CP2760, Hugo Manuelito, José Henriques, José
Lourenço, João Araújo, Jorge Neves, José Mantas, José Sarmento,

Maria Vitória Afonso, Maria Susana Mexia, Mário Barradas, Miguel
Boieiro, Paulo Nascimento, Paulo Silva, Pinhal Dias, Rúben Lopes,
Rui Hélder Feio, Vitor Sarmento.
Impressão: Funchalense - Empresa Gráfica, S.A.
Tiragem: 15.000 exemplares
O «Comércio» não se responsabiliza nem pode ser responsabilizado pelos
artigos assinados pelos colaboradores. Todo o conteúdo dos mesmos é da
inteira responsabilidade dos respectivos autores.

CSS | 07 de Abril de 2017

3

ária de Bombeiros Mistos do
EM Risco de paralização
Não chega nem pouco mais ou menos.
Nós temos receitas próprias que podemos
facturar na ordem dos 400.000 mil euros
anuais, porque os serviços de socorro não
são facturáveis e por isso dependemos dos
subsídios que o Estado e principalmente
a Câmara Municipal nos concedem. Os
400.000 euros representam cerca de 20%
do valor do orçamento anual que é de
cerca de 2.000.000 de euros. Portanto,
necessitamos sempre do restante valor.
Já que o IMI incide sobre o
património e os Bombeiros são o
garante da preservação e defesa desses
bens, não deveria uma parte desse
imposto ser directamente canalizado
para as Associações?

que são os Bombeiros, não recebem nada.
Portanto era lógico que desse imposto
houvesse uma comparticipação.

DR

Sem o apoio financeiro da Câmara
Municipal seria possível manter a
Associação?
Não, não seria possível e tínhamos de
fechar a porta imediatamente porque
ninguém sustenta isto. Os associados são
cerca de 8.000 representando uma receita
à volta de 80.000 euros por ano. As contas
são o que são e isto representa uma gota
de água na nossa receita, mas é com muito
boa vontade que os associados contribuem
e nos ajudam como podem.

É um facto que só quando se precisa
dos Bombeiros é que nos lembramos que
Sim, seria uma medida bastante positiva. eles existem. O que pode a população do
Nós actuamos num incêndio urbano Concelho do Seixal fazer para ajudar a que prestem aos nossos bombeiros, o apoio
moral e o acompanhamento são muito
ou florestal sem qualquer perspectiva de Corporação neste difícil momento?
importantes. Entretanto e se as coisas
receitas e só temos despesas. Existindo
um valor patrimonial dos edifícios e dos
Para já gostava que a população ficasse se agudizarem, possivelmente vamos ter
terrenos em que o Estado cobra impostos esclarecida e tivesse a consciência de que de solicitar outro tipo de apoio, como o
aos proprietários, a única entidade que nenhum erro foi cometido por parte da financeiro. Neste momento nem sequer
trabalha e defende aquele património, Associação. Portanto, o apoio incondicional podemos adquirir combustíveis para
Publicidade

Comunicado aos Bombeiros, Trabalhadores da Associação
e População
Por decisão do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, Juízo do Trabalho do
Barreiro foi estabelecido um Procedimento Cautelar, em 17/03/2017, referente ao
Processo de que é requerente Carlos David Abreu Silva, remetido ao Banco de
Portugal e notificada a Associação de Arresto de Depósitos Bancários até ao saldo no
montante máximo de 262.025,17 Euros, mantendo-se todas as contas a partir de 30
de Março, indisponíveis. Independentemente de recurso desta decisão e do tempo
de reversão da mesma, a aplicação é imediata assim como as suas consequências, não
sendo permitidos quaisquer pagamentos de créditos ou movimentos bancários até
serem constituídos os valores referidos por decisão judicial.
Para além da injustiça desta decisão, que põe em causa o Socorro prestado pelo
Corpo de Bombeiros à População é um fato que pelas dificuldades financeiras que
vivemos é imprevisível conseguir nos tempos imediatos a reserva daquela verba à
ordem do Tribunal e do Processo, como é sentenciado.
Fica em causa a partir deste momento o Socorro a prestar pelo Corpo de Bombeiros
à População do Município perante o impedimento de aquisição de quaisquer bens,
incluindo o combustível, á sua operacionalidade.
Perante a irresponsabilidade desta decisão solicitamos a compreensão dos
Munícipes se nos tempos imediatos não for possível prestar o Socorro nas situações
de Emergência.
Ao Corpo de Bombeiros impõe-se serenidade e unidade para ultrapassar a difícil
situação que nos impõem, nos tempos imediatos, impeditiva de cumprimento das
suas missões de defesa de bens e vidas dos cidadãos.
Estamos convictos que a verdade e justiça prevaleçam.
Seixal, 30 de Março de 2017
A Direção
AHBMCS

as viaturas movimentando as contas
bancárias, tendo apenas como recurso
utilizar o dinheiro em caixa, mas que é
muito limitado. Mas como dizemos no
Comunicado, estamos convictos que a
verdade e a justiça vão prevalecer.

Cultura

CSS | 07 de Abril de 2017

4

o vozeiro

Histórias Associativas*(8)
Rui Hélder Feio

Cuidados a ter com o IRS
Pergunta: Que cuidados devo ter com
o IRS deste ano?
Resposta: Em 2017, quando qualquer
contribuinte abrir o Portal das Finanças
para preencher o IRS vão receber
uma mensagem a dizer que tudo está
preenchido e que tema receber ou a pagar
um determinado valor.
Se quiser aceite. Basta verificar que
os valores e despesas correspondem à
realidade. Nesse caso confirme e o IRS
considera-se entregue. Provavelmente até
irá receber o reembolso mais rápido.
Mas atenção, pode acontecer que esta
opção não se aplique ao seu caso.
Pode também acontecer que não aceite
os valores propostos. Se for esse o caso,
responda “Não” e preencherá o IRS como
sempre o tem feito até aqui.
Outra novidade é que este ano o prazo é
igual para todos. Deixa de haver primeira
fase e segunda fase. O prazo de entrega do
IRS em 2017 é único, entre 1 de abril e 31
de maio. Isto significa que não há agora
um prazo específico para contribuintes
com rendimentos das categorias A e H
(trabalhado dependente e pensões), e para
as restantes categorias.
Relativamente às faturas, se apercebeu que
as faturas correspondentes às taxas moderadoras, hospitais e centros de saúde, seguros
de saúde, escolas, rendas e juros do banco,
etc. não constam no portal do e-faturas, Não
se preocupe pois aparecem mais tarde na página “Deduções à coleta”. Se as que faltam
não estiverem aí é que deve preocupar-se mas
não tanto, isto porque quando preencher o
Modelo 3 do IRS vai poder inserir os valores
que considerar corretos.
Este ano vai ser corrigida uma injustiça
para muitos pais divorciados. Quando
tinham guarda conjunta, as Finanças só
davam direito à dedução específica por
filho a quem tinha a criança na mesma
morada fiscal do sujeito passivo, mesmo
que a criança passasse 15 dias na casa
de cada um dos pais. Este ano isso foi
corrigido. Cada filho dá direito a 600 €
de dedução automática – 300 € para cada
um.
Escolha os serviços de um profissional,
contacte o Solicitador.
Envie a sua questão para duvidas@ruifeio.pt

PIDE procurava intervir
na vida das colectividades
Expressando uma profunda mágoa por
haver verificado que alguns dos antigos
livros de actas da colectividade levaram
sumiço, por “manifesta ignorância de algumas pessoas que passaram pelos corpos
gerentes”, Emílio Rebelo acha que com tal
desaparecimento desapareceu também uma
parte importante da história oficial da agremiação.
“Mas” sublinha, “ o que sucedeu aqui,
não é caso virgem, pois, constata-se que o
mesmo ocorreu um pouco em todas as outras associações do concelho.” E adianta:
“ sem essa documentação difícil se torna
avaliar o funcionamento das colectividades
há 40 ou 50 anos e a sua evolução até aos
nossos dias. Salvou-se o livro de ouro, o
qual se encontra assinado por um vasto
leque de personalidades que por aqui passaram. Entre elas Fernando Namora e João
de Freitas Branco, a par de todas as outras
que já mencionadas.”
A sua prodigiosa memória retém ainda
as dificuldades que, volta não volta, se levantavam à constituição do elenco directivo, sempre que as autoridades de então

vetavam, (geralmente por razões de ordem
política), o nome de algum dos elementos.
“Esses contratempos aconteciam,” conta,
“porque nessa época, havia a obrigatoriedade de enviar a lista dos corpos gerentes
para a Câmara, Governo Civil e até para
o Ministério da Educação Nacional, entidades que, depois de emitirem o respectivo
parecer, a remetiam à PIDE para decisão
final.
Numa dessas ocasiões,” relembra, “ fui
com o Tenente José Magro, ao tempo presidente da câmara, à sede da aludida polícia
saber dos fundamentos que tinham estado
na génese do veto atribuído a um dos nomes
constantes da lista. Por sinal, um dos meus
companheiros da orquestra, situação que
fez aumentar a nossa estranheza.
Tal estranheza era tanto maior, quanto
era certo que se tratava de uma pessoa a
quem, ninguém, de entre nós, tinha nada a
apontar. Soubemos mais tarde que o motivo pelo qual o pretendiam cortar, prendiase com o facto de haver feito uma doação
de vinte escudos, para a campanha lançada
pelo Jornal ‘República’ para aquisição de
uma rotativa. Uma intromissão na vida associativa que hoje,” afirma, “dificilmente
se poderia tolerar.”
De muitos outros episódios se compõe a
história dessa intromissão, o mais frequente
dos quais era o de prestar esclarecimentos
sobre este ou aquele nome apresentado.
“Uma das pessoas sobre quem a PIDE
nos pediu elementos, foi o pai do Dr. Carlos Ribeiro, ex-bastonário da ordem dos
médicos.” Afirma com uma indisfarçável

