Comercio 327 .pdf



Nombre del archivo original: Comercio 327.pdf

Este documento en formato PDF 1.5 fue generado por Adobe InDesign CS4 (6.0) / Adobe PDF Library 9.0, y fue enviado en caja-pdf.es el 19/12/2016 a las 23:02, desde la dirección IP 85.242.x.x. La página de descarga de documentos ha sido vista 1795 veces.
Tamaño del archivo: 8.3 MB (24 páginas).
Privacidad: archivo público



Vista previa del documento


Preço: 0,01
Publicidade

Semanário | Terça-Feira | 20 de Dezembro de 2016 | Ano X | N.º 327

Director: Fernando Borges

GRIPE PLANO
DE CONTINGÊNCIA

ENTREVISTA

REPORTAGEM

SOCIEDADE

A Câmara responde

Natal na AURPIS

Réveillon de Sesimbra

Sobre a auditoria efectuada pelo Tribunal de Contas à Câmara Municipal do
Seixal, fomos ouvir o seu presidente Joaquim Santos, a fim de se pronunciar e
esclarecer alguns pontos constantes no
relatório.
Pág. 9

Acompanhámos a festa de Natal da
AURPIS, instituição que comporta 4
valências de apoio social, como Lar de
Idosos, Creche, Centro de Dia e Serviço
de Apoio Domiciliário.

Uma das passagens de ano mais procuradas do país, Sesimbra assume esta noite
como um dos pontos altos no aspecto turístico, com a originalidade de se estender
ao mundo subaquático.

Pág. 12 e 13

Pág. 17

Publicidade

Publicidade

Até ao dia 28 de Fevereiro de 2017
o Centro de Saúde de Amora terá
horário prolongado até às 22 horas
nos dias úteis e até às 17 horas nos
feriados e fins-de-semana.
Em caso de sintomas de gripe,
ligue para SAÚDE 24 (808 24 24 24)
como primeiro ponto de contacto
com o sistema de saúde. Com este
procedimento, se for encaminhado pelo
sistema para o Serviço de Urgência do
HGO, não pagará taxa moderadora.

Publicidade
2

CSS | 20 de Dezembro de 2016

entrevista

CSS | 20 de Dezembro de 2016

3

re-food

Celino Cunha Vieira

editorial

No outono de 2010, surge a ideia de
criar o Projeto Re-food. Este projeto
é uma solução eco humanitária,
gerida pelos cidadãos na sua própria
comunidade, com o objectivo de eliminar
desperdício alimentar e acabar com a
fome, envolvendo a toda a comunidade
numa acção 100% voluntária, que resulta
em três benefícios: o aproveitamento
de comida anteriormente desperdiçada,
uma nova segurança alimentar para
pessoas anteriormente em situação de
insegurança alimentar, a criação duma
comunidade mais solidária.
O Movimento Re-food nasceu na
antiga freguesia de Nossa Senhora da
Fátima, no coração de Lisboa no dia 9 de
Março, 2011. Considerado um projeto
nacional no sentido que há 34 núcleos
em pleno funcionamento (deste Braga até
Faro) e mais 20 a trabalhar para abrir. E, ao
mesmo tempo internacional, no sentido
de que há uma equipa trabalhando para
abrir em Madrid, e interesse em várias
outras cidades da Europa e do mundo.
É também universal no sentido que,
a 3ª condição necessária para a resposta
Re-food existe em todas as comunidades
do mundo: (1) comida em perfeitas
condições indo diariamente para o lixo
nas mesmas comunidades onde (2)
pessoas passam fome e (3) a existência,
nestas comunidades de pessoas de boa
vontade e empenho que estão disponíveis
a fazer o "ponte humana" entre excesso e
necessidade.
Os seus valores assentam na,
Igualdade - Todas as pessoas têm o

direito a serem respeitadas e alimentadas,
Respeito - Baseamo-nos em relações
humanas positivas, onde todos se
respeitam. Devemos ser uma força
visível e constante de benevolência na
comunidade, Inclusão - Acreditamos que
as pessoas e os recursos são essenciais e
devem contribuir para uma comunidade
mais solidária, Sustentabilidade Consideramos o impacto ambiental do
nosso Movimento, respeitamos as pessoas
na sua disponibilidade e procuramos a
autossustentabilidade financeira a nível
local, regional, nacional e internacional,
Optimismo - Acreditamos que, com boa
vontade e esforço organizado, é possível
acabar com o desperdício de alimentos e
com a fome no mundo.
Os seus critérios utilizados no processo
de recrutamento de novos voluntários,
consiste em, Convidamos todos os
cidadãos a doar 2 horas uma vez por
semana para alimentar 10 pessoas na
mesma comunidade. O processo é
convidar, convidar e convidar.
A equipa que compõe a Re-food, é
composta por pessoas que se importam
com a sua comunidade e seus concidadãos
e que percebem que têm o poder a mudar
o mundo à sua volta.
Com vários prémios atribuídos ao
longo destes anos de existência, para
a Re-food o melhor prémio recebido
é, o sorriso genuíno oferecido por, um
beneficiário.
“Queres mudar o mundo? Junta-te a
nós e vem fazer Re-food!”

