Caja PDF

Comparta fácilmente sus documentos PDF con sus contactos, la web y las redes sociales.

Compartir un archivo PDF Gestor de archivos Caja de instrumento Buscar PDF Ayuda Contáctenos



Comércio 333 .pdf



Nombre del archivo original: Comércio 333.pdf

Este documento en formato PDF 1.5 fue generado por Adobe InDesign CS4 (6.0) / Adobe PDF Library 9.0, y fue enviado en caja-pdf.es el 24/03/2017 a las 00:14, desde la dirección IP 85.242.x.x. La página de descarga de documentos ha sido vista 1145 veces.
Tamaño del archivo: 8 MB (16 páginas).
Privacidad: archivo público




Descargar el documento PDF









Vista previa del documento


Preço: 0,01
Publicidade

Semanário | Sexta-Feira | 24 de Março de 2017 | Ano X | N.º 333

Publicidade

Director: Fernando Borges

LISBON SOUTH BAY
O Seixal em Cannes
PÁGs. 2 e 3

DR

DOMINGO
NOVA HORA

sociedade

cultura

entrevista

Adelino Tavares

Marés de Leitura

António Pontes

O autor apresenta o livro “O Sótão”
no dia 26 de Março pelas 17 horas na
Sociedade Filarmónica Democrática
Timbre Seixalense.

Cerca de 500 alunos de vários ciclos de
ensino participam no próximo dia 30 de
Março na Marcha Seixal Marés de Leitura

Desde muito cedo dedicou-se à música e
editou recentemente um CD que tem por
título “Um beijo na Feira de Castro“.

Pág. 5

Pág. 8

Pág. 12

Publicidade

DR

reportagem
2

Celino Cunha Vieira

editorial

Cada vez mais a indústria do
turismo tem vindo a fortalecer-se,
sendo hoje um dos principais sectores
da economia portuguesa e o maior
gerador de emprego a nível nacional.
Pela importância que representa e não
porque este ano há eleições autárquicas,
a Bolsa de Turismo de Lisboa contou
com a participação de muitos
Municípios que pela primeira vez se
apresentaram neste certame com os
seus mais variados produtos regionais.

Seixal aposta in
na promoção do
DR

Muitas vezes e erradamente,
associa-se o turismo apenas ao sol e
à praia, quando outras componentes
são também muito atractivas, como
a história, a cultura, o desporto, a
gastronomia, a enologia, os eventos,
etc., possuindo o nosso país um
extraordinário clima com uma vasta
gama de ofertas de muita qualidade e a
preços competitivos em relação a outros
destinos, podendo o turista usufruir
da simpatia e hospitalidade que nos é
inerente, boas vias de comunicação e
segurança interna.
Hoje, em qualquer localidade
portuguesa
podem
encontrar-se
pequenas unidades hoteleiras de
turismo rural que dificilmente outros
países possuem, sendo frequentadas
por nacionais e estrangeiros que as
aproveitam para descobrirem o interior
e as zonas mais recônditas do território.
Quanto ao Seixal, tão próximo
de Lisboa e das praias vizinhas, com
potencialidades ainda por desbravar,
não pode perder oportunidades e
tem de criar condições para o seu
desenvolvimento
sustentado
em
projectos credíveis e ambiciosos,
aproveitando as condições naturais e
outras que possam ser estimuladas,
apoiando a iniciativa privada geradora
de emprego e de riqueza local.
O Seixal não pode ser só conhecido
e falado nas televisões por se ter
instalado no seu território o Centro
de Estágios do Sport Lisboa e Benfica
que muito nos prestigia, mas que não
pode ser o principal foco de interesse.
É preciso mais, muito mais, e isso é o
que se exige de quem gere os destinos
do Município.
Por isso destacamos nesta edição
a presença do Seixal em Cannes, no
MIPIM (Mercado Internacional dos
Profissionais de Imobiliário), integrado
no projecto “Lisbon South Bay” em
que se pretende captar investimentos
quer para a área do turismo quer para
outras áreas de actividade, onde foram
apresentados alguns projectos de que
damos nota nesta e na página seguinte.

A Câmara Municipal do Seixal esteve
entre 14 e 17 de março em Cannes, onde
participou no “Marché International
des Professionnels de L’Immobilier”
(MIPIM), uma das mais importantes
feiras do sector imobiliário e de atração
de investimento a nível mundial, que
colocou este ano em destaque a capital
Portuguesa, como uma das cidades
atualmente mais proeminentes, com
capacidade para atrair potencial turístico,
imobiliário e investimento O Seixal,
em conjunto com Almada e Barreiro
integram o projeto Lisbon South Bay,
criado para a promoção internacional
destes territórios e gerido pela empresa
Baía do Tejo. Os territórios Lisbon
South Bay apresentam uma diversidade e
complementaridade entre si e esta é uma
das forças deste conjunto de ativos, que
oferecem escala a Lisboa e a capacidade
que falta a Lisboa para se tornar numa
forte opção para investidores, não apenas
nos segmentos turístico e imobiliário,
mas também como destino capaz para
acolher investimentos empresariais e de
instalar empresas das áreas industriais, de
logística e serviços, independentemente
da sua dimensão.
Durante o evento, o Seixal,
representado pelo Vice-Presidente da
Câmara Municipal, Jorge Gonçalves,
teve oportunidade de mostrar o seu
potencial para o desenvolvimento de

Administração, Redacção
e Publicidade

Director: Fernando Borges - CP1608
Registo do título: 125282
Depósito Legal: N.º 267646/07
Contribuinte N.º 194 065 499
Propriedade e Editor: Ângela Rosa

Av. José António Rodrigues, n.º 45, 2º
2840 - 078 Aldeia de Paio Pires
Telm. 969 856 802
Telf. 210 991 683
comerciodoseixal@gmail.com
http://jornalcomerciodoseixalesesimbra.wordpress.com
Facebook: Comércio do Seixal e Sesimbra

atividades económicas, tendo encetado
contactos com empresas interessadas
nos espaços já existentes ou em projetos
a criar. A presença do concelho nesta
feira abriu portas para que possam ser
desenvolvidas parcerias que promovam
a rentabilização do espaço da antiga
Siderurgia Nacional e que tragam para o
concelho mais dinâmica e investimento,
potenciando a criação de emprego e
riqueza do território.
O enfoque foi colocado na
qualificação dos espaços industriais,
através da criação de condições para
o reforço do desenvolvimento do pólo
siderúrgico existente e da procura de
novas unidades produtivas, entendida
como uma estratégia fundamental para a
dinamização económica e produtiva do
Concelho do Seixal, da Região e do País.
No caso concreto do Seixal, o
território da ex-Siderurgia Nacional
ocupa uma área de 536 hectares,
longitudinalmente ao longo do esteiro
do rio Coina. Na zona norte, existem
118 hectares totalmente desocupados,
na zona central, 218 hectares onde se
localizam duas unidades siderúrgicas
(SN Seixal e Lusosider) e diversas outras
indústrias e na zona sul cerca de 200
hectares para loteamentos industriais e
de serviços, infraestruturados e em vias
de desenvolvimento. É ainda uma zona
com mobilidade favorecida, no quadro

Director Adjunto: Celino Cunha Vieira TE1218
Directora Comercial: Ângela Rosa
Paginação: Sofia Rosa
Desporto: Luis Pontes CO1039
Repórter: Fernando Soares Reis CP6261
Colaboradores: Adriana Marçal, Agostinho António Cunha,
Alvaro Giesta, ANIVET - Consultório Veterinário, Dário Codinha,
Fernando Fitas CP2760, Hugo Manuelito, José Henriques, José
Lourenço, João Araújo, Jorge Neves, José Mantas, José Sarmento,

das acessibilidades de que o Município
dispõe.
A revisão do Plano Diretor Municipal
do Seixal, publicada em Diário da
República no dia 4 de março de 2015,
estando já eficaz enquanto PDM de 2.ª
geração, confirma a aposta do Concelho
no desenvolvimento económico e social,
onde o Projeto do Arco Ribeirinho
Sul é um dos seus principais eixos de
desenvolvimento. O novo Plano Diretor
Municipal reflete uma estratégia de
intervenção no território que consagra
uma aposta clara na fixação da indústria,
logística e serviços, potenciando o
reforço e a criação de novas áreas de
desenvolvimento económico, atingindo
quase 1 000 hectares no total do
concelho, donde se destacam 460
hectares para indústria e logística e 300
hectares para industria transformadora
pesada. A opção da Câmara Municipal
do Seixal passa por qualificar os espaços
industriais existentes, criando condições
para o reforço do desenvolvimento do
pólo siderúrgico existente, onde a par
das principais unidades industriais do
sector siderúrgico, se venham a instalar
novas unidades, bem como a criação
de uma plataforma logística de nível
regional, promovendo novas áreas de
dinamização económica e produtiva, em
articulação com os Parques de Atividades
Económicas existentes no Concelho.