Fernando
Fitas

ironia.
Estórias que passaram à margem da
história oficial da colectividade mas através
das quais se cimentou o forte espírito associativo que permitiu outras e ousadas iniciativas.
Das que ainda lhe acodem à memória,
retém, para além dos “Aranhas”, a da criação de uma orquestra de harmónicas, nos
anos cinquenta, agrupamento que após
alguns anos de actividade se extinguiria
pouco tempo depois da sua saída.
“Chamava-se os ‘Timbrófilos’ e era constituído por tocadores de gaita-de-beiços,
cavaquinho, viola e ferrinhos. Chegou
mesmo a actuar na rádio.” Sublinha.
Fotos: Artur Marques (Atchixa)
*Excertos de “Histórias AssociativasMemórias
Da Nossa Memória – 1º Volume As Filarmónicas”.
Edição Câmara Municipal do
Seixal.-2001.

Rostos do Seixal

Nelson Cruz (1949)
Filho de um projecionista de cinema, o gosto
pelo cinema e fotografia começou ainda na
adolescência, começando a frequentar as cabines de projeção e a projetar filmes no ecrã
das salas de cinema onde o pai trabalhava,
sendo descoberto por um elemento da Inspecção Geral de Espetáculos quando projectava o filme El Cid no Cinema São Vicente,
na Aldeia de Paio Pires.
Nasceu no prédio onde ainda hoje vive, entre
a Praça da República e a Rua 5 de Outubro,
no Centro Histórico do Seixal.
Todas as técnica de cinema e fotografia eram
utilizadas até à exaustão, não existindo ainda
escolas de imagem, sendo no exército, com
19 anos, que obteve as primeiras aulas sobre
essas técnicas, fotografia e cinema, tornando-se fotocine. Compra a sua primeira câmara

de filmar, uma Canon de 8 mm sonora,
com duas lentes intermutáveis, encomendada na Alemanha e é com este equipamento
e com o do exército, que é destacado para
o norte de Angola, filmando operações de
combate e não só, durante 42 meses. Passando à disponibilidade, vai trabalhar para
uma multinacional em Moçambique, ligada
ao turismo e à navegação aérea e marítima,
continuando com as filmagens e reportagens fotográficas.
De regresso a Portugal em 1976, integra
como freelancer uma produtora de televisão, iniciando uma intensa actividade nesta
área como operador de câmara, passando a
colaborar com outras produtoras.
No mesmo ano é convidado a integrar os
quadros da Câmara Municipal do Seixal.

Mário Barradas

Integra a equipa do Boletim Municipal, na
altura só três elementos, fazendo todas as
reportagens fotográficas e mais tarde com a
aquisição de equipamento de produção de
vídeo, inicia a recolha de imagens das iniciativas autárquicas, continuando a colaborar
com jornais locais e nacionais na fotografia.
Permanece nestas funções até à aposentação
em 2012, colaborando como freelancer em
produtoras de televisão sempre que solicitado e como fotógrafo, colabora com alguma
imprensa.
São mais de 50 anos de experiência, onde
passou do suporte químico, ao registo magnético, e agora ao digital, suportes que permitem ter um acervo da sua terra, que adora
fotografar.

sociedade

CSS | 07 de Abril de 2017

5

Cordão humano exigiu construção
de escola secundária na Quinta do Conde

Um cordão humano, ligando a sede dos três agrupamentos escolares da Quinta do Conde, exigiu a construção de uma escola secundária na localidade.

DR

A iniciativa realizada na manhã de 30 de
Março, reuniu alunos, professores, encarregados
de educação, autarcas da freguesia e do
Concelho de Sesimbra, representantes de várias
estruturas associativas de pais e encarregados
de educação, instituições da freguesia e forças
políticas com assento parlamentar, culminando
numa concentração no agrupamento de escola
Michel Giacometti.
A aludida acção reivindicativa, promovida
pelas associações de pais da localidade, Junta de
Freguesia e Câmara Municipal de Sesimbra, visou
Publicidade

sensibilizar o Governo para a urgente necessidade
da construção de um estabelecimento de ensino
secundário na Freguesia e a consequente adopção
da recomendação aprovada, sem nenhum voto
contra, pela Assembleia da República em 2016,
tendente à concretização do citado equipamento
escolar.
No decurso da referida concentração Ana
Vicente, representa das associações de pais e
encarregados de educação da Quinta do Conde,
sublinhou que o objectivo da manifestação teve
como intuito a concretização deste legítimo

e justo anseio da comunidade local, ante as
dificuldades que diariamente a afecta, “quer
em temos económicos, quer no que se reporta
ao aproveitamento escolar dos nossos filhos,
obrigados a ter de se deslocar para outros
concelhos em resultado da falta de escola que
responda ao crescente aumento populacional da
Freguesia”.
Para Vítor, Antunes, presidente da autarquia
quintacondense, “é estranho que o Governo
ignore a decisão da Assembleia da República
nesta matéria, procurando adiar a resolução de
um problema que se arrasta há muito tempo, sob
o argumento de que são necessário mais estudos,
para além de todos os que já foram efectuados.
Trata-se,” disse, “de uma manobra que pretende,
objectivamente, protelar uma decisão que urge
há demasiados anos.”
Segundo ainda com o autarca, “os
constrangimentos financeiros que tal adiamento
provoca nas famílias e os custos sociais que
decorrem dessa desculpa, prejudicam gravemente
a comunidade e em especial a juventude. Por isso,
conclui: “É em nome dos jovens e do seu futuro,
que exigimos a rápida realização da obra, para a
qual a Câmara Municipal já em devido tempo
cedeu gratuitamente o respectivo terreno.”
De acordo com Felícia Costa, Vicepresidente da Câmara Municipal de Sesimbra,
“o protelamento da decisão é incompreensível,
posto que já em 2002, quando do processo de
aprovação da Carta Escolar do Concelho, o
Ministério de Educação reconhecia a necessidade
de um estabelecimento de ensino secundário
nesta Freguesia, uma das localidade que a

nível nacional, maior crescimento demográfico
registou nas últimas décadas, e cujo inicio da
obra chegou a estar previsto para 2008.”
No entender da edil sesimbrense, “a Câmara
Municipal respeitou todos os compromissos que
então assumira, mas os diversos governos que
têm gerido o país, não honraram os seus. Um
deles, é a construção de um estabelecimento de
ensino secundário na localidade.”
Na opinião de Felícia Costa “não se pretende
uma escola megalómana e sumptuosa, como
outras que foram construídas neste país, em
lugares onde não existe população e hoje se
encontram quase abandonadas devido à falta de
alunos. O que preside a esta reivindicação desde
a primeira hora, é o futuro desta terra e dos filhos
de quem nela habita. Logo, o que nos move é
forçar os responsáveis governamentais a olharem
para ela com o olhar que lhe é devido.”
foto: Vitor Antunes

Terreno cedido pela Câmara para a
construção da Escola.

Sociedade

CSS | 07 de Abril de 2017

6

Publicidade

«A saque»:
a “Revolta
da Batata” no Seixal
Rubén
Lopes

Em 1917, em plena I Guerra Mundial,
as condições de vida em Portugal
agravavam-se, com o racionamento de
alimentos e a subida de preços. O desespero
das classes pobres perante esta situação
levou à “Revolta da Batata”, que ocorreu
em Maio desse ano – desencadeada pela
subida dos preços da batata – e que se
se manifestou sob uma onda de greves,
roubos e assaltos, tendo tal situação que se iniciara em Lisboa - se alastrado
também ao concelho do Seixal.

dia seguinte, 21, eclodia em Lisboa uma
série de assaltos e roubos, sendo que estes
se alastraram também nos concelhos
circundantes da capital. O concelho do
Seixal, segundo o Administrador do
Concelho, António Monteiro Andrade,
tinha estado “a saque”. O mesmo
Administrador queixou-se ao Governador
Civil que um regedor no concelho, de
nome Jerónimo Teixeira, desobedecera às
suas ordens no dia da revolta, além de o
ter gravemente insultado, pedindo como
consequência a demissão do mesmo –
possivelmente, o regedor teria simpatia
pelo lado dos revoltosos. Para evitar
mais desacatos, uma força de militares
da GNR foi enviada do Barreiro para
forçar o estado de sítio declarado pelo
governo, sendo que seria proibida nos
dias seguintes a presença de civis nas ruas
durante a noite, após as 21:00 horas, sob a
pena de prisão por desobediência. Apesar
disso, os desacatos seguiram-se, pois por
exemplo, na madrugada de 4 de Junho
seguinte, 4 indivíduos terão roubado
de um propriedade local um porção de
batatas sob a importância de 20 escudos.
No total, 34 indivíduos foram presos nas
cadeias do concelho, por acusação de
terem participado nos acontecimentos do
dia 21 de Maio.