Administração, Redacção
e Publicidade

Director: Fernando Borges - CP1608
Registo do título: 125282
Depósito Legal: N.º 267646/07
Contribuinte N.º 194 065 499
Propriedade e Editor: Ângela Rosa

Rua Seixal Futebol Clube, n.º 1, 1.º Dt
2840 - 523 Seixal
Telm. 969 856 802
Telf. 210 991 683
comerciodoseixal@gmail.com
http://jornalcomerciodoseixalesesimbra.wordpress.com
Facebook: Comércio do Seixal e Sesimbra

Director Adjunto: Celino Cunha Vieira TE1218
Directora Comercial: Ângela Rosa
Paginação: Sofia Rosa
Desporto: Luis Pontes CO1039
Repórter: Fernando Soares Reis CP6261
Colaboradores: Adriana Marçal, Agostinho António Cunha,
Alvaro Giesta, ANIVET - Consultório Veterinário, Dário Codinha,
Fernando Fitas CP2760, Hugo Manuelito, José Henriques, José
Lourenço, João Araújo, Jorge Neves, José Mantas, José Sarmento,

Ao aproximar-se o fim do ano,
é costume fazer-se um balanço dos
principais acontecimentos ocorridos
e projectar-se o que se prevê para o
ano seguinte. Nas nossas páginas
destacaram-se dois temas que pela sua
importância e o impacto que causaram
na população, acabaram por ser
referidos em mais do que uma edição: as
intermináveis obras no núcleo histórico
do Seixal e a poluição causada pela exSiderurgia Nacional.
Adiada sistematicamente a conclusão
das obras de requalificação e depois de
várias reuniões com os moradores e os
comerciantes da zona que com toda a
razão manifestaram o seu desagrado, a
promessa era de que seria até ao final de
Novembro e ultrapassado este prazo, até
ao final de Dezembro. Mas quem por lá
passa não acredita que isso seja cumprido,
porque parece tudo estar na mesma ou
que pouco se evoluiu, continuando o
Seixal intransitável e transformado em
um gigantesco estaleiro.
Quanto à poluição que se espalha não
só pela Aldeia de Paio Pires mas por todo
o Concelho do Seixal e até do Barreiro,
com origem na ex-Siderurgia Nacional/
Megasa, o assunto é muito mais grave
porque envolve variadas entidades que
parece não terem vontade ou capacidade
para obrigarem a fonte poluidora a
cumprir a legislação existente, pondo
em risco a saúde da população.
Também nestes últimos dias do ano
se ficou a conhecer o relatório sobre
a auditoria que o Tribunal de Contas
efectuou aos exercícios orçamentais da
C.M.S, e porque muito se especulou
sobre o mesmo, fomos ouvir o Presidente
da Câmara para que ele pudesse
esclarecer alguns pontos aí referidos.
Nesta edição publicamos também
algumas mensagens de Boas Festas
que traduzem o sentimento comum
da quadra festiva que atravessamos e
recolhemos 4 histórias de experiências
vividas por quem já passou muitos Natais
com maiores ou menores dificuldades,
mas que hoje, tranquilamente, sabem
transmitir experiências e saberes que só
a idade permite e que ainda têm muito
amor para dar.
Quanto a nós, voltamos hoje às 24
páginas, continuando a tentar fazer mais
e melhor, consolidando um projecto que
se aproxima dos 10 anos de existência,
desejando que no próximo ano as
dificuldades pessoais e colectivas possam
ser superadas e que todos concretizem os
sonhos e objectivos que este ano ficaram
por realizar.
Um destaque especial para a foto da
primeira página em que o “Comércio”
juntou na AURPIS as gerações dos
netos e dos avós para vos desejar as Boas
Festas.

Maria Vitória Afonso, Maria Susana Mexia, Mário Barradas, Miguel
Boieiro, Paulo Nascimento, Paulo Silva, Pinhal Dias, Rúben Lopes,
Rui Hélder Feio, Vitor Sarmento.
Impressão: Funchalense - Empresa Gráfica, S.A.
Tiragem: 15.000 exemplares
O «Comércio» não se responsabiliza nem pode ser responsabilizado pelos
artigos assinados pelos colaboradores. Todo o conteúdo dos mesmos é da
inteira responsabilidade dos respectivos autores.