Maria Vitória Afonso, Maria Susana Mexia, Mário Barradas, Miguel
Boieiro, Paulo Nascimento, Paulo Silva, Pinhal Dias, Rúben Lopes,
Rui Hélder Feio, Vitor Sarmento.
Impressão: Funchalense - Empresa Gráfica, S.A.
Tiragem: 15.000 exemplares
O «Comércio» não se responsabiliza nem pode ser responsabilizado pelos
artigos assinados pelos colaboradores. Todo o conteúdo dos mesmos é da
inteira responsabilidade dos respectivos autores.

CSS | 24 de Março de 2017

3

internacionalmente
do território
Pretende-se a valorização da indústria
instalada, captação de investimento para
novas áreas e atividades económicas,
fixação de empresas competitivas e
inovadoras e novas cadeias de valor, sem
esquecer a reconversão e qualificação
urbanística
e
ambiental
destas
grandes áreas industriais obsoletas ou
parcialmente degradadas. A presença
no certame permitiu atrair interesse
de investidores para a criação de áreas
predominantemente afetas à indústria
transformadora pesada, bem como a
consolidação das áreas de atividade
económica de logística e serviços, a par
do desenvolvimento de atividades de
caráter portuário.
A Baía do Tejo, que tem a seu
cargo a concretização da estratégia de
marketing territorial delineada entre
os parceiros para a disseminação da
divulgação e promoção dos territórios
Lisbon South Bay, tem garantido uma
presença qualificada em grandes eventos,
e realizado seminários e palestras sobre
as oportunidades, vantagens e incentivos
ao investimento com interlocutores
de eleição, colocando com projeção a
mensagem de afirmação da Península
Publicidade

de Setúbal como uma zona industrial
e logística de referência, com os seus
espaços de natural aptidão para as
atividades económicas.
O Seixal conta com uma população
ativa estimada em 81.000 pessoas,

com nível de qualificação acima da
média nacional, mas com uma taxa de
desemprego elevada, pelo que o Projeto
Arco Ribeirinho Sul constitui-se assim
como um instrumento fundamental no
quadro da criação de emprego na Área

DR

Metropolitana de Lisboa, Península de
Setúbal e no Concelho do Seixal em
particular, que irá potenciar a sua forte
matriz industrial e a afirmação de um
cluster industrial e logístico.

SOCIEDADE

CSS | 24 de Março de 2017

4

Histórias Associativas*(7)

o vozeiro

Designada de Marcha das
Camarinhas o povo
rebaptizou-a de Marcha das Canas
Fernando
Fitas

Rui Hélder Feio

Abrir uma nova Empresa
Pergunta– Pretendo abrir uma empresa, já tenho uma loja arrendada e gostaria que me informasse dos custos que
me esperam.
Resposta– Além dos custos relativos
à loja arrendada, renda, eletricidade,
água, telefone, internet, ordenados, viaturas, seguros, publicidade, entre outras
pequenas coisas, há que contar com a
abertura da atividade através do Registo
Comercial.
Aqui põe-se a primeira questão, pretende uma empresa com características
próprias, estatutos definidos à empresa,
nome escolhido a gosto ou, em alternativa, um qualquer nome, e um pacto social geral serve?
Se a opção for a primeira, deve consultar um Solicitador que lhe desenhará
a nova empresa a seu gosto e imagem,
para que lhe assente como uma luva e
com todo o conforto do processo ser
inteiramente efetuado no escritório do
profissional.
Se a opção for a segunda, ainda que
possa igualmente recorrer ao Solicitador, este registo será efetuado numa
Conservatória do Registo Predial no
balcão “Empresa na Hora” que, como o
nome indica, é rápido e económico.
A grande vantagem desta segunda
opção é a de ser mais económica (entre
300,00€ a 360,00€).
Depois, há que ter em conta outros
custos, como seja o pagamento de impostos, a avença a um técnico oficial de
contas, o IVA, o IRC no caso de empresas, ou IRS no caso de empresário em
nome individual.
A empresa pode optar por um regime
simplificado ou por contabilidade organizada, consoante o volume de negócios
esperado.
No primeiro ano a empresa não paga
o pagamento especial por conta, mas nos
seguintes há que contar com mais esse
encargo.
Pode acontecer também que tenha de
obter licenças e de permissões de diferente ordem para operar, e mais do que
uma, para cada estabelecimento que tiver. Estas licenças poderão ter de ser renovadas anualmente.
Também lhe poderão ser cobradas taxas de profissão.

Emílio Rebelo revela ainda que “para o
êxito dessa experiência, muito contribuiu
igualmente o facto de havermos sabido
aproveitar o rumo do tradicional cortejo
que os foliões faziam ao poço, ao tempo,
existente na Quinta Manuel André, onde
iam lavar a cara, após uma noite de arraial.
Para tanto bastou que, na ponta de cada
uma das canas, colhidas no denso canavial
que ali despontava, se prendesse a toalha
que cada qual levava para se limpar.
No regresso, com as canas, as toalhas a
substituírem os costumados arcos, toda a
gente tomava parte desfilando ao som da
marcha concebida propositadamente para
o efeito.”
Mais tarde, o trajecto passou a ser para a
Quinta Grande, por mor de uma conversa
havida com o descarregador da Mundet,
João Maia, tido como o ‘manda chuva’ da
aludida Quinta, local onde passou, então,
a iniciar-se o desfile, que chegou a reunir
mais de duas mil pessoas, como, aliás,
sucedeu em 1971. Desta feita, até com
carros alegóricos.
O agrado com que a iniciativa foi recebida
por parte da população, foi de tal ordem,

que durante largas dezenas de anos,
Emílio de Oliveira Rebelo, não teve outro
remédio senão o de compor, anualmente,
uma nova marcha para ser tocada ao raiar
do dia de S. Pedro, nas principais ruas do
Seixal.
Segundo ainda confessa, “embora esta
manifestação tenha ficado conhecida por
‘Marcha das Canas’, a sua designação
inicial, em 1950, era de “marcha das
Camarinhas”, mas, porque ninguém
utilizava esta denominação quando a ela
se reportava, tivemos de acolher, o nome
que o imaginário popular intuitivamente
lhe atribuiu.”
De acordo com esta destacada figura da
Timbre Seixalense, “parao imponente
sucesso alcançado, muito concorreu o
também o talento poético de Francisco
Nobre, António Mendonça e do Capitão
Louro, que neste dilatado período de
tempo escreveram as respectivas letras.
O mesmo se dirá de António Fernandes
Silva que fazia os arranjos orquestrais”
Sem deixar, por outro lado, de mencionar
que a canção que assinalou a subida do
Seixal Futebol Clube à 1ª Divisão do

Campeonato Nacional é de sua autoria,
Emílio de Oliveira Rebelo, afirma que
o objectivo que o levou a executar essa
tarefa, visou, mais uma vez, enaltecer
o importante feito cometido pela mais
representativa agremiação desportiva
da sua terra natal. “Foi,” diz, “a minha
maneira de, ainda que indirectamente,
associar a Timbre a essa conquista.”
Salientando o facto de os seus 82 anos
não lhe permitirem gozar das mesmas
faculdades doutros tempos, Emílio de
Oliveira Rebelo, sustenta, no entanto, que
“o sucesso das coisas radica no entusiasmo
que as pessoas nelas colocam. Nessa época,
tudo quanto tivesse o intuito de promover
o Seixal e os seus habitantes, reunia o
interesse geral. Logo, fácil se tornava levar
a cabo qualquer projecto. O que nos dias
de hoje nem sempre se verifica.”
Ainda assim, anota que, não obstante se
encontrar um pouco retirado da actividade
associativa, tem procurado ocupar o seu
tempo lavrando em alguns jornais locais,
o testemunho dessas vivências, em ordem
a deixar esse legado às gerações mais
novas. No âmbito dessa tarefa, se inscreve
uma biografia de seu avô, trabalho que
considera “um tributo prestado ao mérito
de um homem a quem o Seixal muito
deve” e um vasto conjunto de textos sobre
a colectividade a que sempre pertenceu.
Fotos: Artur Marques (Atchixa)

*Excertos de “Histórias Associativas- Memórias
da Nossa Memória – 1º Volume AsFilarmónicas”.
Edição Câmara Municipal do Seixal.-2001.

