Comércio 337 .pdf



Nombre del archivo original: Comércio 337.pdf

Este documento en formato PDF 1.5 fue generado por Adobe InDesign CS4 (6.0) / Adobe PDF Library 9.0, y fue enviado en caja-pdf.es el 19/05/2017 a las 21:58, desde la dirección IP 85.242.x.x. La página de descarga de documentos ha sido vista 1308 veces.
Tamaño del archivo: 7.1 MB (16 páginas).
Privacidad: archivo público



Vista previa del documento


Preço: 0,01

Publicidade

Semanário | Sábado | 20 de Maio de 2017 | Ano X | N.º 337

Publicidade

Director: Fernando Borges
DR

Reinauguração

da Casa do Educador

PÁG. 3

ESCOTEIROS DE
CORROIOS

ANIVERSÁRIO
DAS CIDADES

DIA DOS MUSEUS

LIVRO DE AUGUSTA
RODRIGUES

O Grupo 242 dos Escoteiros de
Corroios celebraram o seu 6º aniversário e inauguraram a tão desejada sede
situada em plena Avenida da Fábrica da
Pólvora, numa festa que contou com
centenas de pessoas.
Pág. 2

Entrevistámos os presidentes da União
das Juntas de Freguesia de Seixal,
Arrentela e Aldeia de Paio Pires, da Junta de Amora e da Junta de Fernão Ferro
por ocasião da elevação de Seixal e Amora a cidade e de Fernão Ferro a freguesia.
Pág. 5, 7 e 9

O Município de Sesimbra apresenta a
recuperação da Casa da Água no Cabo
Espichel e celebra o Dia Internacional
dos Museus e a Noite dos Museus com
conjunto de iniciativas que decorrem até
21 de Maio.
Pág. 8

Professora no Concelho do Seixal, Augusta Rodrigues apresentou no passado
dia 28 de Abril no Auditório dos Serviços
Centrais da CMS o livro “A Delegação
Escolar do Concelho do Seixal (19332014)”.
Pág. 12

Publicidade

REPORTAGEM

CSS | 20 de Maio de 2017

2

ESCOTEIROS DO GRUPO 242 DE
CORROIOS INAUGURAM SEDE

Celino Cunha Vieira

O passado dia 14 de maio foi um dia especial para o Grupo 242 de Escoteiros de Corroios. Numa festa que
contou com a presença de centenas de pessoas, o grupo comemorou o seu 6º aniversário e inaugurou a sua tão
desejada sede.

editorial

Dificilmente voltaremos a ter em
Portugal um 13 de Maio como o deste
ano, em que a trilogia Fátima, Futebol
e Fado coincidiram, para gáudio dos
10 ou 11 milhões de almas famintas de
conquistas, desde que há quase um ano
vibraram com a Selecção Nacional em
terras de França, ou com os recordes do
Cristiano Ronaldo.
Como já era de esperar, passámos
a ter mais dois Santos no catálogo da
Igreja Católica e o Benfica sagrouse Campeão Nacional pela quarta
vez consecutiva, mas faltava a grande
surpresa da noite com o representante
português a “dar um banho” aos
intérpretes dos outros 35 países,
ganhando o Festival da Eurovisão.
Nada disto nos vai aconchegar a
carteira ou a conta bancária aumentando
o nosso parco pecúlio económico, mas
alimenta-nos o orgulho; nada disto vai
criar mais empregos, especialmente
para os mais jovens, mas eleva o nosso
ego; nada disto vai diminuir as listas de
espera no Serviço Nacional de Saúde,
mas desperta o nosso patriotismo.
Como os Santos da casa não fazem
milagres, também nada podemos
esperar para Portugal do Francisco e
da Jacinta, que pela sua intermediação
salvaram uma criança no Brasil. Bem
que podiam salvar também aquelas
crianças que morrem de fome em
África, em guerras e atentados ou
afogadas nas águas do Mediterrâneo.
O verão está a chegar e valha-nos,
daqui para a frente e até Outubro,
as promessas que por aí vêm dos
candidatos às eleições autárquicas. Até
lá vamos ser alvo de toda a simpatia
pela caça ao voto e bombardeados
com os mais inverosímeis projectos de
execução. Depois, já se sabe, volta tudo
à mesma até daqui a quatro anos.
Nós por cá, aqui no “Comércio”,
contra ventos e tempestades, vamos
resistindo às invejas, maus-olhados,
mezinhas, queixinhas e muitas outras
coisas mais, porque trabalhamos
honestamente, não nos importando
com aquilo que os outros fazem ou
deixam de fazer.
Nesta edição destacamos, para
além de outros temas, a reinauguração
da Casa do Educador do Concelho
do Seixal, a inauguração da sede dos
Escuteiros do Grupo 242 de Corroios,
o aniversário da elevação das vilas do
Seixal e de Amora a cidade, assim como
a constituição da Freguesia de Fernão
Ferro.
E se encontrarem por aí a Madonna
deem-lhe os nossos cumprimentos
e digam-lhe que gostaríamos de a
entrevistar, já que parece, irá ter um
dos seus filhos a viver entre nós para
aprender a jogar futebol.

DR

Com a assinatura, em 21 de
Março de 2015, do Protocolo de
Cedência de Terreno, por parte da
Câmara Municipal do Seixal, para
a instalação da futura sede, iniciaria
um novo ciclo para o Grupo.
A idealização do projeto, as
angariações de fundos, as reuniões
técnicas, as adjudicações, «as dores
de cabeça e noites mal dormidas»,
culminaram
agora,
com
a
concretização do sonho.
O Grupo 242, já é o maior grupo
nacional da AEP. Este ano foi
A placa inaugural foi descerrada aceitou o desafio, de toda a minha distinguido com o Prémio Nacional
a quatro mãos, por José Pontes equipa de dirigentes e escoteiros e, de Escotismo de Excelência – Classe
(chefe do Grupo 242), Joaquim naturalmente, de todos os pais e Prata.
Santos (Presidente da Câmara amigos, que tanto acarinharam e
Com a nova sede, o Grupo terá
Municipal do Seixal), Eduardo Rosa incentivaram este projeto».
todas as condições para desenvolver
(Presidente da Junta de
O Grupo 242 foi ainda melhor as suas atividades
Freguesia de Corroios) "Matar o sonho é matarmonos. É mutilar a nossa
criado em 2011. Sem junto da comunidade e a promoção
e Miguel Gonzalez
alma.
espaço próprio, tiveram dos ideais do Escotismo e do seu
(chefe
Nacional
O sonho é o que temos
sempre o carinho e o criador – Baden Powell - «Leave the
da
Associação
de realmente nosso, de
apoio do Movimento world a little better than you found
de
Escoteiros
de
Associativo
local, it – Deixa o mundo um pouco
Portugal), sob o olhar
impenetravelmente e
atento da Vereadora inexpugnavelmente nosso." que cederam as suas melhor do que o encontraste».
instalações para as
Vanessa Silva e de
Fernando Pessoa.
atividades do Grupo.
mais de uma centena
José Lourenço
de Escoteiros disciplinadamente
A Casa do Povo de Corroios foi
perfilados,
bem
como
de
a primeira instituição a emprestar
convidados, pais e amigos.
o seu espaço, seguindo-se o
Situada em plena Avenida da Centro Cultural e Recreativo do
Fábrica da Pólvora, em Vale de Alto do Moinho, Ginásio Clube
Milhaços, num terreno cedido pela
DR
edilidade para o efeito, este é o
exemplo perfeito de que os sonhos
se podem tornar realidade, fruto
do arrojo e da persistência de um
homem – José Pontes.
Como este diria no seu discurso
inaugural, «o sonho pode ser
de um homem, mas o que hoje
aqui podemos admirar, é fruto
do trabalho e da confluência da
vontade de muitos: da Câmara
Municipal do Seixal, que nos apoiou
financeiramente, com o terreno
e logística, da Junta de Freguesia
de Corroios que nos ajudou
financeiramente na construção
do muro e vedação do mesmo, do
empreiteiro Igor Monastyrskyy
(Goodsul) que acreditou em nós e

Administração, Redacção
e Publicidade

Director: Fernando Borges - CP1608
Registo do título: 125282
Depósito Legal: N.º 267646/07
Contribuinte N.º 194 065 499
Propriedade e Editor: Ângela Rosa

de Corroios, Clube Recreativo e
Desportivo de Miratejo e Centro
Cultural e Desportivo de Pinhal do
Vidal.