social

CSS | 20 de Dezembro de 2016

4

BURACO DA MINHOCA

Peter Francisco

O herói português da Revolução Americana
Dário S. Cardina Codinha

Revolução Americana.
Com o início da Revolução das 13
Colónias e da Guerra da Independência
contra o Império Britânico (em 1775),
Peter Francisco voluntariou-se para se
juntar às tropas dos revoltosos, tendo
participado em várias batalhas, tendo
estado sob o comando de George
Washington, general e 1º Presidente dos
Estados Unidos da América – participou
em várias batalhas, como a batalha
de Brandywine Creek em 1777, a de
Camden em 1780 e a de Guilford House
em1781. A sua bravura nos campos de
batalha levou Washington a apelidar
Peter Francisco de um “exército de um
só homem”. Ao longo de toda a guerra,
foi ferido 6 vezes e só ao ter sido ferido
à sexta vez que foi forçado a abandonar
os campos da batalha, mas nesse mesmo
ano, a rendição do General Cornwalys
– líder da forças britânicas – levaria ao
fim da guerra e ao reconhecimento da
independência dos EUA por parte do
Reino Unido. Após o fim da guerra,
Peter Francisco tornaria-se proprietário
e viveu até 1831, tendo casado 3 vezes e
tido vários filhos. Numa nota especial:
por Decreto Real da Rainha D. Maria
I de 3 de Setembro de 1783, o Reino de
Portugal reconhecia a independência
dos EUA, tendo-se se tornado a primeira
nação neutral a reconhecê-la.

Epecial Nascimentos
1- Uma das questões da cosmologia
prende-se com a formação de galáxias e
buracos negros. As galáxias e os buracos
negros crescem juntos? Para entender
é necessário estudar as galáxias do
universo primordial (entre 1 e 1,5 mil
milhões de anos após Big Bang).
Com a ajuda do telescópio do Polo
Sul e o método da lente gravitacional
conseguiram ver uma galáxia formada
mil milhões de anos após Big Bang e
repararam numa grande emissão de
infra-vermelho que indica a presenta
de um buraco negro mas também a
presença de grande formação de estrelas.
Então, apontaram o Xandra, um
telescópio que detecta raios-X, para o
centro da galáxia mas não encontraram
qualquer emissão em raio-X, o que
revelou que a galáxia primordial não
apresenta um buraco negro mas sim
uma alta taxa de formação estelar.
O especial desta galáxia é que a sua
taxa de formação estelar é de 4500 massas
solares por ano (a Via Láctea forma uma
massa sola por ano) e ficou classificada
como galáxia de hiper formação estelar,
é uma hyper starburst galaxy e indica
que tem um grande reservatório de gás
frio que se está a converter em estrelas
com elevada eficiência.
Com mais galáxias nesta faixa de
tempo do universo podemos entender se
os buracos negros e as gqláxias nascem e
crescem juntos ou se esta é uma galáxia
de um grupo especial. Esta galáxia pode
ser o resultado da fusão de duas galáxias
e, quando tal acontece, ocorre um
aumento na formação de estrelas
2- Já sabemos que a formação de
sistemas planetários acontece no interior
de nuvens de gás, que se aglutina até um
ponto em que a gravidade se torna forte o
suficiente para promover a fusão nuclear
e, assim, o nascimento da estrela, com
um disco proto-planetário ao seu redor.
A questão é: o que perturba essa nuvem
para que forma estas estruturas? Será
uma onda de choque que dá início ao
processo.
Se a onda de choque de uma
supernova próxima passou por cá, terá
deixado algum registo. Pesquisadores
começaram a estudar meteoritos e
procurar elementos radioactivos muito
pesados que apenas se formam nas
supernovas.
Um dos elementos é o Berílio10,
cuja formação ocorre apenas no interior
de supernovas. Se for encontrado em
meteoritos, então a onda de choque
passou por cá.
Encontraram o Berílio10, logo
poderia ter sido uma supernova ou
outros processos, mas a abundância geral
do elemento espalhado pela população
de meteoritos indica que foi, de facto,
uma supernova. Também o Cálcio 41, o
Paládio 107 e outros elementos mostram
que terá passado essa onda de choque.
A supernova responsável terá de ter sido
uma estrela de massa baixa (supernova
de colapso de núcleo de baixa massa),
para não varrer toda a poeira.

DR

Legenda: Retrato de Peter Francisco (1760-1831)

Herói da história dos EUA, mas herói
esquecido da história do nosso país
foi o luso-americano Peter Francisco
(como é conhecido no “Novo Mundo”).
Algures no ano de 1765, na City Point
na colónia inglesa da Virgínia, este fora
encontrado, ainda criança, por um
grupo de locais que descobriram que
falava português e que repetia o nome
de “Pedro Francisco”, presumindo-se
que este era o seu nome. Das poucas
memórias que teve, Pedro lembrava-se
apenas de ter sido raptado por homens
que o tinham deixado no porto onde foi

encontrado .Apesar de ser desconhecida
a sua data e local de nascimento,
investigações históricas revelaram que
este poderá ter nascido nos Açores, visto
haver registos paroquiais que apontam
o nascimento de um Pedro Francisco,
a 9 de Julho de 1760, na paróquia do
Porto Judeu na Ilha da Terceira, no
Arquipélago dos Açores. A sua altura
e o seu peso, que segundo o folclore
norte-americano diz-se terem chegado a
ultrapassar os 2 metros e os 100 quilos
de peso, levou muitos a titularem-no
de o “Golias” ou de o “Hércules” da

Peter Francisco é nos dias de hoje uma
importante personalidade do folclore
dos EUA e uma importante figura entre
a comunidade luso-americana: vários
estados do Nordeste dos EUA celebram
o “Peter Francisco Day”. No entanto, o
facto de só em 2015 ter sido inaugurada
uma estátua em sua homenagem na
freguesia do Porto Judeu (muito graças
à iniciativa de um dos seus descendentes
norte-americanos)
demonstra
que
ainda falta muito reconhecimento dos
portugueses por esta importante figura
histórica dos 2 países.