Noite Alentejana no Centro Cultural das Paivas
DR

Escolha os serviços de um profissional, contacte o Solicitador.
Envie a sua questão para duvidas@ruifeio.pt
Publicidade

No dia 18 de Março, teve lugar no Centro
Cultural e Desportivo das Paivas, cerca das
20h30m, uma Noite Alentejana. Esta constou
de jantar de convívio e actuação de grupos
corais alentejanos e de um grupo musical
da Unisseixal, concretamente o grupo de
Cavaquinhos e Bandolins do Professor Mário
Fortuna.

Presentes várias
figuras da cultura
local e alentejana:
António
Pepe
(Presidente
do
Centro Cultural),
António Pinto da
Costa (Reitor da
Unisseixal), Tomás
de Aquino Bento
(Presidente
da
Casa do Educador),
Vice-Reitora
Mariana Mareco,
José Colaço a
representar a Associação Moda, Mário
Fortuna (Professor de Cavaquinhos), Manuel
Araújo (Autarca da Amora).
Após o jantar de convívio, iniciou-se a
actuação com o grupo anfitrião Grupo Coral
Alentejano das Paivas. Seguiu-se-lhe o Grupo
Coral Feminino de Santa Vitória, muito
aplaudidas pela originalidade de suas modas

dedicadas à sua bonita aldeia.
Em seguida actuou o Grupo Coral do
Lavradio que impressionou pela antiguidade
de suas modas, especialmente uma bastante
antiga que eu ouvia já cantar à minha mãe e
me tocou.
“Senta-te aqui ò António.” E também
“Castelo de Beja”.
Por fim actuou o grupo de Cavaquinhos
e Bandolins do professor Mário Fortuna que
encerrou com chave de ouro, sendo muito
aplaudidos pelo seu melodioso conjunto, pela
harmonia e sintonia entre vozes femininas e
masculinas com esta pequena orquestra.
Estes entoaram canções do Alentejo muito
tradicionais e que agrada sempre ouvir: Erva
Cidreira, Aldeia da Luz, Morena do Alentejo.
Enfim, uma noite muito agradável que
relembrou as raízes aos alentejanos da
Diáspora e a todos os presentes no auditório.
Maria Vitória Afonso

sociedade

CSS | 24 de Março de 2017

5

workshop sobre
suporte básico
de vida pediátrico

No dia 1 de abril, sábado, das 9 às 13 horas, a Associação Humanitária dos
Bombeiros Mistos do Concelho do Seixal promove, no seu quartel-sede,
um workshop sobre suporte básico de vida pediátrico mais importantes
feiras mundiais de turismo, que noano passado acolheu mais de 75 mil
visitantes.

Adelino Tavares
apresenta trabalho
literário no Seixal

DR

DR

Esta Iniciativa, surge inserida no projeto Autores da nossa Terra, conta
ainda com a atuação da Banda da SFDTS que interpretará trechos das
obras musica referida nos livros do autor.

O workshop a decorrer aborda os temas
como; Sistema Integrado de Emergência
Médica – Onde me enquadro e que funções
desempenho, noções de funcionamento da
Cadeia de Sobrevivência – Como posso pedir
ajuda, medidas de segurança – Que precauções,
devo tomar, abordagem à vítima, suporte básico
Publicidade

de vida pediátrico e esobstrução da via aérea.
Para participar nesta iniciativa faça a sua
inscrições através das seguintes formas, telefone
212 279 530, email: workshop.bmseixal@
gmail.com ou online em bmseixal.weebly.com.
A participação tem um custo de 5 euros para
sócios da associação e 10 euros para não sócios.

No próximo domingo, dia 26 de março, tem
lugar às 17 horas, na Sociedade Filarmónica
Democrática Timbre Seixalense (SFDTS)
a apresentação do trabalho literário de
Adelino Tavares, que contempla a última obra
intitulada O Sótão. Adelino Tavares nasceu a
27 de fevereiro de 1945, no Seixal. Aos 17 anos
começou a trabalhar, tendo exercido atividade
como contabilista e analista de informática ao
longo de 17 anos.
A par da sua carreira, envolveu-se diretamente
no projeto autárquico, acumuladas funções
enquanto eleito na Assembleia de Freguesia do
Seixal de 1977 a 1979; enquanto presidente da
Junta de Freguesia do Seixal de 1980 a 1982 e
como vereador da Câmara Municipal do Seixal
de 1983 a 2001. Foi ainda eleito na Assembleia
Municipal do Seixal de 2005 a 2009. Casado e
pai de três filhos, destacou-se ainda no campo

desportivo, como avançado centro nos juniores
do Seixal Futebol Clube. Foi ainda campeão
nacional de atletismo, na modalidade de estafeta
de 4x100, pelo Sporting Clube de Portugal,
tendo sido treinado pelo professor Mário
Moniz Pereira na década de 60 (1962/1963).
Ainda no campo do atletismo, foi campeão
nacional de salto em comprimento pela
Fundação Nacional para Alegria no Trabalho
(FNAT), atual Inatel. Antes do 25 de Abril
foi diretor da Sociedade Filarmónica Timbre
Seixalense, onde se constituiu uma comissão
cultural antifascista. A leitura e a escrita estão
bem presentes na sua vida. Publicou este ano
o seu quarto livro, intitulado O Sótão. É ainda
autor das seguintes publicações: O Vocabulário
do Avô Adelino, editado em 2002; Andaatoque,
de 2015 e Da Boa Austeridade editado em
Fevereiro de 2016.

unisseixal

CSS | 24 de Março de 2017

6

A nossa baía vai ficar linda
Os moradores e comerciantes da zona ribeirinha da Baía do Seixal andam, há meses, com os nervos em franja. Nunca mais acabam as obras de
requalificação que estão em curso e que devem ser parcialmente inauguradas por altura das Festas de S. Pedro, nos fins de Junho. Segundo os
projetistas, nessa data, a baía do Seixal vai estar linda.
DR

Todavia, por agora, os moradores
continuam a ser confrontados com o
roncar dos motores das escavadoras,
o «pick, pick» dos martelinhos dos
calceteiros, as alterações ao trânsito por
todo o lado e as vedações impeditivas da
circulação dos peões. Contudo, segundo
os promotores da obra, este é o preço, que
todos têm que pagar para depois “da cara
lavada” viverem melhor efruirem de uma
paisagem ímpar, a da belíssima Baía do
Seixal.
Prioridade às bicicletas e aos peões
Para sabermos o que se passa,
estivemos à conversa com o arquitecto
Sérgio Oliveira, da Câmara Municipal
do Seixal, que nos foi revelando que
o objectivo da requalificação, com o
prazo de 8 meses e o custo previsto de
2.100.000,00 €, assenta em três projectos:
pedro filipe

Dar maior mobilidade aos utentes
daquela zona, através de alterações
ao trânsito, estimular a procura dos
restaurantes e outro comércio existente,
ajudar ao surgimento de novas iniciativas
comerciais. Em consequência, esta zona
tornar-se-á num lugar mais aprazível,
através da diminuição da velocidade de
circulação e do favorecimento do uso da
bicicleta.
Parte da marginal deixará de ter
circulação automóvel e vão ser plantadas
muitasde árvores, o que dará, ao local,
uma imagem de tranquilidade que “casa”
bem com a Baía.
Na rua Paiva Coelho, conhecida como
a rua do comércio, não vai ser diminuído
o estacionamento, pois sabe-se como ele é
importante para a actividade económica
de qualquer região.
No que concerne aos materiais
utilizados na pavimentação, fomos

isaac bento

informados que, por razões técnicas e
de embelezamento, foi dada preferência
a dois tipos de tijoleiras, dado serem
consideradas material bastante ajustado e
resistente.
Vale a pena esperar
Segundo nos revelou o arquitecto
Sérgio Oliveira, a obra já excedeu todos
os prazos previstos, uma vez que em
projectos e trabalhos desta natureza,
surgem, quase sempre, imponderáveis.
Assim, pede-se um pouco mais de
paciência aos moradores e comerciantes
da zona, porque depois, vai valer a pena
ver e usar os espaços que agora estão a ser
requalificados.
A obra, na sua globalidade, ainda não
tem prazo definido de conclusão, dado
terem surgido algumas condicionantes
relacionadas com aspectos arqueológicos

cecília rosado

joaquina curva

existentes na zona intervencionada.
Mas, tudo isso está a ser devidamente
acompanhado pelos técnicos da Câmara
Municipal do Seixal, que não vê a hora
de apreciar os seixalenses e os visitantes,
sentados nas esplanadas, gozando o sol e
a bebida fresca, frente às águas calmas da
baía, agora menos poluída, com a ajuda da
ETAR que afasta os mosquitos, deixando
o local mais acolhedor, moderno e onde
dará gosto viver.
Vamos estar cá para conferir!