Segundo opinião do jornal local da
época - «A Voz D´Amora» -, em finais
de 1916 a situação do pão em venda no
nosso concelho era tão má (o preço era
mais alto e a sua qualidade era má) que
muitos habitantes iam comprar este ao
concelho vizinho de Almada ou mesmo
a Lisboa. Em 20 e 21 de Março de 1917,
houve desacatos no concelho devido a
esta situação, sendo que no Nº17 do
mesmo jornal (25 de Março de 1917), este
publicava uma entrevista a Alfredo dos Reis
Silveira, Presidente da Câmara Municipal
do Seixal, tendo este afirmado ter enviado
telegramas a pedir ao Governador Civil
de Lisboa para adquirir autorização
para apreender cereais de várias quintas
e estabelecimentos do concelho – uma
reivindicação dos populares do concelho
A «Revolta da Batata» foi um evento
- , tendo o Governador não autorizado tal
que fez parte do descontentamento
acção por parte da Câmara.
geral que contribuiu para a queda do 3º
No dia 20 de Maio (Nº22), «A Voz Governo de Afonso Costa, que aconteceria
D´Amora» afirmava ter “acabado o pão” e com o golpe de 5 de Dezembro de 1917,
acusava as autoridades municipais de falta que levaria à ditadura de 1 ano de Sidónio
de competência na sua fiscalização contra Pais.
“a ganancia escandalosa dos moleiros”. No

COINCIDÊNCIAS!...
Em 2-02-2017 ao assistir ao telejornal
das 20,00 horas, na RTP1, despertoume a curiosidade quando aquele canal
transmitiu uma pequena reportagem do
funeral dum cidadão (que de momento
não me lembro o nome), natural da GuinéBissau, no cemitério de Bissau.
A minha curiosidade avivou-se mais
quando a filmagem mostrou o portão do
cemitério que eu tão bem conheço. Fezme “recuar” no tempo até à década de 60,
quando por ali passei entre 1964 e 1968.
Foi com alguma nostalgia que recordei
esse período, porque não foi fácil, no
aspeto familiar, o que eu e a minha esposa
passámos durante esses anos…
Esta reportagem fez-me recordar o
que escrevi em 7-5-2010 e em 16-5-2014
num jornal semanário, dos concelhos do
Seixal e Sesimbra.
Nessas edições que mencionei, a certa
altura dizia o seguinte:” …em Agosto de
1964 fui para a Guiné (Bissau) e um dia,
numa das minhas deambulações sozinho
pela cidade, resolvi passar em frente ao
portão principal do cemitério de Bissau
e pareceu-me que ouvi uma voz dizer:

José
Mantas

“camarada, estou aqui!...”
Patetice minha, digo eu agora, ou
um pressentimento? talvez! Resolvi entrar.
Uma das campas viradas para o portão,
a pouca distância, reparei que era a campa
de um marujo, pela fotografia, fardado de
branco que tinha á cabeceira.
Fui-me aproximando lentamente,
sem saber de quem se tratava e verifiquei,
sem qualquer dúvida, que era o Maia que
tinha estado embarcado comigo e que eu
nunca mais tinha sabido o seu paradeiro.
Não sei qual foi a reação da cor da pele
da minha cara, ao ver de quem se tratava,
mas ela devia ter mudado de cor várias
vezes e uma lágrima atrevida escorreume pela face. Ainda hoje me arrepio desse
momento…” Fim de citação.”
Amigos leitores, penso que lhe
transmiti, através das linhas que acabei
de escrever, como um simples telejornal,
transmitido no ano de 2017, teve um
efeito tão profundo no meu espirito e
me fez “recuar” estas décadas da minha
existência.
A vida por vezes reserva-nos estas
surpresas e coincidências!...

Edital nº 31/17/DAU
Avisam-se os familiares dos falecidos abaixo mencionados que, no prazo de 30 (Trinta) dias, deverão dirigir-se ao Balção Único de Serviço, nos Paços de Concelho, Rua
da república nº 3 Sesimbra, a fim de resolverem quanto à data em que terão lugar as
respetivas exumações a efetuar no cemitério da Aiana e sobre o destino das ossadas.












































Joaquim Manuel Soares Gonçalves
Amadeu Marques Rodrigues
Alice Cortesão Marta de Carvalho
Manuel Costa Marques
António da Costa Pinhal Caiado
Laurinda da Piedade Viana dos Santos
Argentina Ferraria Coelho
Júlia Pereira Rodrigues Pinhal
Carlos da Silva Branco
Palmira Maria Domingos
Gertrudes Ribeiro Rodrigues Manta Campos
Delmina Marques Pereira
Gregório Duarte Dionísio
Carlos Alberto Monteiro de Jesus
Vitor Hugo Mendes Baltazar
Irene Neto D´Assunção Bernardo
Manuel da Costa Gaboleiro Marques
Maria de Lurdes Pereira de Rodrigues Merca
Afonso Gomes Marques
Armando da Silva
Maria Rita da Fonseca
Silvério Dias Pinhal Patrício
Fernando Manuel de Oliveira Garrudo
Ana Vieira da Silva Cristão
Irene da Conceição Rodrigues
Luís Miguel Pereira
Maria Gertrudes de Matos
Amélia Ferreira Proença Churro
João Rodrigues Cidade Santos
António Luiza de Almeida Gonçalves
Maria João da Silva Pinhal
Albano da Silva Abrantes
Senhorinha Coelho Jacinto
Vasco Gonçalves Marques Maravilhas
Salvador da Mata Dias
Luísa Michel Serra Gama Coutinho da Silva
Natalino das Neves Martelo
João Conde
João Gomes Rafael
Alvara Lobo Garcia Silva
Manuel Pinhal Ventura
Esmeralda Correia da Silva
Cesaltina Pinhal da Costa Gregório

Findo este prazo sem que os interessados promovam qualquer diligência, serão feitas
as exumações, considerando-se abandonadas as ossadas existentes, de acordo com
o estabelecido no nº3 e 4 do art. 29º do Regulamento dos Cemitérios Municipais do
Concelho de Sesimbra em vigor. Mais se informa, que 8 dias após o levantamento da
ossada, as cantarias que se encontrarem no cemitério ficarão em posse da Câmara.
Sesimbra, 09 de Março de 2017
O Vereador do Pelouro
José Polido, Dr.

Sociedade

CSS | 07 de Abril de 2017

Escola EB 2/3 Dr. António Augusto Louro

7

Participação na vida europeia
com o Projeto Erasmus+ “Open
your mind, change your life”
Ao longo do biénio 2016-2018, a Escola
EB 2/3 Dr. António Augusto Louro
integra o projeto Erasmus+, Open your
mind, change your life”, do qual é parceira
juntamente com Alemanha, Croácia,
Grécia e Polónia. Este projeto abrange
alunos entre os doze e os dezasseis anos e
tem como objetivos principais a prevenção

Publicidade

do abandono escolar, o aperfeiçoamento
das competências essenciais (comunicação
em língua materna e línguas estrangeiras,
competências cívicas e empreendedorismo,
competências TIC) e a promoção
do sucesso em áreas fundamentais,
nomeadamente a Ciência, a Matemática e
o Inglês. Na semana de 3 a 7 de outubro

de 2016, a Escola EB 2/3 Dr. António
Augusto Louro recebeu os parceiros no
que foi o primeiro encontro transnacional,
preparatório da implementação de todas
as atividades a levar a cabo, assim como
das mobilidades com professores e alunos,
para além de visitas aos locais mais
representativos do património cultural da
nossa região.
De acordo com a calendarização
prevista, professores e alunos do 9º ano
integraram a primeira visita de estudo à
escola Realschule Heepen em Bielefeld,
Alemanha, que decorreu entre os dias 11
e 17 do passado mês de dezembro, sob o
tópico“ A sound mind in a sound body”.
A equipa portuguesa
participou ativamente em
todas as atividades, tendo
apresentado o nosso país
e dinamizado workshops
subordinados ao tema
“Europass
and
the
movement on the labour
market”.
Esta atividade de
en si no/aprend i z a gem
permitiu aos alunos
participantes,
o

desenvolvimento da autoconfiança, da
socialização e da criatividade, para além da
criação de laços de amizade internacionais
e noção do significado de Integração
Europeia.