ROSTOS DO SEIXAL
Domingos José Soares
de Almeida Lima (1949)
Nasceu na Aldeia de Paio Pires, vivendo a infância entre as hortas e as vinhas
da sua aldeia natal. Militante do Partido
Social Democrata (PSD) desde 1975, fundou a sua secção no Seixal. Licenciado em
Direito pela Universidade de Lisboa, ocupou vários cargos sociais e empresariais,
para além da sua profissão de advogado,
tais como Secretário-Geral da Associação
Portuguesa dos Fabricantes de Tintas e
Vernizes (1976 a 1977), Vogal, Vice-Presidente e Presidente da Comissão Política
Distrital de Setúbal do PSD, Presidente
do Conselho de Jurisdição Distrital de
Setúbal, Vogal no Conselho de Jurisdição
Nacional, deputado da Assembleia Municipal do Seixal e vereador da Câmara

Municipal do Seixal. Em 1991, foi eleito
deputado na Assembleia da República e,
entre 1992 e 1995, nomeado Governador
do Distrito de Setúbal. Foi ainda deputado na Assembleia Municipal de Almada
(2005 a 2009). Hoje, reformado, continua a ser uma figura de relevo do concelho do Seixal, mantendo uma ligação
estreita ao Sport Lisboa e Benfica.

Mário Barradas
Envie a sua sugestão de «Rostos do Seixal» para
comerciodoseixal@gmail.com

PUBLICIDADE

CSS | 20 de Dezembro de 2016

5

CSS | 20 de Dezembro de 2016

6

Feliz Natal
Ao ritmo que a maioria das famílias vive atualmente, entre o trabalho, a escola, as atividades
complementares, resta apenas algum tempo para
descanso e pouco mais.
A quadra natalícia tem esta capacidade mágica
de nos conseguir fazer abrandar, para que possamos dar valor àquilo que é mais valioso. Para
que se reforcem os laços de amizade que nos ligam
àqueles que nos são mais próximos e de solidariedade e entreajuda, que nos aproximam dos que

vivem à nossa volta.
Esta quadra é, inevitavelmente, uma época de balanços. Olhamos para
trás e procuramos avaliar o que correu bem e o que poderia ter corrido melhor, num momento de enorme aprendizagem. Naturalmente que,
depois de feito o balanço, é altura de preparar o novo ano. Objetivos,
ideias, expectativas, projetos, surgem nas nossas mentes, e nessa altura
fazemos a promessa de os tentar alcançar a todos. Sabemos, no entanto,
que uns vão ser concretizados, outros não. Mas também sabemos que no
final do próximo ano estaremos a projetar novamente o futuro.
Para além de todo o simbolismo que transporta, o Natal é também este
momento em que, interiormente, fechamos um ciclo e iniciamos outro,
sempre com uma imensa esperança.
Em nome do município de Sesimbra, desejo aos munícipes das freguesias
de Santiago, Castelo e Quinta do Conde, assim como a todos aqueles
que nos visitam durante o ano, uma quadra natalícia muito feliz, e um
excelente 2017, cheio de conquistas a todos os níveis.
Felícia Costa
Vice-Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra

Publicidade

"Nesta época natalícia e com o aproximar de um novo ano, uma mensagem da Comissão Concelhia do Seixal do PCP de boas festas a
todos os que vivem ou trabalham no Concelho do Seixal.
A nova realidade política e social em que vivemos, só possível devido
à acção decisiva do PCP, mostra que é possível ir mais longe na
reposição e conquista de direitos e rendimentos, no aumento dos salários, na melhoria das condições de vida e de trabalho.
Apelamos aos trabalhadores e à população do Seixal, para que tomem
nas suas mãos, a defesa dos seus interesses e direitos, para que
juntos, concretizemos a política patriótica e esquerda, para um Portugal desenvolvido e soberano.
Neste concelho do Seixal, concelho de Abril, desejamos que o ano de 2017 seja um ano
melhor para todos, no caminho da esperança e do futuro."
Vasco Paleta
Presidente da Concelhia PCP SEIXAL

BOAS FESTAS

"O Natal está à nossa porta! É uma época
de paz, solidariedade e
fraternidade celebrada em
família. No Seixal trabalhamos todos os dias para
promover uma melhor
qualidade de vida e ser
feliz junto daqueles que
mais se ama.
Em meu nome pessoal e do Município quero desejar a todos umas Boas Festas e um Feliz Natal,
prosseguindo o caminho que temos trilhado juntos,
construindo um futuro melhor para todos, intervindo
e lutando em áreas fundamentais como a saúde, a
educação, a cultura, o desporto, a área social ou
o ambiente.
Festas Felizes"
Joaquim Santos
Presidente da Câmara Municipal do Seixal