Trabalho realizado pelos alunos
de jornalismo da UNISEIXAL.

josé luis miguel

DR

publicidade

CSS | 24 de Março de 2017

7

CULTURA

CSS | 24 de Março de 2017

8

Seixal associa-se à Hora do Planeta

opinião

A Câmara Municipal do Seixal irá desligar as luzes de dois edifícios municipais como forma de participar
mais um ano na Hora do Planeta
João Araújo

O que o poder disfarçou e a
comunicação social não revelou, é que
Jeroen Dijsselbloem é apenas um homem,
tão imperfeito e, ocasionalmente tão
idiota como qualquer outro. O ministro
holandês das finanças, que também
preside ao Eurogrupo, diz disparates. Dilos porque os pensa. E pensa-os porque
é idiota, pois pese embora disponha
de uma incomparável quantidade e
qualidade de informação sobre os mais
diversos temas, ainda assim produz
pensamentos idiotas. E como se não
bastasse sofre de incontinência verbal,
pois liberta aqueles pensamentos sob
a forma de palavras. Creio mesmo que
o espanto e revolta em torno das mais
recentes declarações deste sr. não resulta
do conteúdo das mesmas. Aliás, bem
vistas as coisas, aquilo que o holandês se
atreveu a dizer há muito que faz parte da
cultura popular portuguesa, que reserva
para os preguiçosos uma expressão
muito semelhante, ainda que um pouco
mais ácida. Façamos então a depuração
daquelas palavras e retiremos dali as
referências às mulheres. A conclusão
só pode ser uma: Jeroen Dijsselbloem
quis dizer que os do sul são preguiçosos,
tão preguiçosos como a cigarra da
famosa fábula da cigarra e da formiga,
alegadamente da autoria do grego Esopo
(provavelmente também este um grande
preguiçoso). E será que não tem razão?
Não me parece. Esse modo de vida a que
chama preguiçoso é característico do sul,
onde as condições de contexto são mais
difíceis e isso condiciona o resultado
produtivo. Mas também não tem razão
quanto ao alcoolismo. Está equivocado,
talvez mal informado ou mesmo
afectado na sua capacidade. Deveria, isso
sim, saber que o drama do consumo de
álcool fustiga violentamente os do norte,
para quem é hoje motivo de profunda
preocupação o crescendo dos indicies
de alcoolismo nas populações jovens,
particularmente femininas. Deveria
saber que em alguns países frios existem
mesmo serviços públicos estritamente
dirigidos à recolha de cidadãos
alcoolizados durante os fins-de-semana,
impedindo deste modo que sucumbam
por hipotermia. A este propósito leia-se
“…em alguns países europeus, os níveis
de consumo de bebidas alcoólicas entre
jovens do sexo feminino têm aumentado
de modo a que a prevalência no sexo
feminino de alguns comportamentos
relacionados com o consumo de bebidas
alcoólicas é igual ou mesmo superior à
encontrada nos jovens do sexo masculino
Em 5 países da Europa – Inglaterra,
Escócia, Finlândia, Noruega e Suécia
– a embriaguez é igual ou superior
nas raparigas; na Islândia os consumos
são semelhantes em ambos os sexos”
(MESTRADO EM EPIDEMIOLOGIA
da UNIVERSIDADE DO PORTO
- FACULDADE DE MEDICINA Sintomatologia Depressiva e Consumo
de Bebidas Alcoólicas em Adolescentes,
Isabel Pinto). Em suma, caiu o véu que
cobria Jeroen Dijsselbloem que é apenas
um homem comum, tão idiota quanto
um homem comum.

DR

O município do Seixal associa-se mais
uma vez à Hora do Planeta, uma iniciativa
mundial em que indivíduos, empresas,
governos e comunidades são convidados
a desligarem as suas luzes durante uma
hora, de forma a mostrarem o seu apoio à
ação ambientalmente sustentável.
Este ano, a Hora do Planeta decorre
amanhã, dia 25 de Março, das 20.30 às
21.30 horas. Durante essa hora, a Câmara
Municipal do Seixal irá desligar as luzes
de dois edifícios municipais: dos Serviços
Centrais, no Seixal, e dos Serviços
Operacionais, na Cucena, Aldeia de Paio
Pires.
Para além disso, no âmbito do
conceito «Faltam 60 noites para Hora
do Planeta», a autarquia compromete-se
ainda, em 2017, a dar continuidade às
auditorias energéticas nas escolas básicas
do concelho, bem como premiar, ao nível
local, o Edifício Amigo do Ambiente com
o Prémio Selo Verde.

Alunos do concelho participam na
marcha Seixal, Marés de Leitura
No próximo dia 30 Março, a partir das
9h30, cerca de 500 alunos participam na
marcha Seixal, Marés de Leitura, ao longo
da zona ribeirinha, entre a Escola Básica
Paulo da Gama, em Amora, e o Parque

DR

da Quinta dos Franceses, no Seixal. Nela
vão participar alunos dos vários ciclos de
ensino e respetivos professores que, ao
longo do percurso, farão três paragens
para várias leituras. No final da marcha,
no Parque da Quinta dos Franceses,
com a Biblioteca Municipal do Seixal
como pano de fundo,
os alunos irão ler um
«Manifesto à Leitura».
Esta iniciativa tem como
finalidade a de promover a
importância do

livro, da leitura e das bibliotecas escolares
na formação de crianças e jovens e o
envolvimento dos alunos nas suas diversas
atividades é o objetivo da marcha Seixal,
Marés de Leitura.
A iniciativa, que decorre no âmbito
da 11.ª edição da Semana da Leitura,
resulta de uma parceria entre a Câmara
Municipal do Seixal, através do Serviço
de Apoio às Bibliotecas Escolares, e a rede
de bibliotecas escolares do concelho.

Publicidade

cultura

CSS | 24 de Março de 2017

9

a casa capaz

universo paralelo

É um projeto nascido da paixão partilhada por duas irmãs pela pedagogia Montessori, espaço situado na
zona antiga do Seixal com uma bonita vista sobre o rio e onde muitas atividades acontecem regularmente
num ambiente acolhedor que nos faz querer por lá ficar e usufruir tranquilamente de uma oferta tão
cuidada.

Publicidade

Trança, é uma marca portuguesa de
pastelaria artesanal que nasce e vive da
vontade de dois jovens de criar e inovar
apresentando produtos feitos segundo
métodos tradicionais onde o empenho e
o amor se sente a cada dentada.

DR

No Seixal há um mercado mensal onde
marcas portuguesas se apresentam num
conceito de porta aberta à descoberta e
ao convívio próximo: O Domingo de
Bazar na Casa Capaz, é um programa
a não perder. O Domingo de Bazar,
reúne mensalmente uma mão cheia de
marcas nacionais altamente inspiradoras
e muitas delas apenas com presença
online, neste Domingo de Bazar dá-se a
oportunidade de conhecer de perto, não
só os produtos mas quem os faz e algumas
vezes até a forma como são feitos. Além
do formato de mercado, no Domingo
de Bazar encontram também propostas
de actividades e espaços de conversa
para miúdos e graúdos. No próximo
Domingo de Bazar, agendado para 26 de
Março, entre as 11h e as 17h vamos poder
encontrar: Feliz quem diz, uma marca
de artigos diversificados com a missão de
nos tornar mais felizes; canecas, ardósias,
sacos de pano entre outros são os artigos
onde a designer Susana coloca a sua
criatividade e de forma original nos faz
querer ter na nossa vida uma peça feita
por ela.
Nheko, uma loja online que está ligada
a um projecto centrado na vida em família
e que apresenta uma selecção variada de
artigos que vão desde os brinquedos, aos
livros, artigos para a casa e em primeira
mão vai apresentar uma gama limitada de
roupa para criança.