publicidade

CSS | 07 de Abril de 2017

8

------------------------------- Cartório Notarial de Lisboa --------------------------------------------------------Notária: Raquel Salgueiro Palma Dorotêa ----------------------------Certifico, para fins de publicação, que por escritura lavrada neste Cartório no dia vinte
e quatro de Fevereiro de dois mil e dezassete, a folhas quarenta e nove do livro de
notas para escrituras diversas número quatrocentos e vinte e dois –A, Rodrigo Salema
de Sande e Lemos, NIF 186.004.540, casado com Teresa Isabel de Lima Pimentel
Almiro do Vale de Sande e Lemos, no regime da separação de bens, residente na
Rua de São Bernardo, n.º 34, 3.º E, em Lisboa; José Pizarro de Sande e Lemos, NIF
200.737.449, casado com Ana Alexandra Antunes Ferreira dos Santos no regime da
separação de bens, residente na Rua Garcia de Orta, n.º 41 R/C Esq.º, em Lisboa;
Maria da Piedade Pizarro de Sande e Lemos Azcue, NIF 153.198.486, e marido
José Maurício Penna Azcue, NIF 221.641.874, casados na comunhão de adquiridos,
residentes na Rua dos Cravos, n.º 242, em Cascais; Maria da Piedade de Sande e
Lemos Ramos Ascensão Costa, NIF 210.028.440, natural da freguesia de São Jorge
de Arroios, concelho de Lisboa, e marido Ronaldo José da Costa, NIF 211.112.470,
natural do Brasil, de nacionalidade brasileira, casados no regime da comunhão de
adquiridos, residentes na Alameda Campinas, n.º 541, Apartamento 92, São Paulo,
Brasil; Maria Teresa Sande e Lemos Ramos Ascensão Terreri, NIF 210.028.432,
e marido António Sérgio de Almeida Prado Terreri, NIF 263.933.954, casados no
regime da comunhão de adquiridos, residentes na Rua Ipê, n.º 112, apartamento 111,
São Paulo, Brasil; Maria da Conceição Pizarro de Sande e Lemos da Cunha e Sá,
NIF 170.022.528, e marido Manuel João Ejarque da Cunha e Sá, NIF 158.292.782,
casados no regime da comunhão de adquiridos, residentes na Rua Embaixador
Teixeira Sampaio, n.º 3, 3.º F, em Lisboa; Maria da Conceição Machado Pizarro de
Sampaio e Melo de Sande e Lemos, NIF107.875.144, viúva, residente na Avenida
Duque D`Avila, n.º 72, 4.,º em Lisboa; João Miguel Pizarro de Sande e Lemos, NIF
177.773.863, casado com Ana Maria Louro de Aragão Teixeira de Sande e Lemos, no
regime da separação de bens, residente na Praça José Fontana, n.º 26, 3.º, em Lisboa;
José Pedro de Sande e Lemos Ramos Ascensão, NIF 198.801.874, casado com Maria
Inácia Fernandes Homem de Lucena Ramos Ascensão, NIF 186.969.309, no regime da
separação de bens, residente na Rua de São Domingos à Lapa, n.º 111, 2.º, em Lisboa
e a sociedade comercial por quotas denominada, Surpora – Sociedade Urbanizadora
do Paço da Amora, Lda, NIPC 501.102.361, matriculada na Conservatória do Registo
Comercial de Évora, sob este mesmo número, com o capital social de cinco mil euros,
com sede na Rua Infante D. Augusto, n.ºs 162 B/164, Cruz de Pau, Amora, Seixal.-------------------------------------------------------------------------------------------------DISSERAM: Que, com exclusão de outrem, se declaram a si e aos seus representados,
donos e legítimos possuidores, na proporção de um/quinto, em comum e sem
determinação de parte ou direito para s primeiro outorgantes identificados de 1 a
4 e de quatro/quintos para a sociedade identificada em 5., do prédio misto, a parte
rústica com a área de duzentos e onze mil e quatrocentos metros quadrados e a parte
urbana com a área de quarenta e um vírgula sessenta metros quadrados , situado
na Quinta de Cheiraventos de Baixo ou Quinta de Baixo – Cheiraventos, Quinta
do Paço dos Lobatos, Logradouro do Palácio e Praça Quinta da Vinha da Estrada,
freguesia de Amora, concelho do Seixal, descrito na Conservatória do Registo Predial
de Amora, sob o número QUATRO MIL SETECENTOS E QUARENTA E NOVE,
da freguesia da Amora, inscrito na respectiva matriz a parte rústica sob o rústico 3
secção X (que proveio do artigo 120), com o valor patrimonial de 2.318,48€ e a parte
urbana sob o artigo 397, com o valor patrimonial de 30.644,33€, a que atribuem igual
valor.---------------------------------------------------------------------------------------------Que o referido prédio está registado a favor de Manuel Aboim Ascenção de Sande
e Lemos, residente na Rua Aboim Ascenção, n.º 1, em Lisboa e de José Aboim
Ascenção de Sande e Lemos, residente na Rua Aboim Ascenção, n.º 7, em Lisboa, pela
apresentação um de vinte e três de Setembro de mil novecentos e noventa e quatro, por
sucessão da hereditária de José Sande de Lemos casado com Maria Aboim Ascenção
Sande de Lemos.--------------------------------------------------------------------------------Que, por volta do ano de mil novecentos e quarenta e sete, por contrato verbal de
partilha, não reduzido a escrito, da herança aberta por óbito de seus pais, José Sande de
Lemos e mulher Maria Aboim Ascenção Sande e Lemos ou Maria da Piedade Aboim
Ascenção Lemos, casados no regime da comunhão geral de bens, os seus únicos
filhos José Aboim Ascenção de Sande e Lemos e mulher Olga Gonçalves de Matos e
Almeida de Sande e Lemos, casados no regime da comunhão geral e Manuel Aboim
Ascenção de Sande e Lemos casado com Maria da Piedade Lamas de Aboim Ascensão
dos Santos e Lemos, no regime da separação de bens, partilharam o dito imóvel,
ficando a pertencer metade a cada um para José Aboim Ascenção de Sande e Lemos
e Manuel Aboim Ascenção de Sande e Lemos.---------------------------------------------Que por escritura outorgada em dois de Setembro de mil novecentos e quarenta e
oito, lavrada a folhas cem das notas do Cartório Notarial de Lisboa do Notário José
Saudade e Silva, os referidos José Aboim Ascensão de Sande e Lemos e mulher,
Olga Gonçalves de Matos e Almeida de Sande e Lemos venderam a Manuel Aboim
Ascensão de Sande e Lemos a metade que lhes pertencia no dito imóvel, pelo que
este último ficou proprietário da totalidade do referido imóvel. Que em face da acima
identificada escritura de compra e venda, e sendo o dito Manuel Aboim Ascensão de
Sande e Lemos o único proprietário, veio depois a constituir, por escritura outorgada
em catorze de Julho de mil novecentos e oitenta, a folhas cinquenta e oito verso do livro
duzentos e sessenta e seis das notas do Cartório Notarial de Viana do Alentejo uma
sociedade comercial por quotas denominada Surpora – Sociedade Urbanizadora do
Paço da Amora, Lda, subscrevendo a sua quota com uma entrada em espécie de quatro/
quintos do imóvel.-----------------------------------------------------------------------------Que os identificados José Aboim Ascensão de Sande Lemos e mulher Olga Gonçalves

de Matos e Almeida de Sande ILmos, casados no regime da comunhão geral e Manuel
Aboim Ascenção de Sande Lemos e sua mulher Maria da Piedade Lamas de Aboim
Ascensão dos Santos Lemos são todos já falecidos.---------------------------------------Que, no dia dezasseis de Maio de dois mil e um, faleceu Manuel Aboim Ascensão
de Sande Lemos, tendo deixado como seus únicos herdeiros, os seus filhos, Rodrigo
Aboim Ascensão de Sande e Lemos, casado no regime da comunhão de adquiridos
com Maria da Conceição Machado Pizarro de Sampayo e Melo de Sande e Lemos,
Maria da Piedade Lamas de Aboim Ascensão de Sande e Lemos Ramos Ascensão
casada com António de Oliveira Ramos de Ascensão, no regime da comunhão geral,
e o seu neto, Rodrigo Salema de Sande e Lemos, o primeiro outorgante, identificado
em 1.. Que o falecido deixou vários testamentos, tudo conforme consta da escritura
de habilitação de herdeiros lavrada a folhas oitenta e oito do livro seiscentos e oitenta
B, das notas do Quarto Cartório Notarial de Lisboa.-------------------------------------Que, no dia oito de Dezembro de dois mil e três, faleceu Maria da Piedade Lamas
de Aboim Ascensão de Sande e Lemos Ramos Ascensão, tendo deixado como seus
únicos herdeiros, o conjugue sobrevivo, António de Oliveira Ramos Ascensão e os
seus filhos, Maria da Piedade de Sande e Lemos Ramos Ascensão Costa, Maria Teresa
de Sande e Lemos Ascensão Terreri, José Pedro de Sande e Lemos Ramos Ascensão,
tudo conforme escritura de habilitação de herdeiros lavrada a folhas quarenta do
livro quatrocentos e noventa e dois-D, do Décimo primeiro Cartório Notarial de
Lisboa.-----------------------------------------------------------------------------------------Que no dia seis de Fevereiro de dois mil e seis veio depois a falecer António de
Oliveira Ramos Ascensão, tendo deixado como seus únicos herdeiros, o já referidos
filhos, Maria da Piedade de Sande e Lemos Ramos Ascensão Costa, Maria Teresa
de Sande e Lemos Ramos Ascensão Terreri, José Pedro de Sande e Lemos Ramos
Ascensão, tudo conforme escritura de habilitação de herdeiros lavrada a folhas cento
e trinta e três do livro nove-A, do Cartório Notarial de Lisboa de Carlos Henrique
Ribeiro Melon.--------------------------------------------------------------------------------Que no dia quatro de Outubro de dois mil e seis faleceu Rodrigo Aboim Ascensão de
Sande e Lemos, tendo deixado como seus únicos herdeiros, o conjugue sobrevivo,
Maria da Conceição Machado Pizarro de Sampaio e Melo de Sande e Lemos e os
seus filhos, José Pizarro de Sande e Lemos, Maria da Conceição Pizarro de Sande e
Lemos da Cunha e Sá, João Pizarro de Sande e Lemos, Maria da Piedade Pizarro de
Sande e Lemos Azcue, tudo conforme escritura de habilitação de herdeiros lavrada a
folhas setenta e seis do livro trinta e um A, do Cartório Notarial de Lisboa de Carlos
Henrique Ribeiro Melon.---------------------------------------------------------------------Que, em consequência das identificadas transmissões, os primeiros outorgantes,
na proporção de um/quinto, em comum e sem determinação de parte ou direito
para os primeiros outorgantes identificados de 1. a 4. e na proporção de quatro/
quintos para sociedade identificada em 5, Surpora, Lda, têm a posse do referido
prédio, têm, portanto, há mais de vinte anos, a posse e fruição do mencionado
prédio, explorando-o, limpando-o, pagando as respectivas despesas de manutenção,
impostos, posse que tem sido exercida sem interrupção, de forma ostensiva, à vista
de toda a gente, e sem violência ou oposição de quem quer que seja, pelo que, se
trata de uma posse pacífica, contínua, pública e de boa fé durante aquele período
de tempo, de forma correspondente ao exercício do direito de propriedade.---------Que, assim, a posse pública, pacífica, contínua e em nome próprio, do citado imóvel,
conduziu à sua aquisição por usucapião, que invocam para justificar o seu direito
de propriedade para fins de registo.---------------------------------------------------------Que o titular inscrito José Aboim Ascensão de Sande e Lemos, ou os seus
herdeiros, foram previamente notificados, nos termos do artigo 99.º do Código do
Notariado, sem que alguém se haja arrogado de qualquer direito sobre o identificado
prédio.------------------------------------------------------------------------------------------Nestes termos, e não tendo qualquer outra possibilidade de levar o direito a registo
vêm justificá-lo nos termos legais, estabelecendo assim o reatamento do trato
sucessivo. --------------------------------------------------------------------------------------de Caparica. ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------ESTÁ CONFORME O ORIGINAL.---------------------------------------------Lisboa, vinte e quatro de Fevereiro de dois mil e dezassete. -------------------------------------------------------ANotária,--------------------------------------------------(Raquel Salgueiro Palma Dorotêa)
Conferida e registada sob o n.º 491