CSS | 20 de Dezembro de 2016

7

Os votos(do PS Seixal) em 500 caracteres
Devolvemos o optimismo aos portugueses. Deixamos no sapatinho a esperança
renovada dum próximo ano de consolidação de bem governar. Deixamos mais
dinheiro na carteira dos portugueses. Rasgámos a página do glossário de economia que dizia défice. No Seixal escolhemos os melhores para liderar o projecto
autárquico 2017. Somos uma alternativa séria, competente, e capaz de colocar
no sapatinho da população do Seixal uma qualidade de vida melhor do que
aquela que quem lidera os destinos do nosso Concelho há quarenta anos nos
tem deixado. Um Feliz e Optimista Natal.
Marco Teles Fernandes
Presidente da Comissão Politica do PS Seixal
Aprofundar este rumo de esperança
A “quadra natalícia” que decorre até Dia de Reis, incorpora a transição de ano e esta
condição impele-nos para o balanço do ano que agora finda e para as inevitáveis comparações.
A réstia de esperança em melhores momentos, que há um ano prenunciámos, não se esfumou e, na generalidade, estamos este ano melhor que em anos anteriores.
Trocados os protagonistas políticos, derrotada a “teoria das inevitabilidades”, transpostas
fronteiras e construídas pontes de diálogo, hoje até já nos surpreende a realidade do
quotidiano vigente ainda há cerca de um ano. As reconquistas que os portugueses conseguiram, valem muito materialmente, mas também valem pelo seu simbolismo.
Neste ano a Quinta do Conde evoluiu, naturalmente. Tem agora mais pessoas. Constatação reconfortante para quem crê residir nestas a “mais valia” da nossa terra. É às pessoas que dedicamos o nosso
dia-a-dia.
O Natal convida-nos a meditar nos valores da dignidade humana, da solidariedade, da fraternidade e da justiça
social. A meditar na situação dos nossos idosos e das nossas crianças. A época estimula também a meditar nos
que sofrem com a doença ou com a solidão, e naqueles a quem a pobreza empurrou para a margem da sociedade.
Na Junta de Freguesia da Quinta do Conde afirmamo-nos disponíveis, ativos e cooperantes, orientados na concretização dos anseios de progresso e justiça social, sem colocar em causa os valores da solidariedade e da coesão.
Conhecemos as pessoas, as famílias e as instituições da Quinta do Conde e isso confere-nos elevada expetativa
quanto ao futuro da nossa terra.
Na Junta de Freguesia da Quinta do Conde, os seus membros desejam e trabalham para que todos os quintacondenses vivam Festas de Natal tão felizes quanto possível e que o novo ano de 2017 contribua para concretizar os
anseios pessoais e coletivos dos membros da nossa comunidade.
Vítor Antunes
Presidente da Junta de Freguesia da Quinta do Conde

Publicidade

BOAS FESTAS

CSS | 20 de Dezembro de 2016

8

Num momento menos cinzento e marcado por um otimismo moderado, onde se
consegue finalmente vislumbrar uma luz
ainda que ténue ao fundo do túnel, desejo em representação das freguesias do
Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires,
um Bom Natal para todos e que o próximo Ano de 2017, traga tudo aquilo que
vocês desejarem e já agora se não for
pedir muito aos nossos governantes, que
procedam a justa reposição das nossas 3 históricas freguesias.
Um grande abraço para todos do tamanho de cada uma das
nossas freguesias do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires.
BOAS FESTAS E SEJAM MUITO FELIZES!
António Santos
Presidente da União das Juntas de Freguesia do Seixal,
Arrentela e Aldeia de Paio Pires

O PSD Seixal deseja a todos os munícipes do nosso Concelho
um feliz Natal. Que a época natalícia nos traga a sabedoria necessária para que em 2017 sejamos capazes de ver em cada
desafio a oportunidade de construir um futuro melhor.
Nós, continuaremos a trabalhar por si e por um 2017 melhor.
Boas festas.
Bruno Vasconcelos
Presidente da Concelhia PSD Seixal