OVO shop resulta da necessidade
de sintetizar num só sítio produtos de
qualidade certificada e experienciada.
Famílias que procuram apoio e suporte
nas suas escolhas, baseadas no vínculo,
apego e felicidade, caminhando para
uma parentalidade positiva e consciente,
nunca perdendo de vista a consciência
ecológica e coletiva."
Marilisa
Mesquita
Handmade,
apresenta um conjunto de produtos
originais desde ilustrações, carimbos e
cadernos artesanais.
Lua de Algodão, uma marca nacional
de bonecos, almofadas e outros artigos
feitos à mão, costura e crochet é o
grande amor desta Lua de Algodão que

personaliza os seus trabalhos bem à
medida e goste de cada cliente.
Angus & Magee, uma loja de malhas,
lãs e fios naturais. Artigos feitos à mão,
tradicionais e únicos.
Neste dia 26 de Março, no Domingo de
Bazar da Casa Capaz vão poder também
aprender a feltrar artesanalmente, com a
Nheko e ficar a saber tudo sobre fraldas
reutilizáveis com a Organii, uma grande
marca com a qual partilhamos uma
filosofia de vida e preocupações, a Organii
foi a primeira empresa especializada em
cosméticos biológicos em Portugal, neste
momento tem várias lojas pelo país, um
SPA e uma linha bebé.
O Domingo de Bazar na Casa Capaz
é mais do que uma boa desculpa para ir a
Seixal, apreciar a bonita vista sobre o rio,
passear nas ruas pitorescas e comer num
dos muitos restaurantes bem tradicionais
do local. Prometemos-lhe uma experiência
enriquecedora e adaptada a toda a família.
As próximas datas do Domingo de Bazar
são 30 de Abril, 28 de Maio e 25 de
Junho, sempre entre as 11h e as 17h, no
Seixal.

Dário S. Cardina Codinha

As flores roubadas
Este ano a Primavera chegou no dia
20 de Março, pelas 10:29 (coisas da informação astronómica ao alcance da população geral). Mas antes disto, no dia
19, acordei com a esperança de ver o jardim com mais flores. Com surpresa reparei que o jardim tem menos flores do
que no dia anterior. Como não ocorreu
qualquer episódio de ventos fortes, decidi investigar a causa. Vi um caminho na
relva que ia dar, precisamente, a algumas
plantas que já não possuíam flor. Estava,
obviamente, fora de questão que fossem
OVNIs e, então, pensei em motivos terrenos: "mas a Chilly e a Inka (as minhas
cadelas) andam a comer flores?", pensei.
A Chilly come paus e pedras e a Inka não
liga a flores. Passados alguns minutos a
olhar para as ex-plantas-floridas, ouvi
um ruído para lá da esquina da casa, são
passos a correr. Fui verificar e, sabem o
que aconteceu? Não cheguei a tempo.
Então, dei mais uma volta à casa e desta vez, lá na esquina da casa vislumbrei
um calcanhar e uma mão cheia de flores
e alguns troncos, tudo meio amassado.
Ouvi a corrida e uma voz a gritar "mamãaaa! Toma, flores". Naquele dia 70%
das flores do jardim desapareceram. A
causa? Uma menina de 21 meses que
insistia em ir buscar flores para dar à
mamã...

Saúde

CSS | 24 de Março de 2017

10

VARICOCELO
O Varicocelo é um síndrome anatómico de varizes escrotais. Geralmente à esquerda, por razões anatómicas,
devido ao refluxo de sangue da veia renal na veia espermática, por insuficiência valvular. Pode desenvolver-se
num testículo ou em ambos, mas em 85 a 95 % dos casos envolve o testículo esquerdo. Trata-se de uma patologia
benigna, congénita, atingindo cerca de 10 a 20 % da população masculina e desenvolvendo-se após a puberdade.
A principal característica é a dilatação
das veias que drenam o sangue da região
dos testículos, provocando ainda a
acumulação de substâncias nocivas para
o órgão e o aumento da temperatura
local, levando a uma diminuição na
produção dos espermatozóides. A maioria
dos homens convive com a doença sem
problemas, e apenas 15% terão a sua
fertilidade comprometida, muitas vezes
só detectada quando o casal pretende ter
filhos.
Fisiopatologia
Cada grupo de veias escrotais juntamse e formam, no abdómen, a chamada veia
espermática, sendo uma do lado direito
e a outra do esquerdo. A veia direita
percorre em sentido oblíquo até à veia
cava, facilitando a drenagem do sangue,
enquanto que a veia espermática esquerda
desemboca perpendicularmente na veia
renal esquerda, formando um ângulo
de 90 graus. Esse ângulo, associado ao
calibre reduzido da veia renal, dificulta
a passagem do sangue, explicando-se
assim a maior incidência de varicocelo
no lado esquerdo. Quando acontece
do lado direito é provável que a doença
se manifeste dos dois lados, ou será de

DR

sintomas, sendo diagnosticado o
varicocelo em exames físicos de rotina.
Dor testicular;
Sensação de peso do(s) testículo(s);
Infertilidade;
Atrofia do(s) testículo(s);
Varizes escrotais visíveis ou palpáveis
Diagnóstico

excluir outra patologia associada.
A doença manifesta-se através da
falência ou deficiência das válvulas
existentes na veia testicular. Estando em
perfeito funcionamento, o sangue passa
pelas válvulas impedido de retorno. O
que provoca a má drenagem do sangue
é a deficiência, pois a acumulação nos
testículos força de maneira acentuada as
veias, provocando a dilatação.
O esforço intenso, tal como a prática de
musculação, com o aumento intenso da
pressão intra-abdominal poderá também
facilitar o aparecimento de varicocelo.
A maioria dos homens não apresenta

O diagnóstico do varicocele é
habitualmente clínico, pela palpação do
cordão espermático. Pequenos varicocelos
podem ser detectados por Eco-Doppler,
Termografia ou Venogramas. Quando
o doente é observado por infertilidade o
espermograma é de maior importância,
revelando uma baixa contagem de
espermatozóides, baixa motilidade e
alterações da morfologia,
(Oligoastenospermia).

Dr. Jorge Neves

é forçada a drenagem do sangue para
outras veias da região pélvica;
Cirurgia laparoscópica: com ajuda de
câmara intra-abdominal;
Embolização: procedimento não
cirúrgico.
Prognóstico
A taxa de cura com a cirurgia varia de
80 a 95 %. Os doentes com recidiva de
varicocelo poderão ser reoperados. Após
a cirurgia 2 a 5 % dos doentes poderão
desenvolver um hidrocelo, situação
benigna caracterizada por acumulação de
líquido à volta do testículo.
Cerca de 50 % dos homens operados
por infertilidade conseguem ter um filho
após 1 ano. Recomenda-se a realização
de espermogramas aos 3 e 6 meses após
a cirurgia.

Tratamento
Cirurgia:
recomendada
sempre
que haja dor, atrofia testicular ou
por infertilidade. Por vezes chamada
“varicocelectomia”, consiste na laqueação
das veias espermáticas a nível da zona
inguinal ou nos quadrantes inferiores do
abdómen. A veia testicular interrompida,
DR

Celidónia

"a erva betadine"
O ilustre Maurice Mességué, para além
de famoso fitoterapeuta, era também,
subsidiariamente, “maire” de um pequeno
município do Gers (Pirinéus franceses).
Os seus livros, de que se encontram
traduzidos em português, pelo menos
dois, “Homens e Plantas” e “A Natureza
tem Razão”, continuam a entusiasmar
os leitores. De facto, Mességué foi
igualmente um extraordinário escritor.
Vem isto a propósito da planta que
ele considerava mais importante para os
tratamentos dos numerosos doentes que o
procuravam, muitos deles já desenganados
na medicina alopática.
De resto, é sabido que cada ervanário
ou fitoterapeuta tem a sua planta
preferida, ou seja aquela com a qual mais
se identifica.
De entre as suas “simples”, Mességué,
colocava a celidónia nos píncaros.
Após ter lido alguns dos seus trabalhos,
fiquei com imensa curiosidade de
conhecer a tal celidónia, ou quelidónia,
como também a apelidam.
Já tinha memorizado a sua configuração
física mas, a despeito de ser uma planta
muito comum e vulgar, segundo referia
Maurice, eu nunca a tinha visto. Não
era seguramente uma planta da minha
região, na qual, mais ou menos, mantenho
alguma intimidade com todas as ervas
espontâneas.
Devo dizer que andei, tempos
infindos,
quase
obcecado,
para
encontrar a celidónia. Até que um dia,
já lá vão quarenta anos, fui a uma festa
de aniversário da empresa Bouygues,
onde um dos meus primos trabalhava,