PubliReportagem

CSS | 07 de Abril de 2017

9

Restaurante Gin Bar “Primeiro Pecado”
Este espaço, com uma capacidade para
cerca de 70 pessoas sentadas, foi decorado
pela Eurodome-Portugal e contou com a
inspiração da Ronnie e do Henrique que
fizeram um excelente trabalho no geral
e em particular nalguns pormenores que
dão um toque especial muito agradável,
separando o bar da sala principal e assim
É desta maneira que os novos criando ambientes distintos e confortáveis.
proprietários do “Primeiro Pecado”
Quem hoje visita o “Primeiro Pecado”
querem receber os clientes e amigos
para lhes proporcionar uma agradável não imagina que ali nasceu há mais de
refeição ou simplesmente um momento 70 anos uma taberna que depois veio a
de relaxe frente a uma bebida nacional ou ser melhorada, mudando de proprietários
estrangeira, a um café ou a um cocktail e designação, vindo a chamar-se Adega
Minhota, Adega do Ti Luis, Adega do
preparado com todo o rigor.
Francês, Restaurante Os Três Marques,
Restaurante Sabores (gastronomia sueca)
e hoje, com gerência dos irmãos Sandra e
Tiago Fernandes e do Chef Zhivko Slavov,
de origem búlgara mas há já alguns anos
em Portugal, juntaram a experiência de
Com um horário flexível e encerrando
cada um para dar corpo a este projecto à segunda-feira, os almoços são servidos
incentivado e apadrinhado por Jorge entre as 12 e as 16 horas, reabrindo às
Fernandes.
19 horas e só fechando cerca das 2 horas
da manhã, permitindo assim jantares
até às 23 horas e a partir daí snacks e
refeições ligeiras no bar, constituindo uma
excelente oportunidade para quem a horas
tardias pretende aconchegar o estômago e
sossegar o espírito.
Com a presença de inúmeros
convidados, foi já inaugurado o
Restaurante Gin Bar “Primeiro Pecado”,
nome de inspiração Bíblica em que se
considera a gula como o desejo insaciável,
para além do necessário, por comida ou
bebida.

Trabalhando o Chef Zhivko com
produtos frescos e de primeira qualidade,
poder-se-ia pensar que os preços não
seriam os mais acessíveis, mas com
menus completos por 10 euros, assim
Publicidade

como ementas especiais para grupos a
partir também desta quantia, não se pode
considerar que é um restaurante caro,
antes pelo contrário.
Para além de variados gins, o bar possui
alguns cocktail’s exclusivos, valendo a
pena saborear cada um deles pela sua
inovação e originalidade.
O “Primeiro Pecado” fica na Rua do
Botequim, 39, na Charneca de Caparica,
em Almada, com os telefones 216089377
/ 934759463 e coordenadas GPS:
38.634174 – 9.202273, esperando a vossa
visita.

Saúde

CSS | 07 de Abril de 2017

10

A ÁGUA NO NOSSO ORGANISMO
A quantidade de água diária que cada de apresentar uma queda relevante da
pessoa precisa ingerir é muito individual. pressão arterial, o que só ocorre em casos
Alguns indivíduos precisam de muita, graves de desidratação.
outros precisam de pouca.
Da mesma maneira, quando o corpo
Distribuição da água no corpo
se encontra com excesso de água, a
distribuição dá-se de forma semelhante,
Se cerca de 60% do nosso peso é sendo o meio intracelular e o interstício
composto de água, isso significa que uma os mais atingidos, o que pode provocar
pessoa de 70 quilos tem aproximadamente edema nas células e nos órgãos, incluindo
42 quilos ou 42 litros de água no organismo o cérebro.
(1 litro de água pesa 1 quilo). Desses 42
quilos, 2/3 (28 quilos ou 28 litros) estão
Como o organismo controla a
dentro das células e 1/3 (14 quilos ou quantidade de água no nosso corpo
14 litros) encontra-se fora das células.
Dos 14 litros de água que se encontram
O órgão que controla a quantidade
fora das células, cerca de 10 litros estão de água no organismo é o rim, que o
distribuídos entre os tecidos e órgãos faz de forma muito precisa. Pequenas
(espaço que é chamado de interstício) e elevações ou reduções da quantidade
apenas 4 litros estão efetivamente dentro de água corporal são suficientes para o
dos vasos sanguíneos. Portanto, de toda rins passarem a eliminar mais ou menos
a água corporal, apenas cerca de 7% se água na urina. Em virtude disso, mesmo
encontra no sangue.
que consumamos água de forma aquém
ou além do necessário, os rins irão agir
A desidratação é, por consequência, para manter o volume de água corporal
um estado que afeta muito mais as células equilibrado, fazendo com que se urine
e os tecidos do que propriamente o mais ou menos ao longo do dia.
volume de sangue corrente. Quando um
indivíduo perde 3 litros de água corporal,
Obviamente, a capacidade de correção
perde 2 litros nas células, 800 ml nos dos rins tem um limite. Para eliminar
tecidos e apenas 200 ml no sangue. Assim as toxinas e as substâncias filtradas
sendo, o doente começa a sofrer os efeitos no sangue, o rim precisa eliminar no
da desidratação das células muito antes mínimo uns 400-500 ml de água por

Salgadeira
Em minha singela opinião, uma
das iniciativas mais importantes que
ocorreram em Alcochete nos finais do
século XX, foi a mudança do velório de
defuntos da Igreja da Misericórdia e a
sequente implantação no local do Museu
de Arte Sacra e do Posto de Turismo.
Não foi fácil a tarefa porque o templo
estava a ficar muito arruinado e era
necessário encontrar uma alternativa para
o velório. Deve dizer-se que esta última
função se dava em condições bastante
deficientes. Por vezes até, se via passar
gordas ratazanas pelo soalho carcomido,
enquanto se realizavam os preparativos
fúnebres. Dado que o edifício, construído
nos fins do século XVI, se encontrava
classificado como imóvel de interesse
municipal, foi necessário lançar três
concursos públicos: um para o projeto de
remodelação, outro para a recuperação das
pinturas do retábulo e outro para as obras
de remodelação. Na frente nascente do
edifício abriu-se uma entrada e criou-se o
polo de informação turística de que a vila
há muito necessitava. Na parte exterior,
para tornar mais atraente o local, plantouse uma palmeira Phoenix canariensis.
Mas, se nessa altura ainda não havia a