Av. José António Rodrigues, n.º 45, 2º
2840 - 078 Aldeia de Paio Pires
Telm. 969 856 802
Telf. 210 991 683
comerciodoseixal@gmail.com
http://jornalcomerciodoseixalesesimbra.wordpress.com
Facebook: Comércio do Seixal e Sesimbra

Director Adjunto: Celino Cunha Vieira TE1218
Directora Comercial: Ângela Rosa
Paginação: Sofia Rosa
Repórter: Fernando Soares Reis CP6261
Colaboradores: Adriana Marçal, Agostinho António Cunha,
Alvaro Giesta, ANIVET - Consultório Veterinário, Dário Codinha,
Fernando Fitas CP2760, Hugo Manuelito, José Henriques, José
Lourenço, João Araújo, Jorge Neves, José Mantas, José Sarmento,
Maria Vitória Afonso, Maria Susana Mexia, Mário Barradas, Miguel

Boieiro, Paulo Nascimento, Paulo Silva, Pinhal Dias, Rúben Lopes,
Rui Hélder Feio, Vitor Sarmento.
Impressão: Funchalense - Empresa Gráfica, S.A.
Tiragem: 15.000 exemplares
O «Comércio» não se responsabiliza nem pode ser responsabilizado pelos
artigos assinados pelos colaboradores. Todo o conteúdo dos mesmos é da
inteira responsabilidade dos respectivos autores.

ENTREVISTA

CSS | 20 de Maio de 2017

3

CASA DO EDUCADOR DO SEIXAL REABRE
REQUALIFICADA
O edifício da Casa do Educador do Concelho do Seixal, situado na Amora, é inaugurado hoje, no mesmo dia em que se comemora o 24º aniversário
da elevação das vilas do Seixal e de Amora a cidade.
DR

A vereadora Vanessa Silva, do Pelouro da
Educação da Câmara Municipal do Seixal, vai
estar presente na inauguração do equipamento
reformulado e valorizado, realçando ao
Comércio do Seixal a importância da missão
da Casa do Educador do Concelho do
Seixal “ocupa um espaço próprio e único no
nosso concelho, desempenhando um papel
social, mas também de ligação às questões
pedagógicas dos profissionais da educação.
Felizmente que, com o apoio municipal, a
Associação recebe já neste sábado um edifício
requalificado, que lhe permitirá crescer ainda
mais e expandir as suas múltiplas actividades
Publicidade

educativas, culturais, recreativas e sociais”.
Ainda segundo a responsável pela
Educação municipal, a intervenção na Casa do
Educador incluiu “a renovação da instalação
eléctrica, instalação de redes de segurança
integrada e comunicações, climatização e
isolamento térmico, revisão e instalação de
novas redes de abastecimento de água e de
águas residuais, consolidação dos pisos com
reforço das paredes, reabilitação e execução de
novos vãos interiores, colocação de novo piso
e remodelação da cobertura do edifício”. Foi
também instalado um elevador no exterior do
edifício “para garantir uma boa acessibilidade
aos utilizadores”, acrescentando que no espaço
exterior “se procedeu ao adequado arranjo
paisagístico”. A Vereadora realça que “no total
fizemos um investimento municipal na ordem
dos 310 mil euros, o que consideramos ser
um bom exemplo de dinheiros públicos bem
aplicados”.
O Presidente da Associação da Casa do
Educador do Concelho do Seixal, o Dr.
Tomás Bento, realça a importância do edifício
na história, primeiro da vila e depois da cidade
de Amora “além do valor arquitectónico, tem
para a cidade da Amora um valor sentimental
muito grande porque serviu muitos anos como
escola, portanto as pessoas que hoje têm 70 ou
80 anos passaram por esta escola”.
O Presidente conta-nos ainda que “a Casa
do Educador é uma Associação relativamente
jovem, tem sede na Amora e tem cerca de
15 anos de existência e que além de ter

valências da educação, com uma actividade
basicamente de cariz social” e acrescenta que
essas valências fizeram com que criassem “este
protocolo ou parceria com a CMS que nos
cede graciosamente as instalações tendo em
atenção o serviço social”.
Já o professor Jaime Ribeiro, vice-presidente
da Casa do Educador do Concelho do Seixal,
realça que “o edifício pertence à Câmara
Municipal, foi recuperado e neste momento a
diferença é que nessa altura tínhamos ao nosso
serviço o rés-do-chão, visto que o 1º andar
estava degradado e neste momento temos o
rés-do-chão e o primeiro andar”.
O Professor Jaime Ribeiro destaca a
importância das obras no edifício “tenho
a certeza que ganhamos bastante porque
duplicamos o espaço e temos também
diversas salas, o que significa que vamos ter
uma pequena sala polivalente que vai servir
para conferências, actividades de formação
e inclusivamente para projecção de filmes
se for necessário, e essa situa-se no primeiro
andar”. Já no andar térreo haverá “a antiga
sala de actividades que está adaptada
fundamentalmente mas não unicamente para
uma galeria de arte”.
Para concluir o vice-presidente diz-nos
ainda que o novo edifício da Casa do Educador
vai ter ainda “um gabinete de psicologia, uma
biblioteca, uma sala de computadores, tudo
obviamente do tamanho que nos permitem os
gabinetes”.
No dia da inauguração fica também

marcado pela abertura de uma exposição
e serigrafias de grandes nomes da pintura
portuguesa como Artur Bual, Paula Rego
e Manuel Cargaleiro só para citar alguns
nomes, colecção que pertence a uma sócia
da associação da Casa do Educador. Para
comemorar a inauguração temos ainda a
actuação do Coro Polifónico da Unisseixal
dirigido pelo Maestro Maurício Vieira da
Silva.

DR

SOCIEDADE

CSS | 20 de Maio de 2017

4

Histórias Associativas*(13)

o vozeiro

Rui Hélder Feio

Paixão pelo teatro deu
em casamento

O ESTATUTO JURIDICO DO(A)S ANIMAIS
“A compaixão para com os animais
liga-se tão estreitamente com a bondade
do carácter que se pode afirmar, confiantemente, que quem é cruel com os animais não pode ser uma boa pessoa”.
Quem o disse foi Arthur Schopenhauer, filósofo alemão do século XIX.
Sinais de uma civilização mais atenta
e para lá da perspetiva filosófica, cultural
e politica, chega agora a vez no plano jurídico dos animais deixaram de ser “coisas” para adquirirem o estatuto de “animais sensíveis”, à semelhança de outros
sistemas jurídicos ocidentais.
As alterações abrangem o Código Penal, o Código de Processo Civil e o Código Civil.
No Código de Processo Civil, os animais de companhia passam a ser considerados impenhoráveis. Sim, é verdade,
os animais de companhia podiam ser
objeto de penhora.
Para quê? Perguntará. Quem tinha
a coragem de penhorar um animal de
companhia?
Direi que só alguém de baixos valores
éticos e morais e com o único intuito de
enxovalhar o dono do animal.
Mas é no Código Civil que as alterações são mais significativas. Introduzindo o conceito de “animais como seres
vivos dotados de sensibilidade e objeto
de proteção jurídica em virtude da sua
natureza” e ainda o direito de propriedade desses animais de companhia, aquando do casamento ou na sua dissolução,
passando estes a constar no acordo de
divórcio sobre o seu destino.
Acrescentam-se ainda a previsão de
uma indemnização específica aos proprietários em função de lesão ou morte
do animal, à consagração e desenvolvimento do regime de propriedade dos
animais, com a consagração de vários
deveres dos proprietários e garantias dos
animais e ainda a previsão de um regíme
próprio aplicável aos animais de companhia.
Escolha os serviços de um profissional, contacte o Solicitador.
Envie a sua questão para:
duvidas@ruifeio.pt
Publicidade

DR

É assim, que, devido à sua experiência de
amador teatral, é convidado a observar,
em representação da colectividade, vários
espectáculos cénicos com o intuito de
aconselhar os que, em seu entender,
melhor se ajustavam às apetências da massa
associativa, tanto no domínio literário,
como no capítulo da interpretação.
“Uma vez,” relata Adelino Cunha, “ a
pedido de Henrique Paiva e Rui Silva
fui, com minha esposa, ver uma peça
do António Aleixo, representada por um
grupo de estudantes, na cave de uma
instituição religiosa, situada num edifício,
algures, na Rua dos Douradores, em
Lisboa, mas porque se tratava de um texto
de denúncia social que, presumivelmente,
não terá merecido prévia autorização da
censura, a dado momento o espectáculo
foi subitamente interrompido porque a
policia se aprestava para tomar de assalto
o local.
Ante a eventualidade de sermos detidos,
com todos os inconvenientes daí
resultantes, mormente os que decorriam
da acusação de estarmos a participar
numa reunião clandestina - como, aliás,
era uso na época -, outra alternativa não
tivemos que não fosse a de escaparmos
pela porta dos fundos. Minutos depois
as forças policiais penetraram no recinto
pela entrada principal, embora eu não as
tenha chegado a ver.
Foi um susto que nem queira saber...!”
Enfatiza.