Miguel Boieiro

nos arredores de Paris. Depois da fina
comezaina (foi a primeira vez que comi
salmão, nessa altura raro em Portugal),
começou o baile. “Pé de chumbo”, como
sempre fui, escapuli-me para uma mata
próxima onde me entretive a observar a
abundante flora silvestre. Nisto, surge,
perante os meus olhos, uma planta
que me era desconhecida. Analisei-a e,
quase por instinto, cortei uma das suas
folhas que imediatamente brotou uma
seiva amarela. Então, pela descrição há
muito memorizada, logo concluí que,
finalmente, tinha descoberto a tão famosa
celidónia. Fiquei eufórico.
Apanhei um grande ramo e entrei no
baile gritando para a minha mulher Manela! Encontrei a celidónia! -. Toda
a gente ficou a olhar para mim com ares
interrogativos e só então me dei conta da
“barraca” que estava a dar.
Familiarizei-me depois com a minha
amiga Celidónia (posso escrever com
maiúscula?) e passei a apaparicá-la
sempre, no meu jardim.
A celidónia, Chelidonium majus L, é
uma vivaz da família das Papaveráceas que
se dá em terrenos sombreados e frescos,
sendo muito abundante no norte do País.
Cresce, sobretudo, em entulheiras, muros
arruinados e zonas pedregosas.
Possui um rizoma carnoso donde
saem talos tenros que chegam a ter 80
cm. As folhas são lobadas, verde-claras e
levemente azuladas na página inferior. Os
talos apresentam-se vilosos, cilíndricos
e quebradiços deitando um suco de cor
amarela, mas que logo passa a alaranjado
em contacto com o ar. As bonitas flores,

de um amarelo brilhante, compõem-se de radiestésicas, evitam tocar-lhe. Não
quatro pétalas em cruz. Têm numerosos parece, portanto, haver perigo.
estames e frutificam numa vagem com
Em homeopatia é utilizada pelos
sementinhas castanhas.
especialistas mais experientes, mas em
doses infinitesimais.
O nome “Chelidonium” provém
do grego e significa andorinha, talvez
Não quero responsabilidades. Fica bem
porque a floração costuma coincidir com esclarecido de que toda a planta é venenosa
a chegada daquelas aves migratórias. Por e que só pode ser usada em alcoolaturas,
isso, também se chama erva-andorinha, tratamentos por osmose, cataplasmas,
ou ainda, erva-das-verrugas. Este último banhos ou aplicações diretas da planta
nome indicia uma das suas aplicações fresca. Os resultados, em quaisquer dos
mais populares.
casos, são excelentes, como tenho vindo
Com efeito, o látex da celidónia cura a comprovar por experiência própria e das
admiravelmente verrugas, herpes, calos e pessoas que me são chegadas.
feridas cutâneas.
Atribuem-lhe também propriedades
Há três anos, fiz uma alcoolatura (com
antiespasmódicas,
hipotensoras
e álcool a 60 graus), quando estive nas
purgativas, entre outras.
termas de S. Pedro do Sul, região onde a
A planta é muito forte, contendo, pelo celidónia abunda. Ainda dura. Utilizo-a
menos, dez alcalóides. Tal significa que é sobretudo, como desinfetante cutâneo e
bastante tóxica e em doses mais elevadas resulta muito bem.
chega a ser mortal. Portanto, nunca a
Para terminar, direi como Mességué,
devemos usar para usos internos, isto é, “a celidónia faz chorar o homem que vai
para infusões. Há quem diga que basta morrer e cantar o que vai curar”.
80 g da raiz fresca (a parte mais tóxica)
Cuidado com esta planta de forte
para matar um cão. No entanto, todos “personalidade”!
os animais, mediante as suas qualidades

gastronomia

CSS | 24 de Março de 2017

11

RECEITA:
Salada de macarrão com atum
DR

Preparação:
PASSO 1:
Cozinhe a massa "al dente" conforme
instruções da embalagem.
PASSO 2:
Retire o atum da lata e amasse com um
garfo.
Misture o atum à massa pronta e
tempere com sal, pimenta e salsinha,
misture bem.
Por último adicione a maionese já
previamente misturada com o iogurte e
está pronta uma ótima salada.
Esta salada é para ser saboreada fria.

Publicidade

Ingredientes:







250g de macarrão
1 lata de atum em conserva
1 colher de sopa de maionese (se
preferir pode usar light também)
1 colher de sopa de iogurte natural
Sal e pimenta a gosto
Salsinha a gosto

entrevista

CSS | 24 de Março de 2017

12

"Um beijo
na Feira de Castro"
O concelho do Seixal é um concelho
de cultura musical e literária. Sendo
um alentejano da diáspora tem a
noção do seu contributo para esse
enriquecimento cultural?
Como a sua pergunta refere, o Alentejo
foi de facto o meu berço e o chão dos
primeiros passos. O grande Monte onde
nasci (freguesia de Lavre onde Saramago
escreveu – Levantado do Chão) era rota
da transumância de marchantes, malteses
e tribos ciganas que cantavam às portas
do Monte a troco de uma côdea de
pão. Os ranchos de rapazes e raparigas
alentejanos e ainda outras gentes que
vinham das Beiras para os trabalhos das
ceifas e mondas, deixavam no ar cantigas
que muito cedo aprendi. O meu pai
tocava armónio e aos serões, na nossa
casa, era frequente desarrumar a mesa
elástica e as quatro cadeiras para dar
espaço a bailes improvisados. Foi neste
ambiente que cresci e cresceu comigo o
gosto pela música. Respondendo agora
mais concretamente à sua pergunta, devo
dizer sem falsas modéstias, que algum
contributo terei dado ao longo de todos
estes anos para o enriquecimento da
cultura concelhia. Se esse contributo foi
suficientemente reconhecido, não sei nem
me preocupa muito. O que sinto é que
tenho recebido muita estima e simpatia,
talvez alguma admiração, por parte das
pessoas com quem tenho trabalhado,
como acontece com o meu projecto “Artes
do Barulho” na Universidade Sénior do
Seixal.
Os contactos que criou na
Margem Sul com alentejanos do Sul
e as recíprocas trocas de impressões,
enriqueceram este criativo CD?

DR

Devo dizer que não só enriqueceram,
como de alguma maneira marcaram a
forma como idealizei e estruturei este meu

trabalho: “Um beijo na Feira de Castro”.
Muito aprendi com os BaixoAlentejanos. Desde logo porque fiz tropa
em Beja no ano de sessenta e oito e tendo
algumas qualidades vocais, rapidamente
integrei os grupos espontâneos que
se juntavam nas casernas cantando à
alentejana. Mais tarde, já no Seixal,
sobretudo na “Tasca do Banha” na Cruz
de Pau, eu e outros alentejanos juntávamonos com frequência para cantar, trocar
experiências, aprender modas novas
uns com os outros, recordando as mais
antigas, sempre a matar as saudades e a
tentar descobrir se o canto morava dentro
de um copo de vinho, como digo numa
cantiga do Disco.

gaita-de-foles e várias percursões mercê
da experiência dos grupos por onde passei
e onde era preciso tocar ou dar um jeito
em vários instrumentos. Devo dizer no
entanto, que estou longe de me considerar
um bom instrumentista, até
porque a diversidade prejudica
o virtuosismo.
O cavaquinho é o
instrumento onde me sinto
mais à vontade e dos que mais
gosto de tocar.

Dentro de uma personalidade
tão multifacetada, em qual se
sente mais realizado? No letrista,
no compositor, no cantor ou
Este meu trabalho a solo é naturalmente predomina a homogeneidade?
o resultado de todas as minhas vivências,
enquanto tocador e cantador mas, não é
Bom, começo por dizer que as minhas
do Alto nem do Baixo Alentejo. Desde composições são simples e confesso que
logo, porque é um disco de cantigas de as faço de ouvido, sem ter em conta
autor e não um disco de cante tradicional. técnicas de composição, que de resto
não domino. Como letrista penso
Reconheço no entanto, que todos que os poemas que suportam as
os poemas respiram Alentejo, (foi minhas músicas terão conteúdos
propositado) e do ponto de vista das bastante apreciáveis, para quem
sonoridades não desdenha alguma raiz os quiser escutar com mais critério.
tradicional do Sul.
Também penso que da simbiose entre
estes dois factores, resultam cantigas bem
conseguidas, tendo em conta os ecos que
Que idade tinha quando tocou o me vão chegando.
primeiro instrumento e em qual deles
se sente mais à vontade?
Para acabar de responder à sua
questão... Não me considero cantor,
Com sete ou oito anos já tocava configura um tipo de “artista” com o qual
harmónica bocal (vulgo gaita de beiços) não me identifico. Prefiro considerar-me
a caminho da escola. Depois de muito um cantador, porque é mais popular,
insistir, o meu pai comprou-me uma está mais de acordo com a área musical
“honner” na feira, que era a marca mais onde me movimento e onde ao gosto de
consagrada na altura. Reproduzia com cantar as cantigas tradicionais, alio o
facilidade as modas e cantigas que ía gosto de cantar aquelas que eu próprio
ouvindo aos mais velhos ou nos bailes.
vou compondo.
Hoje toco um pouco de guitarra,
cavaquinho, concertina, flautas artesanais,

DR

António Pontes nasceu no Lavre concelho de Montemor-o-Novo e desde muito cedo dedicou-se à música. Professor do Ensino Secundário
aposentado, editou recentemente um CD que tem por título "Um beijo na Feira de Castro".