praga do escaravelho vermelho, subsistia
outro flagelo para a arruinar. Tratavase das marés-vivas de setembro, cuja
ondulação galgava facilmente a muralha
e ia encharcar o solo com água salgada.
A palmeira não gostou e morreu. Vai daí
lembrei-me de recomendar que, em sua
substituição, se plantasse uma salgadeira.
Assim foi, e um belo arbusto ornamental
medrou escorreito no referido espaço.
Tenho pena de que agora já lá não esteja. É
que se sucederam as obras para embelezar
o local, culminando com a implantação
do panorâmico Passeio do Tejo, por
onde dá gosto deambular, quando não há
nortadas.
E aqui chegados, vamos finalmente
abordar a Atriplex halimus L que,
segundo a maioria dos botânicos,
pertence à família das Chenopodiaceae, e
é conhecida popularmente por salgadeira.
Trata-se de um arbusto halófito, é bem
de ver, pois suporta a salinidade e pode
sobreviver em zonas inóspitas graças, em
parte, ao seu sistema de raízes profundas.
Aguenta mesmo a exposição continuada
do vento e suporta temperaturas negativas.
Atinge 2 ou 3 metros de altura e é muito
comum nos sapais, muros das salinas
ou arribas marítimas, fora das zonas de
imersão. As suas ramagens, entre o verde
esbranquiçado e o cinzento, estabelecem
um curioso contraste com os matizes das
outras plantas, enriquecendo a paleta
de cores dos jardins urbanos. As folhas
são pequenas, enrugadas e persistentes
revestindo variadas formas. Podem ser
ovais, lanceoladas ou elípticas, sendo,
todas elas, pecioladas, ligeiramente
grossas, mas muito macias. Os caules,

dia, caso contrário não conseguiria diluir
os compostos químicos. Se o doente se
encontra muito desidratado e o rim fica
tão ávido para reter água no organismo
que o doente praticamente deixa de urinar,
o indivíduo entra em insuficiência renal
aguda. E mesmo quando o paciente pára
de urinar completamente, se o indivíduo
não se hidratar, a escassez de água
continuará a agravar-se, pois há perdas
de líquidos por outras vias, como suor e
fezes, que não podem ser interrompidas
nem ajustadas.

Dr. Jorge Neves

hora, caso o indivíduo por algum motivo
resolva consumir 5 litros de água de uma
só vez, a quantidade de água excessiva irá
ser distribuida nas células, provocando
inchaço das mesmas num quadro
potencialmente fatal chamado intoxicação
por água. O rins só irão conseguir
controlar o volume de água corporal após
algumas horas, o que em alguns casos
pode ser tarde demais.
DR

De forma inversa, em estados de
excesso de água corporal, o rim é capaz
de aumentar a sua produção de urina
em até 500 a 600 ml por hora, o que dá
cerca de 12 litros de urina por dia. Se o
paciente consome grandes quantidades
de água ao longo do dia, para manter
estável o volume de água corporal, o rim
precisa produzir grandes quantidades de
urina, fazendo com que o paciente sinta
vontade de urinar constantemente. Como
a vontade de urinar geralmente surge
quando o volume de urina na bexiga fica
entre 300 e 400 ml, basta o rim produzir
300 ml de urina por hora para que a
pessoa precisa de urinar de hora em hora.
Como os rins só conseguem produzir
um máximo de 600 ml de urina por

Miguel Boieiro

de cor cinzenta, são muito ramificados e
- Estabelecimento de sebes para proteger
emaranhados. As flores apresentam-se em da ventania os terrenos de cultivo;
panículas compactas com uma curiosa
- Forragem para animais, dado não
característica, incomum noutras plantas: conter elementos tóxicos e possuir boa
são trimonóicas. O mesmo é dizer que, palatabilidade;
no mesmo indivíduo vegetal, há flores
- Proteção contra incêndios em zonas de
risco, visto que a sua salinidade dificulta a
combustão;
- Efeitos ornamentais em jardinagem;
- Favorecimento dos ecossistemas mais
frágeis pela fácil produção de biomassa;
- Fabrico de sabões dado que as
respetivas cinzas são ricas em elementos
alcalinos;
- Como condimento. As folhas depois
de secas e pulverizadas podem servir para
temperar as comidas;
- Na alimentação humana. As folhas
podem ser comidas cruas em saladas.
Cozidas, assemelham-se a espinafres,
enriquecendo sopas e refogados. Por sua
vez, as sementinhas, que são proteicas,
podem juntar-se às farinhas de panificação;
-Em fitoterapia. A infusão das
unissexuais masculinas, unissexuais sumidades floridas combate a acidez
femininas e bissexuais. A polinização gástrica e reduz as flatulências. Estudos
é anemófila, isto é, proporcionada pelo efetuados na Argélia por especialistas
vento. É o que se chama uma autêntica universitários realçam as propriedades
versatilidade reprodutiva! Os frutos são antioxidantes da salgadeira e a sua
aquénios com uma ala membranosa de atividade antidiabética.
cor rosada.
E pronto! Creio já ser o bastante para
As folhas da salgadeira são ricas em despertar a curiosidade de todos os que
proteína, crómio, potássio, hidratos de procuram as plantas para fruírem dos seus
carbono, vitaminas C e D e provitamina benefícios. Quem diria que a humilde
A.
salgadeira poderia ser tão útil?
Pensa-se que a salgadeira é nativa do
norte da África e da Europa meridional,
onde desde tempos remotos, lhe eram
conferidas várias utilidades. Eis, em
resumo, uma lista das suas serventias:

gastronomia

CSS | 07 de Abril de 2017

11

RECEITA:
Pernil de porco assado com cerveja preta
Preparação:
PASSO 1:
Coloque o pernil num tabuleiro de ir
ao forno, tempere com os ingredientes
acima descritos e deixe a marinar de um
dia para o outro.
Passo 2:
Depois, leve o tabuleiro ao forno préaquecido a 180ºC cerca de 1hora, até
ficar com uma crosta tostadinha, mas
tenha cuidado para não deixar secar a
carne.
Passo 3:
Fatie o lombo e sirva acompanhado por
salada.

Publicidade

Ingredientes:











• 1 pernil de porco (de 1,5 a 2 kg)
• 1 1/2 dl de azeite
• pimentão doce
• pimenta preta moída
• 2 folhas de louro
• alecrim
• 1 cerveja preta
• sal
• 4 ou 5 dentes de alho
• 1dl de água

Entrevista

CSS | 07 de Abril de 2017

12

"Juntos Somos Mais Fortes!"
O "Comércio" Seixal deslocou-se ao recente Estádio Municipal do Seixal, ao encontro de Hugo Rodrigues, vice-presidente do Seixal Clube
1925 e responsável pelo departamento de futebol, com o intuito de conhecer a dinâmica do novo projecto do futebol seixalense.

Comércio do Seixal e Sesimbra: Seixal, que nos apoia principalmente nos
Como surgiu o projecto para a Academia jogos dos juniores e que tem sido bastante
de Futebol do Seixal Clube 1925?
importante.
Hugo Rodrigues: Antes de falar sobre
o projecto que iniciou este ano, gostaria
de deixar uma palavra de apreço e de
homenagem para com quem manteve
o espirito do seixal vivo, para os que
fundaram e trabalharam nos primeiros
anos de vida do Seixal Clube 1925, “filho”
do Seixal Futebol Clube.
O projecto da academia de futebol
surgiu com a entrada da nova direcção,
que continua a ser presidida, e muito
bem, pela Sra. Teresa Andrade. O Seixal
é um clube histórico e emblemático, e o
seu trabalho na formação futebolística
era top, o futebol do Seixal antes era
uma marca do distrito, ombreava com
o Vitória de Setúbal, Cova da Piedade,
Amora e com o Barreirense, o Seixal
estava lá em cima, quem vinha ao Bravo
dificilmente empatava ou ganhava. Nestes
últimos anos o Seixal, também devido
a diversas dificuldades, andou na mó de
baixo. Actualmente o nosso objectivo
e mentalidade é devolver ao Seixal, a
grandeza do futebol juvenil e se possível
sénior. Estamos focados em trazer de novo
o Seixal à ribalta do futebol de formação.
A base do projecto é a formação,
formação do treinador, dirigente e
sobretudo do atleta enquanto desportista
e cidadão, porque não nos interessa estar a
formar um “Messi” ou um “Ronaldo”, se
depois abandona a escola ou se a conduta
fora de campo é incorrecta. A formação é
dentro e fora das quatro linhas.
Queremos também casar de novo o
clube com a cidade. As pessoas estavam
longe do clube porque o clube passou a
jogar no Campo Albano Narciso Pereira
e posteriormente para a Caixa Futebol
Campus do Sport Lisboa e Benfica, a
cidade desmarcou-se um pouco do clube.
Com a passagem para o Estádio
Municipal queremos trazer o clube para
a cidade e temos conseguido. Temos
conseguido boas assistências no estádio,
já há uma claque composta por jovens do

CSS: Quantos jovens o Seixal Clube
1925 movimenta por semana com todos
os treinos e jogos?
HG: Quando entrámos em princípio
de Junho tínhamos cerca de 70 atletas
e nos treinos apareciam cerca de oito ou
dez atletas por equipa. Actualmente,
espalhados pelos diversos escalões, e a
formar uma única equipa, temos cerca de
230 atletas que vão quatro aos 68 anos, o
amigo veterano Rui Rebelo um exemplo
a seguir. No passado fim-de-semana,
tivemos representados em 21 jogos,
este crescimento além de significativo
é também importante porque traz-nos
mais atletas, com mais atletas temos
mais qualidade, traz-nos mais sócios,
pais, treinadores, directores e mais gente
envolvida.