Compra da primeira Sede custou vinte
contos
Mas de outras recordações se alimenta
igualmente a memória de Adelino
Cunha, entre as quais a da compra de
uma antiga taberna que dispunha de um
grande terraço, feita por uma direcção
na qual figuravam seu pai e um tio, para
ali instalar a nova sede. “Essa aquisição
custou 20 contos e a sua inauguração teve
lugar com a realização de um espectáculo
de variedades. Nesse dia ainda nem

ROSTOS DO SEIXAL
DR

Joaquim José
da Conceição
Letria (1943)

Publicidade

Observar espectáculos teatrais era um
tipo de diligências que fazia de bom
grado, porquanto, a par de prestar um
serviço à colectividade, constituía ainda
um modo de se manter ligado a outra das
suas grandes paixões: a arte cénica, pela
qual desde muito jovem se deixou seduzir.
Gosto em que era acompanhado por sua
mulher, também ela membro do Grupo
de Teatro da União, e, com quem, de
resto, contracenou algumas vezes.
“ O nosso namoro,” confessa, “assim como
o da Regina e o da Clotide, começou por
essa altura, fruto do permanente contacto
que o teatro nos proporcionava. Mais digo,
que tudo aconteceu no decurso da peça ‘O
Fratricida’, a primeira em que participei, e,
na qual, aliás, desempenhávamos o papel
de dois amantes. Foi um enamoramento
que permanece duradoira à várias
décadas.”

Nasceu na capital e começou a carreira a
trabalhar no Diário de Lisboa em 1961, com
18 anos. Passou mais tarde para a revista Flama
e para o Rádio Clube Português. Trabalhou
para a Associated Press durante sete anos
regressando depois disso temporariamente
a Lisboa, onde trabalhou novamente no
Diário de Lisboa. Pouco depois concorreu a
um lugar na BBC e mudou-se para Londres.
Após a Revolução dos Cravos, em 1974,
decidiu regressar a Portugal, onde participou
na fundação do semanário O Jornal, de onde
pouco tempo depois passou para a agência
noticiosa portuguesa ANOP. Em 1978,

regressou à RTP para fazer e apresentar o
Informação 2, o telejornal do segundo canal
da televisão estatal. Foi neste período que
criou os dois programas de televisão que o
tornaram mais conhecido em Portugal, o
Directíssimo e o Tal & Qual, que misturavam
informação com entretenimento. A popular
rubrica Apanhados apareceu, em 1979, no Tal
& Qual. Em 1980, após a vitória da Aliança
Democrática nas eleições legislativas, a RTP
acabou com o Tal & Qual e afastou Letria da
direção do canal. Nesse mesmo ano, resolveu
lançar um jornal semanário com o nome
do programa extinto. Entretanto, em finais
de 1980, participou na campanha eleitoral
de Ramalho Eanes para as presidenciais.
Quando este assumiu a presidência da
República passou a ser o seu porta-voz, função
que desempenhou até 1986. A 19 de abril do
mesmo ano, foi agraciado com a Grã-Cruz da
Ordem Militar de Cristo. Regressou então de
novo à RTP, onde apresentou o programa Já

Fernando
Fitas

telhado havia e para tentar ocultar tal
falta, foram colocadas no tecto vários fios
de cordel com tiras de papel (roubado na
Mundet) que assim emprestava ao evento
o ar festivo que a ocasião exigia.
Só mais tarde, mercê do labor desenvolvido
por um grupo de associados, denominado
comissão pró-sede, constituída, entre
outros, por António Tomé, Alexandre
Araújo, Manuel Pescadinha, Neves
Cardoso e Matias Teixeira, se angariou
o dinheiro para colocar a cobertura e
concluir a obra. ”
Aliás, diga-se, era com esse papel
‘desviado’ à Mundet, por operários
amigos da UniãoSeixalense, que muitas
vezes se pintavam os cenários para as
peças que o grupo de amadores levava à
cena. O mesmo se passava com os grupos
cénicos das demais colectividades do
concelho.
De acordo com Adelino Cunha, “a
existência do primeiro grupo teatral
na União remonta a 1925 e teve como
principais impulsionadores João Gomes
Pólvora e Alfredo Lucas.
Após a sua dissolução, a arte de representar
só voltaria à colectividade em 1947, com a
constituição de um novo grupo, no qual
eu me integrava. Do nosso reportório
constaram diversos géneros, tais como
drama, comédia e revista, sendo que no
intervalo de cada representação tinha
lugar um acto de variedades.”
O elenco de tais grupos, apesar de
dirigidos por pessoas mais velhas, era
maioritariamente formado por malta
nova. “Eutinhaquinze anos quando vim
para o teatro e minha mulher catorze.”
Diz, num tom de grata nostalgia,
enquanto rememora ainda a permanente
atenção com que seus tios, Francisco Rosa
e Eugénio Teixeira, respectivamente,
ponto e contra-regra, seguiam o papel
de cada um dos actores e o rigor que
Fernando Mota colocava na condução
dos ensaios. “Era um bom ensaiador,”
sublinha, “ não obstante se tratar de um
mero empregado de escritório.”
*Excertos de “Histórias Associativas- Memórias da Nossa
Memória – 1º Volume As Filarmónicas”. Edição Câmara
Municipal do Seixal.-2001.

Está, mas em 1988 saiu para dirigir a revista
de grande informação Sábado, a convite de
Pedro Santana Lopes. Em janeiro de 1992,
deixou a direção da revista onde se manteve
como cronista até esta fechar em setembro
de 1993. Entretanto, apresentou o programa
Rosa dos Ventos da RTP Internacional,
continuando pontualmente na televisão. Em
1998, lançou o livro A Verdade Confiscada.
Escândalo - A Armadilha da Nova Censura.
Posteriormente, colaborou com a Rádio
Comercial, com o jornal diário 24 Horas, deu
aulas na Universidade Lusíada, fez consultoria
de comunicação e manteve a ligação à televisão
através da produção de documentários.
Vive no concelho do Seixal, podendo ser
visto, atualmente, no programa A Tarde É Sua
na TVI, onde continua a demonstrar o seu
carisma e profissionalismo.
Envie a sua sugestão
de «Rosto do Seixal» para:
comerciodoseixal@gmail.com

Mário Barradas

entrevista

CSS | 20 de Maio de 2017

5

ANIVERSÁRIO DA CIDADE DE AMORA

Na preparação da comemoração do 24º Aniversário da elevação da Vila a Cidade, conversámos com Manuel Ferreira Araújo, Presidente da Junta
de Freguesia de Amora que respondeu às questões que colocámos.
serviços exigidos a uma cidade como a que
a Amora representa, verificando-se desde aí
um grande desenvolvimento, a nível de infraestruturas e equipamentos públicos.

equipamento que o Amora F. C. passará a
ter á disposição, permitirá até sonhar com
outros voos, podendo vir não só a dinamizar o
desporto mas também um pólo de atracção a
investimentos em outras áreas, nomeadamente
Segundo já foi anunciado, espera-se na área do alojamento onde existe uma grande
para breve o inicio da construção de duas carência nesta região.
importantes estruturas para a cidade; o novo
quartel de Bombeiros e a requalificação
Tema sempre recorrente, para quando
do Campo de Futebol da Medideira. Que uma solução para o bairro da Jamaica no
impacto positivo terá para a população?
Fogueteiro?

Vão realizar-se no próximo sábado dia
20 as comemorações do aniversário da
elevação da Vila de Amora a Cidade. Quais
as actividades que irão decorrer no âmbito
dessas comemorações?
Habitualmente no mês de Maio é realizado o
Festival de Bandas, que tem no seu programa um
desfile na zona ribeirinha e os concertos dentro
do salão da Sociedade Filarmónica Operária
Amorense. Este ano fizemos questão de conciliar
o referido festival às comemorações, sendo que,
tanto a parte mais solene do aniversário assim
como os concertos terão lugar ao ar livre,
enquadrando-se naquilo que pretendemos na
dinamização dos espaços públicos da cidade,
organizando eventos e actividades sempre que
possível nesses locais. Vai ser um dia bastante
preenchido, começando às 11 horas com a
inauguração da Casa do Educador, um edifício
centenário que durante muitos anos serviu de
escola primária a muitos amorenses e que após
uma requalificação, passou a ter outras valências
que não existiam. Vai ser um momento alto ao
qual se junta a actuação da Banda da SFOA
a dar também as boas vindas às diversas
Publicidade

entidades. Ao longo de todo o dia vão ter lugar
na Zona Ribeirinha diversas manifestações
desportivas e culturais, desde dança, teatro e
outras actividades. Acima de tudo vai ser um
dia preenchido com o apoio e envolvimento do
movimento associativo da cidade.
Completados 24 anos da elevação da
Vila de Amora a Cidade, para além do
prestígio que essa classificação representa,
que outros benefícios trouxe esta elevação?
A Amora foi elevada a Vila em 1989 e logo
em 1993 foi elevada a cidade. De facto foi
também o reconhecimento, não só da dimensão
desta freguesia em termos de população, mas
também pelas condições e alguns serviços
que entretanto foram sendo instalados, como
o Centro de Saúde, as Finanças, a Esquadra
da PSP, o Registo Notarial, ou seja, todos os