A chegar ao fim de mais um ano de trabalho...de serviço publico é altura para, a titulo de balanço dizer que, a Junta de Freguesia de Fernão Ferro - com
os seus trabalhadores e com o seu Executivo, conseguiu concretizar todas as obras a que se propôs fazer durante o ano de 2016, das quais se destacam
o Skate Parque e a transferência da sede da Junta de Freguesia para o edifício do Mercado Municipal. Conseguimos ainda dar inicio à segunda fase das
áreas de lazer do Parque das Lagoas onde se vai implementar no inicio do próximo ano, um ginásio ao ar livre e um parque para canídeos.
Na área da ação Social, também dê-mos o apoio logístico a um grupo recém criado de voluntários de um projeto que passa pela angariação e doação de
roupa e mobiliário a famílias carenciadas. Mantivemos o importante apoio ao Movimento Associativo da Freguesia, apoio esse que tem contribuído para o
desenvolvimento do Desporto e da Cultura.
Assim, é desta forma que consideramos estar de consciência tranquila de que tudo fizemos ao nosso alcance (dentro das nossas competências) e com
o sentimento de Missão Cumprida - desejar um Feliz Natal e um Ano 2017 cheio de saúde a toda a população/moradores da freguesia de Fernão Ferro.
Carlos Reis
Presidente da Junta de Freguesia de Fernão Ferro

Publicidade

entrevista

CSS | 20 de Dezembro de 2016

9

A CÂMARA RESPONDE
Segundo uma auditoria efetuada pelo Tribunal de Contas, a Câmara Municipal do Seixal ultrapassou os limites legais de endividamento a médio
e a longo prazo nos exercícios de 2010 a 2013 com uma dívida média de 100 milhões de euros, tendo mesmo atingindo em 2011 o valor mais
elevado de 110 milhões.
Porque muito se tem especulado sobre este assunto, principalmente nas redes sociais, fomos ouvir o senhor presidente da CMS, Joaquim Santos,
agradecendo a sua disponibilidade para nos prestar alguns esclarecimentos.
DR

Esta situação deve-se unicamente às foram seguidas nos últimos 6 anos.
alterações introduzidas pelas Leis dos
Efetivamente,
foram
produzidas
Orçamentos de Estado para 2011, 2012 alterações expressivas com incidência nas
e 2013 ou existem outros motivos?
autarquias locais, que foram cerceadoras
e violadoras da autonomia local e que se
Esta é uma situação indissociável do revelaram suscetíveis de colocar em causa
retrocesso económico e social do país o serviço que é prestado às populações.
e das dificuldades impostas ao Poder
Apesar da crescente transferência de
Local Democrático, aos trabalhadores, competências e atribuições, as receitas
às instituições e à população em geral, das autarquias locais têm sido diminuídas
criadas pelas políticas recessivas que drasticamente nos últimos anos. De
Publicidade

acordo com as conclusões de um estudo
realizado pela Universidade do Minho
sobre a evolução das finanças locais, a
receita global dos municípios era, em
2009, de 8,9 mil milhões de euros, sendo
que, em 2014, esse valor se cifrou em
7,3 mil milhões, menos 28%, valor este
semelhante ao que se registava em 2002.
Mostrou ainda a brutal quebra de receitas
municipais que se registou quer nas
transferências do Orçamento do Estado
(de 2011 a 2014), quer nas cobranças
de impostos que são receitas municipais
(de 2008 a 2012). Identificou ainda
que, como resultado destas medidas,
a despesa global foi cortada em 20%,
sendo dramático verificar que, entre
2001 e 2014, as despesas de investimento
passaram de 3,5 mil milhões de euros
para apenas 900 milhões, uma redução
de cerca de 280%.
Assim, os sucessivos incumprimentos
da Lei das Finanças Locais levaram à
retirada de dezenas de milhões de euros
do orçamento da Autarquia. Somando à
redução da receita por via da redução das
transferências dos Orçamentos do Estado,
verificou-se a acentuada diminuição
das verbas advenientes de impostos que
são receitas municipais, em particular
o IMT e Derrama, consequência
clara da mais prolongada e profunda
recessão económica desde a 2.ª Guerra
Mundial, resultou, no espaço de 7 anos,
em 99 milhões de euros que não foram
arrecadados pela Câmara Municipal do
Seixal. Equivalente ao valor aproximado
do orçamento anual de uma autarquia da
nossa dimensão.
Em 2014 a dívida diminuiu para 92
milhões de euros. Qual é a situação
neste momento?
Fruto de uma gestão criteriosa e do
esforço dos seus trabalhadores, temse verificado uma evolução positiva
da situação económica e financeira do
Município do Seixal. O caminho de
adequação da estrutura de custos às
receitas disponíveis, equilibrando as
contas da autarquia, tem permitido obter
resultados líquidos anuais positivos e
redução de dívidas, conseguidos através
do esforço de redução de custos fixos,
do aumento da gestão de serviços por
administração direta, da renegociação de
contratos e da celebração de acordos de
pagamento.
Neste momento, a dívida global da
Câmara já é inferior a 80 milhões de
euros e vamos continuar este percurso
de redução de dívida em paralelo com o
reforço do investimento, ao mesmo tempo
que se pratica uma política tarifária das
mais baixas das áreas metropolitanas e se
reduz os impostos cobrados à população
com nova diminuição do IMI, reflexo
da melhoria da situação financeira do
Município.
Mas nesse mesmo ano de 2014,
o prazo médio de pagamento a
fornecedores era superior a 6 meses
e o valor global de faturas vencidas
chegou a ser de 3,4 milhões de euros.
Atualmente qual é o montante da
dívida a fornecedores e em que prazos
estão a ser pagas as faturas?
Como nota prévia, há que afirmar
claramente que o cálculo do prazo médio
de pagamento não traduz a realidade das
dívidas dos municípios. A sua perspetiva