CSS: Há intenção de fazer equipa
Começámos a época num campo
sénior na próxima época desportiva?
emprestado, treinámos uma semana no
campo pelado Albano Narciso Pereira e
HG: Digo que sim, há essa intenção. posteriormente, com a colaboração da CM
Mas se não tivermos reunidas condições Seixal, entrámos no Estádio Municipal
necessárias não avançamos. As condições ainda em processo de renovação. Os
de que falo são financeiras e de instalações materiais desportivos existentes no
desportivas, estamos a empenhados para património do clube eram escassos e os
garantir apoios, patrocínios, para termos que existiam estavam obsoletos. Mas as
seniores no próximo ano, porque a actual condições atuais já são muito satisfatórias.
equipa de juniores do Seixal Clube 1925
De início também encontramos
tem muita qualidade e há miúdos que vão algumas dificuldades em passar as
subir a seniores que se podem perder.
nossas ideias e linhas do projecto, pela
desconfiança instalada. Mas os que
CSS: Quando é que o estádio está ficaram abraçaram o objetivo proposto, e
pronto?
os que vieram acrescentaram qualidade.
HG: O Estádio Municipal do Seixal, Existe um enorme compromisso entre o
que nós sugerimos que se chame Estádio atleta e o clube.
Municipal do Bravo, para honrarmos
o nosso “velho mítico Bravo”, que foi
CSS: Como está a correr a actual época
construído pelos nossos antepassados, avós desportiva?
e bisavós, e porque faz parte da história
das gentes e cidade do seixal, tem as obras
HG: Em termos futebolísticos,
um pouco atrasadas. Todos queremos o apesar de ser o ano zero, parece que já
estádio pronto, e quando digo todos digo ultrapassámos o ano um e ano dois, porque
Câmara Municipal, Seixal Clube 1925, futebolisticamente as nossas equipas foram
empreiteiro, atletas e directores, todos além do esperado. Tivemos pequenos
queremos o estádio pronto. Mas houve dissabores, os Juvenis A não se apuraram
contrariedades, mas penso que as mesmas para a fase final por uma diferença de dois
já foram ultrapassadas e brevemente golos apenas, nos juniores estamos na fase
vamos ter o estádio pronto. Não posso final, nos iniciados fizemos um brilhante
assumir datas porque nós no Seixal Clube campeonato e ficámos em 4º lugar, em
1925 não o podemos fazer, mas foi-nos suma, concluímos que estamos muito à
dito que em breve todos os problemas frente do programado. Mas obviamente
vão ser ultrapassados e o estádio vais que para o futuro queremos ainda mais e
estar finalizado. Quando o estádio tiver melhor.
finalizado ficará muito bonito, teremos
Estamos a crescer, para o ano
umas condições óptimas para a prática do queremos ser maiores e melhores,
desporto.
queremos acrescentar, mas sempre de
forma sustentada. Esperamos ter todas as
CSS: Que dificuldades têm encontrado condições reunidas, queremos formar mais
no novo Seixal Clube 1925?
atletas, mais treinadores, mais dirigentes.
Queremos mais gente na claque, queremos
HG: Nesta primeira fase temos mais pessoas nas bancadas. Juntos somos
encontrado algumas dificuldades, quer no mais fortes.
panorama financeiro como no logístico.

A

CSS | 07 de Abril de 2017

13

genda
Agenda
COLÓQUIO
DR

Couple Coffee
Hoje, dia 07 de Abril,
às 21h30 no Cineteatro
Municipal João Mota,
Sesimbra, Concertos a
Propósito. Luanda Cozetti,
voz, e Norton Daiello, baixo,
formam os Couple Coffee,
um duo único e original
que cria música como café
puro, que vicia, desperta e
electriza. Dessa alquimia
resulta uma sonoridade
singular e sofisticada...
A comunicação com o
público é imediata, por
isso não há quem fique
indiferente a estes músicos
tão
virtuosos
quanto
originais.

DR

No próximo dia 8 de
Abril, a partir das 15:30,
no Auditório do Centro
de Estudos Culturais e de Acção Social Raio de Luz, em Sampaio,
Sesimbra, o GEAS organiza o Colóquio “Agostinho da Silva entre
Fernando Pessoa e Joel Serrão”. Teresa Rita Lopes, pessoana emérita,
abordará o tema “Agostinho da Silva e Fernando Pessoa”, ao passo
que Maria Helena Carvalho dos Santos evocará Joel Serrão, tal como
Agostinho uma grande figura da cultura portuguesa do século XX, um
estudioso de Pessoa e um sesimbrense por adopção que, nos anos
40, após a leitura de A Vida de William Penn, não hesitará em colocar
o Estranhíssimo Colosso entre os maiores escritores do seu tempo,
marco de um diálogo que merecerá a atenção de Rui Lopo. De seguida
haverá lugar a um apontamento musical pelo Grupo Coral da Sociedade
Filarmónica Perpétua Azeitonense. No final será servido um Moscatel
de Honra.

Zimbr`Arte
No próximo dia 08 de Abril de 2017, Sábado, das 10h às 18h na
Praça da Califórnia em Sesimbra a feira das Artes e do Artesanato.
Bijuteria,acessórios, pintura, tecidos ou peças de decoração
confeccionadas em materiais
tão diferentes e originais como
cortiça, conchas, estanho,
madeira, cabedal ou flores
secas, são uma pequena
amostra do que pode ver,
experimentar e adquirir na
Zimbr’Arte para promover a
actividade artesanal local,
DR
regional e nacional.

Comemoração
do Dia do
Estudante
DR

Teatro das
Sombras
Nos próximos dias 7 e 28
de Abril, sexta-feira, das 15
às 17 horas, actividade de
exploração de técnicas do
teatro de sombras, apresentadas num modelo que
assenta numa apresentação teórica e em dinâmicas práticas. Uma iniciativa
a não perder na Biblioteca
Municipal do Seixal.

No próximo dia 8 de
Abril, Sábado, das 15h às
19h Março jovem 2017,
uma iniciativa para assinalar o Dia do Estudante e o
Dia da Juventude, algumas
associações juvenis juntam-se para a realização de
um espectáculo que assinale esta data. Ao longo da
tarde, o palco vai receber
diversas actuações de grupos de dança e de música.
Haverá ainda uma mostra
associativa na qual as associações poderão mostrar
o seu trabalho.

Publicidade

Edital nº30/17/DAU
Avisam-se os familiares dos falecidos abaixo mencionados que, no prazo de 30 (trinta) dias, deverão dirigir-se ao
Balcão Único de Serviço, Edifício do Mercado Municipal na Rua Manuel de Arriaga, Conde II na Quinta do Conde
ou Paços de Concelho, Rua da república nº 3 Sesimbra, a fim de resolverem quanto à data em que terão lugar as
respetivas exumações a efetuar no cemitério de Quinta do Conde e sobre o destino das ossadas.






























Etelvina dos Anjos Miranda Formas
Maria Isabel Lopes Nunes de Sousa Botelha
Maria da Encarnação de Oliveira
Carlos Costa
João Ferreira
Américo Serras
André Joaquim Pereira de Figueiredo
Helena Maria Teles Ferreira
Maria Antónia Dias Martins
Armando dos Santos Fernandes Costa
António Clemente Melo de Carvalho
João Bernardo Godino
Laurinda de Jesus de Matos
Amélia Ferreira Lopes
José Marranita Gonçalves
Donzilia Joaquina dos Santos
Mário do Nascimento de Almeida Martins
Elvira Mendes
José Benjamim Perdigão Teixeira
Maria Margarida Guerra
Maria de Fátima Aguiar Figueira
Aurélio Valentim
Pedro Miguel Mega Guerreiro
Maria do Rosário de Fátima de Jesus da Cunha
Carlos Alberto Pontes
Joaquim da Silva
António Franco Sabino
Ana Mónica Conde de Barros Peres
Zita Maria Oliveira Lopes Kellomaki

Findo este prazo sem que os interessados promovam qualquer diligência, serão feitas as exumações, considerando-se abandonadas as ossadas existentes, de acordo com o estabelecido no nº3 e 4 do art. 29º do Regulamento
dos Cemitérios Municipais do Concelho de Sesimbra em vigor. Mais se informa, que 8 dias após o levantamento
da ossada, as cantarias que se encontrarem no cemitério ficarão em posse da Câmara.
Sesimbra, 09 de Março de 2017
O Vereador do Pelouro
José Polido, Dr.

lazer

CSS | 07 de Abril de 2017

14

DESCUBRA AS 9 DIFERENÇAS

cinema

O NOSSO SEIXAL...

ghost in shell

ORIGINAL

Consulta Personalizada: 210 929 030
E-mail:mariahelena@mariahelena.pt

07 a 13 de Abril

Carneiro

21-03 a 20-04

Amor: Não seja egoísta, pense nos sentimentos das
outras pessoas. Proteja as suas emoções tornando-se cada dia que passa num ser humano mais forte e
então sim, será feliz!
Saúde: Tente relaxar um pouco mais, anda com os nervos à flor da pele.
Dinheiro: Seja prudente na forma como gere as suas finanças.
Números da Semana: 9, 11, 17, 22, 28, 29

Touro

21-04 a 21-05

Amor: A pessoa com quem sonhava há algum tempo poderá surgir inesperadamente. Aprenda a escrever novas
páginas no livro da sua vida!
Saúde: O seu nível de cansaço encontra-se elevado, deve
descansar e dormir mais horas.
Dinheiro: Período favorável para novos negócios, poderá
surgir uma proposta há muito aguardada.
Números da Semana: 1, 5, 7, 11, 33, 39

Gémeos

21-04 a 21-05

Amor: Todos os conflitos se resolverão com muita calma e
compreensão.
Saúde: Momento estável, aproveite para descansar. A
Vida espera por si. Viva-a!
Dinheiro: Período pouco propício para investimentos em
grandes proporções.
Números da Semana: 2, 9, 17, 28, 29, 47

ALTERADO

Caranguejo

21-06 a 23-07

dr

Amor: Os seus filhos sentem a sua falta, dê-lhes mais
atenção. Seja um bom professor, eduque para que os
mais jovens tenham uma profissão, mas, sobretudo,
eduque-os para a vida.
Saúde: Poderá sentir alguns problemas de ouvidos.
Dinheiro:Fase equilibrada, sem alterações de maior.
Números da Semana: 9, 11, 25, 27, 39, 47

Num futuro próximo, enquanto a linha entre
humanidade e tecnologia é cada vez menos clara,
Major (Scarlett Johansson) torna-se na primeira
da sua espécie: salva de um terrível acidente é
transformada num híbrido de ser vivo e máquina e
nomeada para liderar a força de combate ao crime
Secção 9 que se dedica a perseguir e eliminar os
criminosos mais perigosos do mundo.