Queríamos também comemorar este 24º
aniversário com uma serie de equipamentos e
obras que vão ser lançados ainda este ano e que vão
dignificar a cidade, entre eles o Centro Cultural de
Amora que vai ser construído de raiz na zona da
Cruz de Pau, a requalificação do mercado da Cruz
de Pau, uma aspiração já antiga e que vai ser lançada
ainda este ano e também outros equipamentos
de maior amplitude como a Loja do Cidadão que
finalmente irá ser implantada na cidade e que
acabará por ser de utilidade não só para a Amora
e para o concelho do Seixal, mas também para a
região da margem sul. Respondendo à questão e
começando pelos Bombeiros Mistos de Amora,
que dão uma resposta extraordinária á população,
encontram-se precariamente instalados numa antiga
fábrica e pagando uma renda elevadíssima para as
suas possibilidades. Com o novo quartel vão dispor
de todas as condições, numa localização excelente e
com fácil acesso às redes viárias. Há uns anos atrás eu
questionava-me se faria sentido ter duas associações
de bombeiros no concelho, mas hoje verificamos
que por vezes as duas corporações não conseguem
dar uma resposta pronta às ocorrências que surgem
diariamente.
Em relação ao Estádio Municipal da
Medideira, para além de todo o excelente

Ainda no passado domingo tivemos
oportunidade de estar lá na presença do
Presidente da República de São Tomé e
Príncipe, e de facto mais uma vez constatámos
a necessidade e a urgência de encontrar uma
solução para aquele bairro. Não é de facto
possível suportar durante muitos mais anos
aquela situação onde vivem cerca de 220
famílias, mais de mil pessoas. Eu reconheço
que o Município por si só, para além de
não ter essa competência, não tem recursos
suficientes para dar uma resposta, mas penso
que com o governo, com a banca e com o
proprietário do terreno, pois trata-se de uma
propriedade privada, será possível encontrar
uma nova forma de alojamento para aquelas
famílias, mas que não passe pela criação
de bairros sociais como até aqui tem sido
feito, pois essa medida acaba por criar novos
guetos. Certamente que será encontrada uma
solução, não só por questões de higiene, mas
também por questões de segurança, já que os
edifícios ali existentes não foram concluídos,
são construções precárias e com as alterações
que os próprios habitantes promoveram,
não sabemos até que ponto as condições de
segurança estarão garantidas.

sociedade

CSS | 20 de Maio de 2017

6

BURACO DA MINHOCA

O PRIMEIRO
JORNAL PORTUGUÊS

Dário S. Cardina Codinha

cerca de 800 funcionários.

Telescópio do tamanho da
Terra para ver um Buraco Negro
Durante 5 dias, entre 3 e 7 de Abril de 2017, os
maiores radiotelescópios uniram-se para observar o
horizonte de eventos do buraco negro supermassivo
no centro da Via Láctea, o Sagitarius A*, que fica a 26
milhões de anos-luz da Terra. Este buraco negro tem 4
milhões de massas solares e o seu horizonte de eventos
tem um diâmetro calculado em 24 milhões de Km. Os
radiotelescópios uniram-se numa parceria visou criar o
Telescópio do Horizonte de Eventos (EHT), com um
diâmetro virtual de 10 mil Km, para captar a sombra
projectada do horizonte de eventos do Sagitarius
A*. Os dados serão processados em dois centros de
processamento, um situado no MIT, em Massachusetts
e outro na Alemanha. A imagem deverá sair no final
de 2017 já que o telescópio do Pólo Sul, por motivos
operacionais, só poderá enviar os dados em Outubro
Até gora, o projecto Telescopio do Horizonte de Eventos
(EHT) conta com o supertelescópio ALMA, composto
por uma rede 66 antenas móveis, que está instalado no
Chile, uniu-se a outros dois radiotelescópios situados na
Europa (IRAM) e na América do Norte (VLBA) - uma
rede de dez antenas espalhadas pelos Estados Unidos,
desde o Havai até ao Mar do Caribe -, o Telescópio
do Polo Sul entre outros. Só assim foi possível formar
um telescópio virtual quase do tamanho do diâmetro
da Terra, que já foi usado para observar o quasar 3C
454.3, uma das fontes de rádio mais brilhantes do
céu, apesar de se encontrar a uma distância de 7,8
mil milhões de anos-luz. Esta é uma rede global de
telescópios que operam nos comprimentos de onda
milimétricos e que terá a capacidade de estudar com
detalhes sem precedentes o buraco negro supermassivo
que se encontra no centro da Via Láctea.
Publicidade

Após longo período de
negociações em que a SN
era presidida por Carlos
Alberto Veiga Anjos e
depois substituído por
Francisco Antunes da
Silva, 600 trabalhadores
aceitaram
a
reforma
antecipada, restando 200
que pela idade e pelo
Plano Social que lhes foi
apresentado, foram para
a situação de desemprego
com a perspectiva de
serem chamados no espaço
de 6 meses a 1 ano para
frequentarem os cursos
de formação e serem
reintegração nas novas
Empresas que viriam a ser
criadas.

No âmbito da reestruturação da
Siderurgia Nacional e segundo o
acordo entre o Estado Português e a
União Europeia, tendo como primeiroministro António Guterres e ministro
da Segurança Social e do Trabalho Ferro
Rodrigues, teriam de ser dispensados

Sem que o tal Plano
Social até hoje tenha sido
minimamente cumprido,
o tempo foi passando,
o subsídio de desemprego cessou ao
fim de 3 anos e muitos deles recebem
actualmente apenas o Rendimento
Social de Inserção no valor de 183,84
euros, dependendo de familiares e
amigos para poderem sobreviver,
registando-se já alguns casos de suicídio

pelo desespero a que chegaram.
Segundo
nos
revelaram
os
representantes do grupo, Nuno Silva,
Manuel Augusto Martins e José
Carlos Marques, com quem falámos,
nem Sindicatos nem Comissão de
Trabalhadores os defenderam na altura,
ficando completamente desamparados
e sem qualquer apoio destas estruturas.
Se no plano legal o processo não está
concluído, até porque existe um recurso
para o Supremo Tribunal de Justiça que
ainda está pendente, o que importa é
o aspecto moral e o abandono dos 60
ex-trabalhadores da extinta Siderurgia
Nacional por parte das entidades
oficiais (Estado) com responsabilidades
na situação em que se encontram.

Rúben Lopes

ENTREVISTA

CSS | 20 de Maio de 2017

7

ELEVAÇÃO DA VILA DO SEIXAL A CIDADE
O “Comércio” esteve à conversa com António Santos, presidente da União das Freguesias do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires, 24
anos após a elevação da vila do Seixal a cidade.
associativo um ponto-chave.
Com a agregação da Arrentela e da Aldeia
de Paio Pires numa União de Freguesias,
o Seixal passou a ter uma área territorial
muito maior e com características bem
diferentes. Isso foi positivo?
Essa união foi uma maldade que nos
fizeram.
Foi deste modo que o Presidente
demonstrou o seu desagrado em relação à
união das freguesias do Seixal, Arrentela e
Aldeia de Paio Pires, tendo acrescentado:

A Vila do Seixal foi elevada a Cidade
há precisamente 24 anos, no dia 20 de
Maio de 1993. Para além do prestígio
a que essa classificação corresponde,
que outros benefícios trouxe para a
localidade?
O grande benefício que esta elevação
trouxe à população do Seixal foi o facto
de termos as freguesias de volta, não
propriamente a passagem a cidade. A
elevação que ocorreu há 24 anos marcou
um momento importante a nível da nossa
organização administrativa municipal.
Publicidade

Esqueceram-se do mais importante que são
as pessoas e a importância da proximidade das
Juntas de Freguesia aos cidadãos, tendo em
consideração as necessidades da população e
comparando-se o cargo de presidente da Junta
a um caixeiro-viajante. Esta agregação fez
com que as Freguesias perdessem parte da sua
O Presidente salientou ainda a história, uma vez que das quatro Freguesias
importância do crescimento demográfico mais antigas do concelho, agregaram três,
e territorial da cidade do Seixal como não se vislumbrando mais-valias nessa junção,
elemento fundamental para esta elevação. estando elas em permanente crescimento
populacional.
A nível nacional, o Seixal encontra-se acima
da média populacional. Este crescimento
Há muito que se promete, e a população
deve-se não só ao aumento populacional que aspira à construção de uma nova piscina
se registou nos últimos anos, mas também aos municipal, já que a da Torre da Marinha
vários projectos de requalificação que foram foi desmantelada. Será desta vez que isso se
postos em marcha por parte das autarquias transforma em realidade?
nestes últimos 24 anos, pois só após o 25 de
Abril é que se deu o “boom” de crescimento,
Aqui não há promessas, mas o trabalho
tendo sido o desenvolvimento do movimento aparece todo feito. Não podemos falar da

construção das piscinas da Torre da Marinha,
mas sim da requalificação, através da compra
de mais equipamento e melhorias no espaço.
O programa eleitoral contempla a criação
das piscinas de Paio Pires, sendo um projecto
em análise durante o mandato corrente e
executado no mandato seguinte, considerando
a importância das actividades aquáticas e
facto das infra-estruturas existentes não serem
suficientes para satisfazer as necessidades da
população.
Já muito se falou das intermináveis
obras de requalificação do centro Histórico
do Seixal. Será que as vamos ter concluídas
este ano antes das Festas Populares de
S.Pedro?
Não gosto de falar em datas, mas às vezes
é preciso ter coragem e sermos arrojados pela
importância de requalificar a rede de esgotos,
relembrando que tem 60 anos e que não faria
sentido requalificar apenas o solo e não fazê-lo
também no subsolo. As obras serão assumidas
por uma nova empresa, esperando-se que as
datas desta vez sejam cumpridas e as obras
terminem o mais rapidamente possível.