O que mais o satisfaz: ser o líder
do grupo musical ou incutir nos seus
alunos quer jovens ou seniores, o gosto
pela criatividade?
Não sou um professor de música
naquilo que geralmente se entende como
tal. Sou antes, um criador de projectos
ligados a essa área, em que naturalmente
a música está presente sem resultar numa
aprendizagem de teoria e práticas musicais
de base que, de todo não saberia ensinar.
Dito isto, gosto de liderar os projectos
que idealizo e ponho em prática
procurando naturalmente desenvolver as
aprendizagens dos meus alunos, tendo em
vista todas as competências.
Baseando-se nestas questões como
se define?
Defino-me um criativo, um amador
apaixonado pela música, que não fazendo
dela um modo de vida, a utiliza como
uma ferramenta de aprendizagem, de
convívio, de partilha, de exercício cultural
e de liberdade.
A Feira de Castro é mítica para nós,

alentejanos. Para além das coisas boas
que lá compramos há aquele ruralismo
que nos deixa a alma lavada. Também se
sentiu elevado por essa mística?
A Feira de Castro é uma feira
centenária, cheia de tradições e cultura,
local de encontro anual, cantigas à viola
campaniça entre um mundo de outra
coisas, que reflectia ou ainda reflecte o
sentir e os costumes das gentes do baixoalentejo. Ao longo dos anos fui ouvindo
várias histórias desta feira mítica como
disse. A cantiga “Um beijo na Feira de
Castro” foi inspirada num tempo passado
em que um maltês procura encontrar uma
moçoila por quem se apaixonou num
baile de mastro e lhe prometera um beijo
se o encontrasse na Feira. Pareceu-me ter
força suficiente para dar o nome ao CD,
porque é uma cantiga bonita, que fala
de um romance e que melhor sítio para
concretizar um encontro de amor, que a
Feira de Castro no coração da charneca
alentejana. Gostaria de acrescentar que
o sucesso deste CD, também se deve aos
músicos de primeira água com quem
trabalhei, como sejam: João Soares nas
guitarras, Guilherme Cruz no oboé, Jorge
Miguel nos arranjos e teclados, Vitor
Cruz no bandolim e Guilherme Banza
na guitarra portuguesa. Deixo a todos
um abraço de agradecimento bem como
aos muitos amigos que me ajudaram no
projecto.
Para terminar, dizer que o CD “Um
Beijo na Feira de Castro” ainda não está
à venda no circuito comercial pelo que
a sua aquisição pode ser feita através do
tm – 963004649 ou através do email –
antoniopontez@sapo.pt

Maria Vitória Afonso

A

Agenda
Agenda

13

Bailarinos, Atores, Músicos
e Criadores de Vídeo

Zbigens

Este Sábado, dia 25 de
Março, das 16h às 2h no Bar
Contraste em Sesimbra, o
humorista e apresentador
Fernando Alvim, criador do
programa da Antena 3 Prova Oral, é o padrinho da segunda edição do Zbigens
– Fórum Local de Juventude. O evento tem início com
um debate aberto sobre a
juventude de Sesimbra, e
inclui ainda uma mostra de
diversas expressões artísticas e desportivas juvenis,
atuações dos MGboos, Da
Scum e Flow In, um concerto dos Medvsa e uma
after party, com os DJ Yuri
Loopez e Ninja Kore.
DR

Publicidade

CSS | 24 de Março de 2017

DR

No próximo Domingo,
dia 26 de Março de 2017,
das 14h às 17h a audição
de Bailarinos, Atores, Músicos e Criadores de Vídeo no
Cineteatro Municipal João
Mota em Sesimbra. Os selecionados vão integrar a residência artística Compota,
que decorre de 24 a 28 de Abril no Cineteatro. A tua carreia,
pode começar aqui.

Zimbr`Arte

Visita ao Centro
Distribuidor
de Água
da Cruz de Pau
Amanhã, dia 25 de Março, pelas 9h45 uma visita
ao Centro Distribuidor de
Água da Cruz de Pau. O
Centro Distribuidor da Cruz
de Pau abastece uma população estimada de 41
200 habitantes. É constituído por uma central elevatória e de desinfeção
de água, dois depósitos
apoiados, um depósito elevado e é abastecido por
quatro captações de água
subterrânea.

DR

Amanhã, Sábado, das 10h
às 18h na Praça da California
em Sesimbra a feira das Artes
e do Artesanato. Bijuteria,
acessórios, pintura, tecidos
ou peças de decoração
confecionadas em materiais
tão diferentes e originais
como cortiça, conchas,
estanho, madeira, cabedal ou flores secas, são uma pequena
amostra do que pode ver, experimentar e adquirir na Zimbr’Arte.
Promover a atividade artesanal local, regional e nacional.

DR

DR

Ação
de Formação:
Hortas
de Varanda
Amanhã, dia 25 de Março, às 9h no centro de Recursos do Movimento Associativo - Rua Quinta N.ª
Sr.ª do Monte Sião 1, Torre
da Marinha, Seixal decorre a Ação de formação no
cultivo em casa de legumes
biológicos, ervas aromáticas ou flores. Os materiais
mais indicados para construir uma horta em casa.
Seleção de espécies e produção de alimentos.

lazer

CSS | 24 de Março de 2017

12
14
14

DESCUBRA AS 9 DIFERENÇAS

cinema

O NOSSO SEIXAL...

A Idade das Sombras

ORIGINAL

24 a 30 de Março

Carneiro

21-03 a 20-04

Amor: Demonstre, com mais entusiasmo, as suas
emoções. Procure não ter discussões com o seu companheiro. Não entre em conflitos desnecessários.
Saúde: A sua vitalidade estará à vista de todos, mas
tenha calma.
Dinheiro: Reflita sobre a sua vida profissional, poderá ser o
momento ideal para reciclar os seus conhecimentos.
Números da Semana: 4, 7, 1, 25, 36, 9

Touro

21-04 a 21-05

Amor: Não deixe transparecer tanto os seus ciúmes e fraquezas, poderão afetar a sua relação.
Saúde: Poderá sentir algum desgaste físico. Tenha cuidado
com as mudanças de temperatura.
Dinheiro: Poderá surgir uma oportunidade de obter rendimento extra, através de um part – time.
Números da Semana: 22, 36, 3, 2, 1, 20

Gémeos

21-04 a 21-05

Amor: Tenha cautela, não deixe que a sua vida amorosa caia
na rotina.
Saúde: O seu sistema nervoso poderá estar mais abalado, refletindo-se no funcionamento do seu organismo.
Dinheiro: Altura propícia para enfrentar novos desafios. Não
seja conformista, avance.
Números da Semana: 47, 45, 41, 40, 2, 5

ALTERADO

Caranguejo

21-06 a 23-07

dr

Amor: Esta semana estará disposto a fazer de tudo para
agradar a sua cara-metade. Existirá um clima favorável ao
diálogo e ao romance.
Saúde: Tudo correrá pelo melhor devido ao seu otimismo
e confiança.
Dinheiro: Por influência de terceiros poderão surgir
alterações neste domínio. Para cumprir os seus objetivos, vai
ter que se esforçar a duplicar.
Números da Semana: 8, 5, 2, 3, 6, 9

Sudoku

Leão

Agentes da resistência coreana, embarcam
numa missão secreta para contrabandear
explosivos que permitam atacar o exército japonês,
e um talentoso agente da polícia japonesa, natural
da Coreia, enfrenta um dilema entre a realidade e
o desejo de ajudar uma causa maior.