de análise, cuja fórmula de cálculo recolhe
informação dos últimos 4 trimestres,
inclui toda a dívida identificada das
entidades, sem ponderar a celebração de
acordos de pagamento entre as mesmas
e os respetivos credores, acordos esses
que integram um planeamento de
pagamentos, facto que deveria resultar
na exclusão dessas dívidas do objeto de
análise.
Assim, feita esta ressalva, e tomando
por referência, por exemplo, todas as
faturas que deram entrada em 2016, a
Câmara Municipal do Seixal está a pagar
todas as faturas com prazo inferior a
30 dias e no final deste ano não haverá
nenhuma fatura que tenha dado entrada
nos serviços da Câmara Municipal do
Seixal por pagar em 2017.
A auditoria do Tribunal de Contas
formula ainda um conjunto de
recomendações ao Município do Seixal
para a "correção das irregularidades
detetadas e a consolidação do
processo de reequilíbrio e estabilidade
orçamental iniciado no exercício de
2014". Estas recomendações estão a ser
seguidas?
O Município do Seixal contestou
as principais conclusões do relatório
do Tribunal de Contas da auditoria ao
endividamento municipal referente ao
período de 2010/2014, bem como a
decisão proferida.
Porque as respostas fornecidas
ao tribunal de Contas, em sede de
contraditório, não foram tidas em conta
o que, desde logo, desvirtua qualquer
resultado e decisão, no entanto boa parte
das recomendações contidas no relatório
são já uma prática corrente no Município
do Seixal, aliás como evidenciado pelo
próprio Tribunal de Contas e atestado
pela apresentação de contas do município
nos últimos anos. Reafirmando que todas
as decisões tomadas foram e são baseadas
em pareceres técnicos, estando os seus
autores convencidos da legalidade das
mesmas e da salvaguarda da defesa do
interesse público e das populações.
O Tribunal de Contas refere que as
novas instalações da Câmara podem causar
"danos ao erário público". Aceitando como
verdadeira esta observação, não existe
qualquer possibilidade de renegociar o
contrato existente?
Contestamos
naturalmente
esta
afirmação do Tribunal de Contas e
reafirmamos que o edifício dos Serviços
Centrais da Câmara Municipal do
Seixal (SCCMS) é uma mais-valia para
a população e para os trabalhadores
da autarquia, sendo um instrumento
fundamental para a prestação de um
serviço público de qualidade. Não podemos
deixar de nos referir ao Balcão Único de
Atendimento que funciona nos SCCMS e
que permite ao cidadão tratar de qualquer
assunto no mesmo sítio e de uma só vez.
Quanto à renegociação do contrato,
os órgãos municipais já deliberaram
no sentido da aquisição do edifício por
parte do Município, sendo que já havia
sido manifestada esta intenção junto do
proprietário. Com esta aquisição, a sede
da Câmara Municipal passaria a pertencer
ao seu património e seria possível reduzir
o custo atualmente titulado pelo contrato
de arrendamento, sendo este o objetivo
que pretendemos alcançar.

sociedade

CSS | 20 de Dezembro de 2016

10

UM EXEMPLO DE VIDA
O Comércio do Seixal e Sesimbra abriu as portas a António Ezequiel
Segurado Sameiro onde, na primeira pessoa, conta a história da sua
vida, fazendo um autorretrato onde a conquista e o mérito caminham
lado a lado com a doença de Alzheimer, após um Acidente Vascular
Cerebral (AVC).
Nasceu em Moura, distrito de Beja a
31 de janeiro de 1943, filho de Joaquim
Vasques Sameiro e de Maria das Neves
Fialho e aqui começou a sua vida, estando
a concluir a 4ª classe (atual 4º ano do
ensino básico) aos 11 anos de idade,
sendo que, “no ano seguinte fui para
aprendiz de correeiro-estofador na oficina
de Francisco Polido Júnior e, aos 13 anos,
comecei a aprender música na Sociedade
Filarmónica Amadores de Música «Os
Leões», no instrumento de trompa e onde
o meu pai já tocava tuba”.
As dificuldades da época não
permitiram que António Sameiro
continuasse os estudos mais avançados,
tendo concluído o Curso Complementar
de Aprendizagem Agrícola, desistido da
sua continuidade, pois assim iria para
Évora.
“Quando fiz dezasseis anos, a minha
família veio morar para o Barreiro,
por intermédio do meu ex-patrão que
pediu ao gerente da Auto Salúquia
(representante da Volkswagen) em Moura
a transferência para Lisboa onde fui
admitido na secção de estofador. Como
o meu pai trabalhava como carpinteiro
numa oficina na Cova da Piedade,
fomos morar para o Pragal em Almada.
Inscrevi-me na escola Emídio Navarro,
no curso industrial que frequentei até ao
3º ano, sendo interrompido pelo Serviço