sociedade

CSS | 20 de Maio de 2017

8

DIA INTERNACIONAL
DOS MUSEUS
E NOITE DOS MUSEuS

Maio Património
2017
Seixal celebra o 35.º aniversário do Ecomuseu Municipal

Sesimbra assinala o Dia Internacional dos Museus e a Noite dos Museus
com um conjunto de iniciativas que decorrem entre os dias 18 e 21 de
Maio. As comemorações contam com visitas guiadas aos vários núcleos
do Museu Municipal de Sesimbra e à oficina Vamos Jogar e Encontrar,
destinada a famílias e escolas, no Museu Marítimo de Sesimbra.

No dia 20, às 15 horas, realiza-se a
apresentação ao público da recuperação da
Casa da Água do Cabo Espichel, o ponto
alto do programa. O momento é assinalado
com a contextualização histórica, religiosa
e civil do edifício, por Heitor Baptista
Pato, investigador e especialista no Cabo
Espichel, autor do livro Nossa Senhora do
Cabo – Um Culto nas Terras do Fim, e
com a apresentação dos principais aspectos
da obra de restauro, por Armindo Pombo,
arquitecto da Câmara Municipal de
Sesimbra.
Depois da reabertura oficial do
Publicidade

monumento, segue-se uma visita livre e um
momento musical pelo Grupo de Metais da
Orquestra Sinfónica Juvenil, vestidos com
trajes de época e interpretando músicas de
compositores dos séculos XVII e XVIII.
As comemorações prosseguem às 21.30
horas, no Museu Marítimo de Sesimbra,
com a conversa “Naufrágios e Acidentes
Marítimos”, que também assinala a Noite
Europeia dos Museus.
O programa inclui ainda um percurso
pedestre Pela Rota dos Dinossáurios, no dia
21, domingo, às 10 horas.

Até ao dia 26 decorre o Maio Património
2017, que este ano assinala os 35 anos do
Ecomuseu Municipal do Seixal com a
realização de um leque variado de iniciativas,
como concertos, um concurso fotográfico,
exposições, uma feira de publicações, teatro
de fantoches e visitas temáticas.
A Noite dos Museus é umdos pontos
altos das comemorações, que se assinala a
20 de Maio no Núcleo do Moinho de Maré
de Corroios, que estará aberto até à 1 hora
da manhã do dia 21, com muita música e a
entrega de prémios do concurso “35 Flashes
num Clique”, cujas fotos serão projectadas
nas paredes do moinho.

Há ainda actividades para as escolas e
para as famílias e no dia 26 de Maio decorre
mais uma sessão do Tipografando, uma
conversa em torno da arte da tipografia e
não só... A não perder no Espaço Memória
– Tipografia Popular do Seixal.

ENTREVISTA

CSS | 20 de Maio de 2017

9

Aniversário da Freguesia de Fernão Ferro
Como uma das maiores áreas urbanas de génese ilegal do país, Fernão Ferro passou a Freguesia há 24 anos e hoje está prestes a concluir
a reconversão que tem vindo a ser desenvolvida pelas Associações de Moradores apoiadas pela Autarquia. Fomos ouvir o seu presidente,
Carlos Reis, que nos respondeu a algumas questões.

No próximo dia 27 de Maio
comemora-se o 24.º aniversário da
passagem de Fernão Ferro a Freguesia.
Com esta descentralização e para além
da constituição de um órgão autárquico
próprio, que outros benefícios trouxe
para a localidade?

afirmar Fernão Ferro no mapa do concelho
do Seixal e consequentemente chamar a
atenção da Câmara Municipal do Seixal
e de outras entidades da administração
pública para este “cantinho” situado numa
ponta do concelho, encostado ao município
de Sesimbra.
Desde sempre que os moradores de
Fernão Ferro mostraram ter vontade
própria, com uma coragem de meter mãos à
obra e de serem parte activa na construção
de uma entidade que ainda nos dias de
hoje tem que ser trabalhada em função das
carências ao nível de alguns equipamentos
fundamentais para a qualidade de vida da
população.
Naturalmente que, com a constituição
da Junta de freguesia, a população passou
a dispor de um “fio condutor” às instâncias
superiores da administração pública. Por
outro lado, a proximidade à população
que bem caracteriza os eleitos das Juntas
de Freguesias, fez com que no nosso caso,
existisse alguém que tivesse sempre presente
as necessidades colectivas da população
residente em Fernão Ferro. Por outro lado, a
defesa dos interesses da população também
é uma das funções dos eleitos das Juntas de
Freguesia, o que os torna em grande parte,
nos primeiros “amigos” dos moradores.

Recorde-se que a elevação a Freguesia
foi um objectivo alcançado em 1993, após
um grupo alargado de moradores terem,
por necessidade, em representação dos
restantes, defendido o local onde residiam
Durante todos estes anos muita
contra a discriminação do poder local e coisa foi feita, mas sente-se que ainda
central instituído na altura.
há muito por fazer. Quais as principais
Numa localidade a braços com mais de 130 necessidades da Freguesia?
AUGI´s, onde já residiam permanentemente
alguns milhares de pessoas, era necessário
Passados 24 anos e conhecendo a opinião
Publicidade

daqueles que participaram na Comissão
Instaladora com o objectivo de “obrigar”
as entidades públicas a investirem neste
território em função dos impostos que aqui
eram pagos, sentem-se desiludidos, uma vez
que o desenvolvimento registado deve-se
em grande parte à iniciativa privada, tendo
em conta que todas as despesas relacionadas
com as infra-estruturas dos processos de
reconversão urbanísticas foram suportadas
pelos moradores. É certo que existiu em
alguns casos o acompanhamento e o apoio
muito importante da Câmara Municipal do
Seixal, contudo no meu entendimento, falta
em Fernão Ferro um gabinete técnico para
dar apoio às 131 AUGI´s que ainda no dia
de hoje existem.
Considerando que a conclusão dos
processos de reconversão das AUGI´s é
prioritário, defino aqui o Gabinete Técnico
da CMS como sendo a primeira necessidade.
Note-se que 131 AUGI´s representam cerca
de 70% do território de Fernão Ferro ainda
por reconverter urbanisticamente.
Só depois de se verificar concluído o
saneamento básico, o abastecimento de
água da rede pública e das ruas alcatroadas é
que podemos assumir que em Fernão Ferro
há uma qualidade de vida real, sustentada e
equilibrada.
Depois disto, temos vários equipamentos
de utilização colectiva, prometidos há
vários anos para Fernão Ferro e que são
fundamentais para sustentar a tese de que
há qualidade de vida.
O pavilhão, os bombeiros, o CDA
(deposito de água), o cemitério com

crematório, o quartel da GNR, piscinas
cobertas, etc. são alguns dos equipamentos
que passados 24 anos ainda estão por
concretizar. Destes equipamentos, destaco
o CDA como o mais urgente, considerando
o grave problema que uma parte da
população (das zonas já reconvertidas
urbanisticamente) se deparam durante os
meses mais quentes, quando a água da rede
não chega às suas casas.
Que perspectivas reais existem para
que nos próximos anos essas necessidades
possam ser concretizadas?
Tudo depende das vontades políticas de
quem assumir a administração da Câmara
Municipal do Seixal a partir de Outubro de
2017. Espero que essas vontades mudem e
que de uma vez por todas alguém assuma
o que foi prometido à população de Fernão
Ferro repetidamente nos últimos 20 anos.
No meu caso em particular, com apenas
três anos e meio de mandato, posso afirmar
que muitos têm sido os sonhos que já
concretizámos no âmbito das competências
da Junta de Freguesia, contando com o
apoio do Movimento Associativo e da
população em geral.
Pessoalmente, assumo o compromisso de
manter no futuro a postura que sempre me
caracterizou desde o inicio do mandato em
Outubro de 2013, ou seja, de defender os
interesses dos moradores de Fernão Ferro,
fazendo justiça á intenção dos que lutaram
para que Fernão Ferro hoje fosse Freguesia.