Sudoku

música

Leão

Virgem

24-08 a 23-09

Amor: Cuidado com as atitudes que toma, revelarão falta de
maturidade sentimental. Perdoe-se a si próprio!
Saúde: Não se medique, procure um médico.
Dinheiro: Se quiser entrar num novo negócio, esta será
a melhor altura.
Números da Semana: 4, 9, 18, 22, 32, 38

Balança

Bowie 70

24-07 a 23-08

Amor: A sua vida afetiva beneficiará desta sua fase mais
sentimental. A força e a humildade caminham de mãos dadas!
Saúde: Nada o preocupará.
Dinheiro: Não gaste as suas finanças em bens desnecessários.
Números da Semana: 6, 14, 36, 41, 45, 48

24-09 a 23-10

Amor: : Não fique desatento ao que se passa à sua
volta. A força do Bem transforma a vida!
Saúde: Sentir-se-á em forma e sem preocupações.
Dinheiro: Poderão surgir algumas dificuldades.
Números da Semana: 7, 22, 29, 33, 45, 48

Escorpião

24-10 a 22-11

Amor: Não deixe que o ciúme estrague a sua relação,
quem sabe proteger-se das emoções negativas aprende a
construir um futuro risonho!
Saúde: Não cometa grandes excessos alimentares.
Dinheiro: Não está numa boa altura para contrair empréstimos.
Números da Semana: 1, 3, 7, 18, 22, 30

Sagitário

23-11 a 21-12

Amor: Esclareça as situações conflituosas recorrendo
ao diálogo. Uma personalidade forte sabe ser suave e
leve como uma pena!
Saúde: Cuidado para que possa evitar gripes e constipações.
Dinheiro: Neste campo nada o afetará.
Números da Semana: 8, 17, 22, 24, 39, 42

SOLUÇÃO

dr

Capricórnio

Com produção artística de David Fonseca
e um elenco muito especial“BOWIE 70 – A
Tribute by David Fonseca” celebra um nome
maior da história da música: David Bowie.
Um elenco de luxo: Afonso Rodrigues
(Sean Riley), Ana Moura, Aurea, António
Zambujo, Camané, Catarina Salinas (Best
Youth), Márcia, Marta Ren, Manuela
Azevedo, Rita Redshoes, Rui Reininho e
o próprio David Fonseca, emprestam a sua
voz a alguns dos temas mais emblemáticos
de David Bowie. Chama-se ”BOWIE70”, e
chega precisamente no ano em que Bowie
completaria 70 anos.

22-12 a 20-01

Amor: Aproveite este momento de boas energias para
estar com o seu companheiro.
Saúde: Nada de preocupante nesta área.
Dinheiro: A este nível nada o perturbará. Arrisque! O
sucesso espera por si!
Números da Semana: 3, 7, 11, 18, 22, 25

Aquário

21-01 a 19-02

Amor: Para que a sua relação permaneça estável, confie
mais no seu amor.
Saúde: Evite comer tantos doces para não prejudicar o
seu organismo.
Dinheiro: Poderá investir mais seriamente num projeto, se for
esse o seu desejo.
Números da Semana: 2, 17, 19, 36, 38, 44

Peixes

20-02 a 20-03

Amor: Não sofra por antecipação, porque assim não
viverá as alegrias e felicidades de cada momento que
passa. Dedique algum do seu tempo à vida familiar e
social.
Saúde: Consulte o seu médico para que faça um
check-up ao seu organismo.
Dinheiro: Não gaste em demasia, poderá precisar de
algum dinheiro mais tarde.
Números da Semana: 25, 33, 39, 41, 42, 48

desporto

CSS | 07 de Abril de 2017

15

6º Prémio
de CiclismoJuvenil
Realiza-se dia 9 de abril 6.º Prémio de
Ciclismo Juvenil da Quinta do Conde,
competição inscrita no calendário velocipédico
associativo, destinada aos escalões de
benjamins, iniciados, infantis e juvenis, de
ambos os sexos.
As corridas têm início às 10 horas,
realizam-se em circuito fechado, com partida
da Rua das Olaias (Escola Básica Integrada),
seguindo pela Avenida dos Aliados, Rua
Rio Tejo, Rua Serra da Arrábida, Rua das
Olaias, Rua das Begónias, Rua das Camélias,
Avenida da Liberdade, Rua Serra da Arrábida,
e chegada de novo à Rua das Olaias.
A iniciativa é da Junta de Freguesia da
Quinta do Conde que conta com o apoio
técnico da Associação de Ciclismo do Distrito
de Setúbal e da Federação Portuguesa

Patinagem Siderurgia
Participou na 21ª TAça Aps

de Ciclismo, e a colaboração da Câmara
Municipal de Sesimbra, da Guarda Nacional
Republicana, dos Bombeiros Voluntários de
Sesimbra e do Grupo 232 da Quinta do Conde
da Associação de Escoteiros de Portugal.
Atente-se que a Quinta do Conde regista
tradições na prática do ciclismo que lhe
acrescentam responsabilidade neste desporto
incontestavelmente popular.
A segurança dos concorrentes impõe
restrições ao trânsito nas zonas abrangidas.
Consciente dos incómodos que tais restrições
e condicionamentos acrescentam, a Junta de
Freguesia solicita a necessária compreensão
e apoio a esta iniciativa que visa continuar
as tradições que a Quinta do Conde teve no
ciclismo.
DR

O Clube do Pessoal da Siderurgia
Nacional participou no sábado (25 de
março) na 21ª Taça APS, promovido pela
Associação de Patinagem de Setúbal, com
duas equipas, na qual se classificou em
2º lugar com a Equipa B e em 9º lugar
com a Equipa A, num total de 14 equipas
participantes.
Em termos individuais, onde estiveram
91 atletas em prova, obteve ainda o 1º Lugar
no Escalão de Infantis, o 1º e 2º Lugar no
escalão de Iniciados, o 3º Lugar no escalão
de Cadetes e o 2º Lugar no escalão de

Juvenis.
Este foi o 1º Torneio da época 2017 em
que estivemos presentes, uma vez que o foco
até agora tem sido os Testes de Nível, onde
nos dois primeiros testes de 2017, realizados
pela nossa Associação em Alcochete e Sines,
os atletas do CPSN efectuaram 89 testes, nos
quais obtiveram aprovação em 84.
Os nossos Parabéns a todos os atletas por
este magnífico arranque de temporada.
P’a direção.
A Secção de Patinagem

Breve....

Torneio “Baía do Seixal”
Com a organização do C.D.R. Brasileiro/Rouxinol, realizar-se-á de 22 a 25 de Abril o
Torneio “Baía do Seixal” em Ténis, sub.12/16 em singulares e pares, tendo como director
Emílio Sustelo e como juiz árbitro Pedro Carapeto. As inscrições podem ser efectuadas até às
18 horas do dia 19 de Abril nas instalações do Clube.

Publicidade

Publicidade

CSS | 07 de Abril de 2017

16

Frente Ribeirinha de Arrentela

Hasta pública
para implantação
de quiosque
Objeto
Adjudicação de concessão de licença de uso privativo do domínio público,
com vista à implantação de um quiosque, para prestar um serviço de
cafetaria/restaurante.
Área
Espaço com a área máxima de 100 m2, na Frente Ribeirinha de Arrentela,
em frente à Quinta da Fidalga.
Valor Base de Adjudicação
1 400 euros /mês
Data da Hasta Pública
No dia 9 de maio, a partir das 16 horas, no Auditório dos Serviços Centrais
da Câmara Municipal do Seixal
Informações
Divisão de Gestão Urbanística e Empreitadas, nos Serviços Centrais da
Câmara Municipal do Seixal, na Alameda dos Bombeiros Voluntários, n.º 45,
Seixal
Consulte o regulamento, no Edital n.º 56/2017, em cm-seixal.pt.


Documentos relacionados


Documento PDF comercio 322
Documento PDF comercio 341
Documento PDF comercio 323
Documento PDF comercio 335
Documento PDF comercio 340
Documento PDF comercio 321


Palabras claves relacionadas