Virgem

Ao Vivo no Theatro
Circo (2CD)

24-08 a 23-09

Amor: É prioritário que deixe de exigir tanto do seu par. Não
se tem dado o devido valor, deve acreditar mais em si, e ver
que é uma pessoa com muito valor.
Saúde: Não se prive de pequenos prazeres apenas porque
deseja ter uma boa aparência física.
Dinheiro: Não fique triste se não conseguir atingir o
sucesso que merecia profissionalmente. Para atingir os
seus objetivos deverá trabalhar com mais afinco.
Números da Semana: 1, 4, 5, 2, 3, 36

Balança

música

24-07 a 23-08

Amor: Tente não ser tão possessivo e dominador, para
poder reencontrar o equilíbrio que a sua relação necessita
neste momento.
Saúde: Aja com prudência, não exceda os seus limites físicos.
Dinheiro: A sua vida financeira encontra-se num período francamente positivo.
Números da Semana: 1, 4, 7, 10, 41, 2

24-09 a 23-10

Amor: Boas perspetivas neste campo, continue a investir. Aproveite bem este período pois goza um momento favorável.
Saúde: Aprenda a controlar os seus nervos, será benéfico para si.
Dinheiro: Invista na organização para melhorar a funcionalidade do seu departamento.
Números da Semana: 5, 25, 14, 17, 19, 3

Escorpião

24-10 a 22-11

Amor: Respeite a forma de expressar os sentimentos da
sua cara-metade. Deverá falar abertamente com aqueles
que ama, não se iniba a expor os seus sentimentos.
Saúde: Tendência para se sentir um pouco depressivo.
Dinheiro: Deverá agarrar todas as oportunidades que lhe
vão surgir, esteja sempre de olhos bem abertos.
Números da Semana: 6, 36, 35, 2, 12, 10

Sagitário

23-11 a 21-12

Amor: Favoreça a sua relação através do carinho e do
companheirismo.
Saúde: Controle melhor os seus horários de sono.
Dinheiro: Aposte na disciplina e motivação para atingir
os seus fins. Obterá benefícios se cultivar o relacionamento interpessoal.
Números da Semana: 5, 4, 10, 23, 26, 29

SOLUÇÃO

dr

Capricórnio

Para o encerramento das comemorações
do seu 100º aniversário o Theatro Circo
de Braga convidou os Mão Morta para
o espetáculo que se apresenta em CD.
OS Mão Morta lançaram o desafio ao
Remix Ensemble de Telmo Marques para
desenvolverem arranjos e orquestrações para
parte do reportório da banda. O resultado
final é verdadeiramente mágico e arrepiante
com 14 temas dos Mão Morta a ganhar uma
dimensão ainda mais épica!

22-12 a 20-01

Amor: Arrisque mais no amor, pode ser que se surpreenda.
Lembre-se que só gozará de uma maior felicidade se for
mais aberto a revelar os seus desejos à sua cara-metade.
Saúde: Poderá andar com o ritmo cardíaco muito
acelerado.
Dinheiro: Evite entrar em confrontos com um colega.
Números da Semana: 6, 2, 3, 14, 17, 11

Aquário

21-01 a 19-02

Amor: Não ponha em causa a sua relação por coisas de
pouca importância. Seja mais afetuoso.
Saúde: O seu aparelho digestivo poderá estar mais vulnerável.
Dinheiro: Ouça com mais atenção a opinião dos seus colegas. Deve gerir bem os seus negócios se não quer ter surpresas desagradáveis.
Números da Semana: 13, 15, 26, 30, 6, 5

Peixes

20-02 a 20-03

Amor: Esta poderá ser uma semana muito intensa a
nível do romantismo e da aventura.
Saúde: Psiquicamente poderá sentir-se cansado.
Tenha mais atenção ao seu sistema nervoso, não deixe
que o stress tome conta de si.
Dinheiro: Momento favorável para aplicações financeiras.
Números da Semana: 5, 7, 41, 10, 20, 30

desporto

CSS | 24 de Março de 2017

11
15

No passado fim-de-semana, dias 18
e 19 de março, seis ginastas do Centro
Cultural e Recreativo do Alto do Moinho
(CCRAM) participaram no Torneio
Nacional José António Marques, uma
prova sob a égide da Federação de
Ginástica de Portugal que teve lugar no
Centro de Alto Rendimento de Anadia.
Participaram na competição 37 clubes
nacionais.
A ginasta Bruna Vitorino, do escalão
juvenil, pontuou na especialidade de
Trampolim Individual com vista à
participação no Campeonato do Mundo
por Grupos de Idades (CMGI) que terá
lugar em novembro próximo na Bulgária.
Classificou-se em 4º lugar com 83,195 ptos
sendo o mínimo exigido para participação
no CMGI a pontuação de 82,000 ptos.
Em Trampolim Sincronizado, apesar do
3º lugar obtido, a pontuação mínima
ainda não foi conseguida.
Na especialidade de Trampolim
Individual, participaram 3 ginastas do
escalão juvenil. Para além da Bruna
Vitorino, Madalena Pegacha obteve o 31º
lugar com 72,125 ptos, e Diogo Palma
classificou-se em 10º lugar com 77,185
ptos. No escalão Open Júnior, Sara
Ribeiro ocupou a 21º lugar com 64,434
ptos.
Na
especialidade
de
Duplo
Minitrampolim, destaque para Sofia
Lourinho (também do escalão juvenil)
que se classificou em 5º lugar com
Publicidade

Canta! Leva ao palco o
sonho de 9 finalistas
DR

60,500 ptos (com nota de dificuldade de
4,1 ptos) e obtém pontuação para bolsa
de mérito do CCRAM para participação
no Campeonato Nacional. Diogo Palma
obteve a 15ª posição com 48,800 ptos.
Na especialidade de Tumbling, Ryan
Bá obteve o 7º lugar com 57,400 ptos.
Destaque para a 2ª série deste ginasta
que obteve 30,700 ptos (segunda melhor
pontuação da prova).
Foi uma boa participação do CCRAM
com alguns ginastas a revelarem todo o
seu potencial. Parabéns por isso!

A grande final do Canta! – Concurso Interescolas de Talentos Musicais
tem lugar no Auditório Municipal do Fórum Cultural do Seixal, hoje dia
24 de Março, às 21.30 horas, e contará em palco com a voz e o sonho
de nove finalistas. A entrada é livre.
Após uma semana de eliminatórias,
que decorreram no início de março pelas
escolas secundárias do concelho, são nove os
escolhidos para encantar a plateia e convencer
os jurados que são a melhor voz desta edição.
A apresentação estará a cargo dos alunos
Telmo Antunes e Bárbara Lemos, da Escola
Secundária João de Barros,
vencedores também do
concurso para apresentar
este espetáculo.
O Canta! Contará
ainda com um momento
musical levado ao palco por
Joana Mestre, a vencedora
da edição anterior, e
outro de animação da
responsabilidade
do
grupo de dança GRO.
BROTHER, participantes da iniciativa A
Rua Dança e alunos da Escola Secundária de
Amora.
Durante esta semana os finalistas do
Canta! estão a receber o apoio de músicos
profissionais nos ensaios das suas atuações,
que os irão ajudar a preparar-se para a noite da
final onde irão cantar ao vivo e acompanhados
por uma banda.
Os Finalistas deste concurso interescolas
são; Escola Secundária Alfredo dos Reis
Silveira, Ana Rita e Margarida Fernandes,

da Escola Secundária de Amora, Edvender
Cardoso, da Escola Secundária Dr. José
Afonso, Ariana Rodrigues e Jonas David, da
Escola Secundária João de Barros, Mariana
Chaves e Sofia Pereira e, da Escola Secundária
Manuel Cargaleiro, Leonor Serôdio e Mónica
Vilhena.

DR

Ginastas do CCRAM
brilham em Anadia

O Canta! resulta de uma organização das
associações de estudantes e está integrado
no Março Jovem Seixal É MOJI, que pode
ser seguido através do Facebook, Instagram,
Twitter, Soundcloud e no WhatsApp. Para
adicionar no WhatsApp basta enviar a
mensagem «EMOJI» para+351 932 780 157
para ficar a par de todas as novidades da
programação, acompanhar os teasers, assistir
aos diretos, com as imagens, as vozes, os sons
e os movimentos de todos os que fazem parte
do mês da juventude no Seixal.

Publicidade
16
16

CSS | 24 de Março de 2017


Documentos relacionados


Documento PDF comercio 322
Documento PDF comercio 349
Documento PDF comercio 323
Documento PDF comercio 351
Documento PDF comercio 329
Documento PDF comercio 347


Palabras claves relacionadas