Saúde

CSS | 20 de Maio de 2017

10

Fel-da-terra

Filomena Sampaio e Vanda Pinto
Técnicas de Saúde Ambiental
USP HIGEIA
ACES Almada-Seixal

A moda Anti-Vax
Poucas pessoas em Portugal têm noção
do impacto das alterações climáticas
a nível local.Os fenómenos climáticos
tendem a ser cada vez mais extremos.
Os incêndios aumentaram e a
ocorrência de ondas de calor e secas, são
fenómenos cada vez mais frequentes.
Odesabrochar das flores e a chegada dos
pássaros, anunciam a Primavera cada vez
mais cedo.
Todos estes sinais, apontam para uma
aceleração do fenómeno das alterações
climáticas. Uma das alterações climáticas
mais importantes é o aquecimento
global.
O problema prende-se com o facto
de, no último século, o ritmo entre estas
variações climáticas, ter sofrido uma
forte aceleração e a tendência é de que
tome proporções, ainda mais caóticas.
A temperatura, no século passado,
registou um acréscimo de 0,76ºC. A
previsão é que, no presente suba entre
1,1 a 6,4ºC, dependendo das medidas
mitigadoras que sejam encetadas.
Tudo o que fazemos está dependente
do consumo de energia. Utilizar
o automóvel, ver televisão, usar
electrodomésticos, aquecer a casa,
depende da energia que é produzida
a partir de combustíveis fósseis, como
o petróleo, o carvão e o gás natural. A
queima destes combustíveis, liberta para
a atmosfera gases com efeito de estufa,
em particular CO2.
Apesar das alterações climáticas serem
um problema mundial, cada um de nós
pode contribuir para o mitigar. Pequenas
mudanças no nosso comportamento,
permitirão não só reduzir as emissões de
gases com efeito de estufa, sem afectar
a nossa qualidade de vida, e até poupar
algum dinheiro.

Publicidade

É apaixonante visitar o mesmo local
da floresta, da charneca ou da campina
inculta em diferentes épocas do ano. A
vegetação silvestre vai-se manifestando
de diversas maneiras, seduzindo os seus
apreciadores. Varia também consoante
as alterações meteorológicas. Como se
sabe, a característica principal do nosso
clima atlântico-mediterrânico é a da
irregularidade. Isso é de tal maneira
flagrante que chega a contrariar, em
absoluto, os provérbios tradicionais. Vejase aquele que estipula “em abril águas
mil coadas por um funil”. Pois é, mas
neste mês de abril da graça do senhor de
2017, só choveu, e muito ligeiramente,
no dia 30. A secura inusitada do início
de primavera forçou as plantas a apressar
o seu ciclo de vida e a amadurecer mais
cedo para transmitirem descendência e
assim propagarem as espécies.
No princípio do mês fui, de propósito,
ao Pinhal das Formas colher folhas de
cardo-mariano e fiquei deslumbrado com
a profusão de azuis proporcionados pelas
ervas-das-sete-sangrias. Já em maio, as
citadas flores tinham desaparecido e o
que sobressaia eram as hastes floridas do
fel-da-terra salpicando os campos de rosas
e amarelos. Fiquei maravilhado porque as
flores são lindas!
Antes de florir, ninguém vê o fel-daterra porque a planta é minúscula. Depois
ergue-se uma haste de 10 a 40 cm e
surgem flores inconfundíveis com pétalas
cor-de-rosa vivo e corolas amarelas. Há
ainda outra maneira de o identificar: basta
provar uma das folhinhas que é amarga
como o fel, o que originou um dos seus
nomes mais populares. Em muitas línguas
europeias também é conhecido por
centáurea, pequena centáurea, centáureamenor, planta-da-febre ou erva-febrífuga.
Há várias designações científicas para
o fel-da-terra: Centaurium erythraea,
Centaurium
minus,
Centaurium
umbellatum, Centaurium erytbraea, etc.,
sem contar com inúmeras subespécies que
pouco divergem entre si.
É uma herbácea da família das
Gencianáceas, quase sempre anual, com
folhas basais em roseta, caule solitário,
glabro, quadrangular, ramificado na
extremidade e possuindo pequenas
folhas sésseis, opostas e oblongas. As
flores, de cinco pétalas, são rosadas e
por vezes esbranquiçadas, dispondo-se
nos ramos como se fossem lâmpadas de
um candelabro. As sementes inserem-se
numa cápsula alongada.
Empregada desde remotas eras para
baixar a febre (antipirética), parece que

serviu, como conta a lenda, para cicatrizar
a ferida causada inadvertidamente num
pé de Hércules, pelo centauro Quíron, ou
vice-versa, já não sei bem.
Entre os principais componentes
químicos do fel-da-terra, temos, em
primeiro lugar, os glucósidos amargos
e depois, as resinas, os flavonóides,
o magnésio, os sais minerais, o óleo
essencial e várias estirpes de ácidos.
Para além de ser antipirética e
cicatrizante, a planta é tónica, estomacal,
laxante,
depurativa
do
sangue,
estimulante da secreção gástrica, antiinflamatória, anti-artrítica, analgésica,
carminativa e vermífuga.
Combate úlceras, feridas e eczemas
através de cataplasmas da planta inteira

Miguel Boieiro

semanas, de 60 g das sumidades floridas
num litro de vinho moscatel. Tomar no
intervalo das refeições.
Jamais se deve adoçar o “chá” porque
a bebida é tão amarga que o açúcar não
a faz mais apetecível, pelo contrário,
torna-a até deveras enjoativa.
Samuel Maia, no seu antiquíssimo
“Manual de Medicina Doméstica”,
indica-nos um laxante assaz curioso: 4
g de sumidades secas pulverizadas em
miolo de pão ou hóstia.
Finalmente, uma precaução a ter
em conta: o uso prolongado do fel-da-

DR

Artigo

colocada em cima das partes doentes.
Para uso interno pode ser extremamente
útil nos casos de falta de apetite e
anorexia, digestões pesadas, flatulências,
insuficiência hepática, prisão do ventre,
vermes intestinais, diabetes, etc.
É também muito utilizada em
preparados homeopáticos.
Oliveira Feijão recomenda o infuso de
30 g de fel-da-terra num litro de água,
a tintura (2 a 10 g por dia) e o “vinho”
obtido da maceração, durante duas

terra pode causar irritação das mucosas
gastrointestinais. Como na maior parte
dos tónicos amargos, devemos espaçar os
tratamentos, descansando uma semana,
após dez dias seguidos de uso.

GASTRONOMIA

CSS | 20 de Maio de 2017

11

DR

RECEITA:
Ratatouille em Flor de Massa Folhada Light
Preparação:
Abra a massa e corte ao meio.

Ingredientes:

Enquanto prepara a primeira flor, reserve
a outra metade no frigorífico. Pincele
com molho de tomate uma metade da
massa e disponha as beringelas, lado a
lado, com um pouco da parte superior
de fora da massa. Intercale a seguir, as
courgettes, os pimentos, e tempere com
sal, pimenta e azeite. Repita o processo
com a massa que ficou no frigorífico.



1 lâmina de massa folhada light
retangular



4 colheres de molho de tomate



10 rodelas finas de beringela



8 rodelas finas de courgette



8 fatias finas de pimento verde

Dobre a metade da massa que não foi
pincelada e enrole a receite.



8 fatias finas de pimento vermelho



pimenta e sal q.b.



azeite q.b.

Disponha num ramequins e cubra com
papel alumínio.
Leve por 1 hora ao forno, a 180 graus.
Retire o papel alumínio e deixe mais 30
minutos. Sirva como entrada.

Refood - Corroios

Publicidade

ENTREVISTA

CSS | 20 de Maio de 2017

12

MEMÓRIAS VIVAS DE UMA INSTITUIÇÃO
UM PERCURSO, MUITAS VIDAS

Com edição da Câmara Municipal do Seixal, foi apresentado no dia 28 de Abril o livro “A DELEGAÇÃO ESCOLAR DO CONCELHO DO SEIXAL
(1933-2014)” da autoria de Augusta Rosa Baldeira Madaleno Rodrigues, natural de Sabugueiro, concelho de Arraiolos, distrito de Évora.
Professora no concelho do Seixal, desempenhou as funções de Delegada Escolar e publica agora este livro que ficará para Memória Futura.
deste livro que mereceu o total apoio da
nossa Câmara Municipal. Posso dizer
que, na tarde do passado dia 28 de Abril,
eu vivi momentos de plena satisfação.
Como primeira presidente da Casa
do Educador do Seixal, diz se o espírito
de partilha de saberes e vivências
esteve na génese da criação da Casa do
Educador do Seixal?

A publicação desta obra significa
uma confirmação da dinâmica e do
espírito de mudança que imprimiste à
Delegação Escolar do Seixal?
Posso dizer que sim. É a confirmação
e divulgação das “Memórias Vivas” da
Instituição, com maior incidência na sua
dinâmica e mudanças que aconteceram a
partir do início da década 90, do século
passado, até ao seu encerramento, em
Dezembro de 2004. De realçar que,
eu só consegui imprimir uma vida
nova à Delegação Escolar do concelho
do Seixal porque contei com a ajuda
dos professores do 1.º Ciclo do Ensino
Básico e educadoras de infância, que
trabalharam comigo e no concelho, dos
meus superiores hierárquicos, da Câmara
Municipal do Seixal, Juntas de Freguesia,
empresas locais, pais e encarregados de
educação.
Consideras que foi importante e
profícua a sintonia existente entre a
tua actuação e o apoio de um concelho
onde predominou o espírito do 25 de
Abril?
AR – Claro que sim. Eu digo mesmo:
imprescindível! A minha actuação teria
sido impensável antes do “25 de Abril”,
ou noutro concelho, onde esse espírito
não estivesse presente no quotidiano
educativo local, nas prioridades da nossa
Câmara Municipal, Juntas de Freguesia
e na vida das Escolas Primárias/1.º Ciclo
do Ensino Básico. No concelho do Seixal,
a Educação sempre foi uma prioridade
e os desempenhos dos profissionais
da educação/ensino reconhecidos e
valorizados, pelos diferentes parceiros.
Foi essa sintonia que tornou possível
a minha postura, enquanto delegada
escolar, e permitiu que a Delegação
Escolar desenvolvesse os seus projectos e
participasse noutros, da responsabilidade
de escolas e autarquias, conforme o livro

Considero que sim. Antes de ser eleita
presidente da Casa do Educador, eu já
tinha desenvolvido, com a ajuda das
colegas que trabalhavam na Delegação
Escolar e outras que se juntavam a nós,
uma série de Encontros e actividades,
sempre com o mesmo espírito: a partilha
de talentos, vivências e habilidades. A
descoberta de “talentos escondidos” e sua
divulgação foi uma etapa, por exemplo.
Tive sempre a preocupação de valorizar
as pessoas e incentivá-las a partilharem
os seus saberes. Foram muitas, as Vidas
que, comigo, em uníssono, desde 1997,
alimentaram o sonho de um dia ser
possível a edificação de uma “Casa” de e
para professores, educadores, auxiliares
e outros profissionais da educação do
concelho. A actual Casa do Educador
do concelho do Seixal (CES) foi uma
testemunha.
realidade em 28 de Outubro de 2002.
Na apresentação do livro falaste dos Enquanto primeira presidente eleita,
professores que aceitaram participar mantive sempre o mesmo espírito
contigo nesses projectos. O que queres de partilha de saberes e respeito pela
identidade de cada um dos sócios e
dizer sobre esse contributo?
amigos da CES.
A Delegação Escolar desenvolveu
projectos que iam para além das suas
competências, com principal destaque
para os “Encontros de Professores do
1.º Ciclo e Auxiliares Aposentados”
que foram a génese da actual Casa do
Educador do Concelho do Seixal. Este e
os outros projectos só evoluíram, graças
ao empenho e colaboração de professores
e auxiliares aposentados e no activo,
educadores de infância, autarquias,
instituições locais e regionais e outros,
como consta no livro. Contudo, os
professores, em maior número, foram o
centro de todas as mudanças e de todas as
concretizações, apesar de termos sempre
presente os educadores de infância e as
auxiliares de acção educativa. Sem a
motivação, o envolvimento e a prestimosa
colaboração de todos, ao longo dos anos,
a Delegação Escolar não teria tido um
percurso tão nobre, tão reconhecido.
Na apresentação deste livro, o
auditório da Câmara esteve repleto de
colegas, de amigos e representantes das
várias Instituições do concelho. Revela
que sentimentos experimentaste nesses
longos momentos?
Na apresentação do livro, ao ver o
auditório repleto de pessoas amigas e
familiares, e pensando também nas cerca
de 70 que justificaram a sua ausência, eu
senti-me muito feliz; senti uma alegria
imensa, reconhecimento pelo trabalho
que desenvolvi, orgulho por ter tido a
oportunidade de desempenhar funções
de delegada escolar deste concelho e uma
gratidão enorme, por ter conseguido
concretizar, entre outros sonhos, a edição

Como todos sabemos esta é a
segunda obra que publicas em prosa.
Sabendo-te frequentadora de tertúlias,
participante em antologias poéticas.
Queria perguntar-te, para quando a
publicação de um livro de poemas?
Na realidade, eu gosto muito de
brincar com as palavras, entrelaçá-las
e dar-lhes diferentes sentidos. Tenho
alguns textos poéticos que fui juntando,
ao longo dos anos, os quais partilho, por
vezes, em tertúlias. Contudo, entendi dar
prioridade à publicação destas duas obras,
por considerá-las testemunhos históricos.
A 1ª surgiu por mero acaso e a 2ª adveio
da necessidade que senti em deixar,
para a posteridade, um registo de uma
instituição que durante 70 anos serviu a
população escolar do Ensino Primário/1.º
Ciclo do Ensino Básico do concelho do
Seixal. Muito a meu jeito, continuo a
sonhar com a publicação do meu livro de
“poemas”. Quando? - Não sei. Acredito
que tudo acontece a seu tempo. Portanto,
esse dia vai chegar.

Maria Vitória Afonso

A

Agenda
Agenda

CSS | 20 de Maio de 2017

13

DR

Associação Nacional
de Municípios Portugueses

Festival
das sopas

A

DR

Associação Nacional
de Municípios Portugueses
(ANMP) vai realizar mais um
Conselho Diretivo descentralizado. A reunião decorrerá na
próxima terça-feira, dia 23, a
partir das 10 horas, nos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal. Um dos assuntos
em análise, nesta reunião, será a Proposta de Lei do Orçamento
do Estado para 2018. No entanto, serão também analisados
outros temas relevantes para as autarquias locais.

Realiza-se hoje, dia 20
de Maio pelas 17 horas o
Festival das Sopas, promovido pelo Agrupamento de
Escoteiros 835, no Clube
Desportivo e Cultural do
Casal do Marco.
A animar o festival vai estar Rute Madeira com o seu
karaoke.
Para além das sopas,
haverá também bifanas,
caracóis e bebidas variadas.

Finisterra Arrábida Film Art
& Tourism Festival
DR

DR

De 23 a 25 de Maio tem
lugar o VI Finisterra Arrábida
Film Art & Tourism Festival.
Esta edição terá exibição de
filmes nos dias 23 e 24 de
Maio e encerra no dia 25 de
Maio com a cerimónia de
encerramento bem como
um espectáculo de dança de Bollywood. O festival decorre no
Cineteatro Municipal João Mota em Sesimbra e tem entrada
livre mediante lotação da sala.
Publicidade

How to Become
Nothing –
The Legendary
Tigerman
Paulo Furtado, conhecido no mundo da música
como The Legendary Tigerman, vem ao Auditório
Municipal do Fórum Cultural do Seixal hoje, dia 20
de Maio, apresentar o seu
mais recente projecto How
to Become Nothing. Este
trabalho conta com a colaboração de Pedro Maia
e Rita Lino e conta-nos em
forma de filme/concerto
a história de uma viagem
pelo deserto da Califórnia,
nos EUA. Os bilhetes já estão à venda.
DR

Música
de Salão
O Espaço Multiusos da
Fortaleza de Santiago em
Sesimbra recebe já neste
Domingo, dia 21 de Maio, o
“Concerto de Piano a Quatro Mãos” de José Bom
de Sousa e João Lucena
e Vale. Os dois pianistas
portugueses apresentam o
projecto “Música de Salão”
às 16:30 e a entrada é livre.

lazer

CSS | 20 de Maio de 2017

12
14
14

sopa de letras

LEGUMES

cinema

REI ARTUR:
A LENDA DA ESPADA

Carneiro

20 a 25 de Maio
21-03 a 20-04

Amor: Cuidado com os amores que só causam sofrimento e
dor. Pense mais em si.
Saúde: Tenderá a ter dores de cabeça. Vigie a tensão
arterial.
Dinheiro: Período favorável no que concerne a situação laboral. Poderá vir a receber benefícios.
Números da Semana: 01, 08, 10, 14, 19, 22

Touro

21-04 a 21-05

Amor: Dedique mais tempo à sua família e à pessoa amada
pois eles sentem a sua falta.
Saúde: Poderá ser afetado por dores musculares.
Dinheiro: Este período será caracterizado por dúvidas profissionais que poderão fazê-lo tentar ser mais contido relativamente aos seus gastos.
Números da Semana: 05, 15, 20, 28, 35, 39

Gémeos

21-04 a 21-05

Amor: Afaste-se da rotina com a pessoa amada. Opte por
fazer aquela viagem há muito planeada.
Saúde: Atravessa um período regular a este nível, sem sobressaltos nem surpresas.
Dinheiro: Poderá, em breve, ver os seus objetivos alcançados.
Números da Semana: 19, 24, 26, 38, 39, 42

Caranguejo

dr

Leão

Sudoku

21-06 a 23-07

Amor: Não se deixe levar por pensamentos negativos,
melhores tempos virão.
Saúde: Fase de fadiga excessiva. Descanse mais.
Dinheiro: Não seja demasiado autoconfiante neste domínio,
pois as coisas podem não correr como o previsto.
Números da Semana: 03, 09, 15, 18, 27, 29

Quando o pai de Artur é assassinado, Vortigern
(Jude Law), tio de Artur, usurpa a coroa. Privado
do seu direito de berço e sem qualquer ideia de
quem realmente é, Artur acaba por crescer da
maneira mais dura nas ruas e vielas da cidade.
Mas no momento em que ele retira com sucesso
a mítica espada da pedra, a sua vida sofre uma
reviravolta e ele vê-se forçado a honrar o seu
legado... quer ele queira, quer não.

música

EXCUSE ME

24-07 a 23-08

Amor: Neste momento estará mais confiante e, por isso, encontrará facilmente um clima de equilíbrio nas suas relações.
Saúde: Cuidado com a alimentação que faz, opte por alimentos mais saudáveis e menos calóricos.
Dinheiro: Boas perspetivas avizinham-se a este nível,
por isso defina cuidadosamente os seus objetivos e
empenhe-se na sua concretização.
Números da Semana: 18, 25, 29, 33, 36, 39

Virgem

24-08 a 23-09

Amor: A sua facilidade de comunicação e o à-vontade com
que aborda as pessoas e as situações traduzem-se num
clima tranquilo na vida sentimental.
Saúde: Encontra-se num momento favorável, mas em que
cometerá alguns excessos.
Dinheiro: Aposte na projeção profissional e poderá
alcançar os seus objetivos, mas não gaste demasiado.
Números da Semana: 01, 09, 11, 28, 31, 34

Balança

24-09 a 23-10

Amor: Surgirão ótimas oportunidades para o compromisso afetivo. Poderá encontrar um novo amor ou
solidificar o atual.
Saúde: Possíveis problemas no sistema nervoso poderão deixá-lo inquieto, seja mais otimista!
Dinheiro: Não confie demasiado nos outros ou poderá sofrer alguns enganos.
Números da Semana: 08, 16, 33, 38, 42, 46

Escorpião

24-10 a 22-11

Amor: Serão vividos nesta fase muitos momentos de harmonia familiar e sentimental.
Saúde: Não apresenta quaisquer motivos de preocupação
neste plano.
Dinheiro: Dê um passo de cada vez e alcançará os seus
objetivos.
Números da Semana: 2, 4, 7, 12, 16, 17

dr

Sagitário

SOLUÇÃO

Depois de ter passado pelos Estados
Unidos e de alguns anos a residir em
Barcelona onde estudou jazz na prestigiada
escola Taller de Musics, Salvador regressou a
Portugal onde tem trabalhado neste primeiro
disco de originais. Durante o período de
gravações, Salvador Sobral acedeu ao desafio
para integrar um dos palcos da edição de
2015 do Vodafone Mexefest e, ainda sem
o disco editado, acolheu generosas críticas
por parte do público e da imprensa. O disco
chama-se “Excuse me”, que é também o
nome do single de apresentação já disponível
e teve a co-produção musical do pianista
Júlio Resende, do talentoso compositor
venezuelano Leonardo Aldrey e do próprio
Salvador Sobral.

23-11 a 21-12

Amor: Uma paixão atual poderá acabar com o passar do
tempo, mas não se preocupe pois haverá ótimas novidades a nível afetivo no futuro.
Saúde: Gozará de grande vitalidade neste período.
Dinheiro: Siga os conselhos de peritos antes de iniciar
algum negócio, não se atire de cabeça sem avaliar as
consequências.
Números da Semana: 14, 26, 28, 31, 37, 42

Capricórnio

22-12 a 20-01

Amor: Não confunda os seus sentimentos e pense muito
bem antes de assumir uma relação.
Saúde: A sua alimentação deverá ser um pouco mais
equilibrada.
Dinheiro: Não se exceda nas suas compras, pois não
está no momento indicado para o fazer.
Números da Semana: 13, 19, 24, 29, 35, 36

Aquário

21-01 a 19-02

Amor: Não deixe que a criatividade e a imaginação desapareçam da sua relação afetiva, cultive-as constantemente.
Saúde: Poderá sofrer de algumas dores de rins.
Dinheiro: É provável que tenha de enfrentar alguns problemas
financeiros, mas tudo se resolverá.
Números da Semana: 14, 27, 30, 34, 36, 38

Peixes

20-02 a 20-03

Amor: Visite com maior regularidade os seus familiares
mais próximos.
Saúde: Poderá sofrer de algumas dores de pernas e
musculares.
Dinheiro: Cuidado com os gastos inesperados, planifique
muito bem as suas despesas.
Números da Semana: 02, 25, 29, 30, 34, 42

desporto

CSS | 20 de Maio de 2017

11
15

GINÁSTICA DE
MANUTENÇÃO
DO CCRAM

Seixal Clube 1925

A Federação de Ginástica escolheu como cabeça de cartaz para
esta edição do evento a classe de Manutenção do Centro Cultural e
Recreativo do Alto do Moinho (CCRAM). Uma prova do sucesso desenvolvido na edição anterior.

dr

As basquetebolistas Sub-19 do Seixal
Clube 1925 garantiram a presença na
final da XX Taça Nacional de Sub-19
ao derrotarem na última jornada da 2ª
fase o Quarteira Tubarões por 83-52
terminando assim em primeiro lugar no
grupo da zona Sul.

dr

As atletas seixalenses vão defrontar na
final a turma do Illiabum Clube de Ílhavo,
final essa que será jogada no próximo dia
4 de Junho em Quarteira.

GINÁSTICA AERÓBICA
DO CCRAM

Publicidade

participantes em diferentes workshops
temáticos, originando um salutar
convívio entre todos.
Para o final, ficaram reservadas as
apresentações dos diversos grupos e em
que o CCRAM esteve em evidência –
tendo mesmo sido felicitado por parte da
Federação de Ginástica de Portugal.
Todos os participantes estão de
parabéns!

Campeão Nacional com 15,300 ptos. Os dois
ginastas apuraram-se para as Super Finais a
disputar em Guimarães a 10 e 11 de junho.
Na Divisão Base, Núria Pegudo (escalão
júnior) realizou um bom exercício com a
obtenção de 14,600 ptos e o 5º lugar.
No escalão Sénior, Ana Sofia Ferreira
conquistou o 2º lugar com 14,300 ptos.
O CCRAM endereça os honrosos parabéns
a todos ginastas.
dr

A 12ª edição do Séniorgym – Festival
Nacional de Ginástica, Saúde e Vida Ativa
- realizou-se no passado dia 6 de maio,
na cidade de Vila Real e contou com a
presença de cerca de 400 participantes
provenientes de 10 clubes nacionais.
O CCRAlto do Moinho esteve, pela
segunda vez, representado com a classe de
Manutenção “Sempre Jovens”. Foi mais
uma experiência bastante enriquecedora
que contou com a participação dos

No fim-de-semana de 6 e 7 de maio,
realizou-se no Pavilhão Municipal da Quinta
do Conde, oCampeonato Nacional de
Aeróbica Desportiva.
O Centro Cultural e Recreativo do Alto
do Moinho (CCRAM) participou com 4
ginastas:
João Salvado a competir no escalão
Elite Júnior destacou-se ao sagrar-se ViceCampeão Nacional com 18,475 ptos. Esta
pontuação permite-lhe aspirar a estar presente
no Campeonato da Europa próximo. Apenas
terá de repetir uma vez mais esta pontuação.
Na 1ª Divisão,Diana Lino, apesar de
algumas falhas na sua rotina, alcançou o 4º
lugar com 16,100 ptos.
O par misto Diana Lino/João Salvado foi

Publicidade
16
16

CSS | 20 de Maio de 2017


Comércio 337.pdf - página 1/16
 
Comércio 337.pdf - página 2/16
Comércio 337.pdf - página 3/16
Comércio 337.pdf - página 4/16
Comércio 337.pdf - página 5/16
Comércio 337.pdf - página 6/16
 




Descargar el documento (PDF)

Comércio 337.pdf (PDF, 7.1 MB)





Documentos relacionados


Documento PDF comercio 337
Documento PDF comercio 338
Documento PDF comercio 322
Documento PDF comercio 346
Documento PDF comercio 348
Documento PDF comercio 328

Palabras claves relacionadas