Militar Obrigatório. Já neste serviço, fui
mobilizado para Angola, sendo colocado
no pelotão de apoio direto: P.A.D. 1023,
que tinha como finalidade dar apoio às
viaturas no mato. Em 21 de agosto de
1965 embarquei no Vera Cruz chegando
a Luanda nove dias depois, ficando à
espera no quartel de 5. M. no Grafanil.
Passados 4 dias segui viagem numa
coluna de camionetas civis escoltadas por
militares de um pelotão de caçadores em
direção a Sanza Pombo, onde cheguei 2
dias depois. Passados 25 meses voltei para
casa também no barco Vera Cruz a 12 de
setembro de 1967. Entrei ao serviço na
Guérin como oficial, trabalhei em vários
departamentos e fui eleito encarregado
de segurança da empresa, tirei o curso no
Ministério do trabalho.
Passados vários anos tornei-me chefe
da secção de estofadores. Entretanto,
deu-se o 25 de abril e em plenário fui
eleito para a comissão coordenadora da
empresa na Voz do Operário juntamente
com mais 4 colegas. Geríamos cerca de
1500 trabalhadores. Mais tarde, uma
nova administração suspendeu a nossa
atividade. Este fator em conjunto com os
cortes nos salários e suspensão de funções
levou-me a apresentar a demissão. A
direção não aceitou alegando que a minha
atitude tinha cariz político, mas fui firme
e pedi que fizessem as contas e assim ao

fim de vinte anos saí da empresa.
Pelo facto de já prever esta situação
tinha a minha vida profissional projetada
e comecei a trabalhar por minha conta
no Pragal. Como a ideia funcionou e o
trabalho aumentou convidei um colega a
que já dava trabalho para formarmos uma
sociedade. Comprámos uma garagem
no Monte de Caparica começando a
trabalhar a 20 de Outubro de 1980.
Trabalhámos juntos até agosto de 2009,
quando o meu sócio, grande amigo e
afilhado de casamento Francisco Geraldo
faleceu num acidente durante as férias.
O meu filho Pedro Sameiro que já
trabalhava connosco comprou a cota
de sócio. Tendo já trabalhado no ramo
automóvel, 5 anos na Autoeuropa e na
Volkswagen em Almada, adquiriu muitos

conhecimentos na área e foi fácil integrarse na profissão para meu grande prazer e
orgulho. Considero que já se encontra na
posse dos conhecimentos necessários para
me substituir, uma vez que já é sócio da
firma Sameiro e Pedro Lda.
Passados 36 anos a trabalhar na
Quinta do Serrado, Monte de Caparica,
a Câmara Municipal entendeu que não
tínhamos condições de trabalho nas nossas
instalações e assim resolvemos alugar um
espaço na Zona industrial de Santa Marta
de Corroios que inauguramos dia 1 de
setembro”.
António Sameiro teve em 2006 um
AVC com hemorragia cerebral, andou em
tratamento durante dois anos no hospital
da CUF e, embora ficando com algumas
sequelas, hoje com 73 anos continua a
trabalhar, fazendo um horário de trabalho
normal e tendo o apoio incondicional da
esposa Manuela.
“Espero poder continuar pois o trabalho
dá-me ânimo e força para enfrentar esta
aventura de vida”.

Campanha “Um Voto pelo Hospital”

O Grupo 242 de Escoteiros de Corroios recolheu, no espaço de cinco semanas, junto da comunidade, cerca de mil e cem votos para a campanha
“Um Voto pelo Hospital”.
DR

Já durante o período da campanha
na freguesia de Corroios, este grupo de
escoteiros tinha participado activamente
no terreno com a Comissão de Utentes
da Saúde, nomeadamente na Mostra
Mensal das Actividades Económicas, que
se realiza na Quinta da Marialva todos
os últimos domingos de cada mês. Estes
jovens abordavam os visitantes da feira,
sensibilizando-os para a causa, recolhendo
igualmente o seu voto e auxiliando os mais
idosos a fazê-lo.
Para assinalar o seu contributo, um grupo
de jovens escoteiros, acompanhados de
alguns dos seus dirigentes, fizeram questão
de os entregar à Comissão de Utentes
da Saúde (na circunstância representada
por José Lourenço e Diamantino Rosa),
na presença do Presidente da Junta de
Freguesia de Corroios (Eduardo Rosa) e

da Vogal da Saúde e Acção Social (Maria
Luís Valente), nas instalações deste órgão
autárquico.
Como anfitrião, o Presidente da Junta
de Freguesia de Corroios, partilhou
a sua satisfação «por ter um parceiro
como os escoteiros, numa divulgação
tão importante como é a necessidade do
Hospital no concelho do Seixal. É uma luta
antiga, que é de todos, para benefício de
todos. A consciencialização destes jovens é
importante para um futuro mais promissor
e mais solidário.»
Sobre o trabalho desenvolvido pelo
Grupo 242 na freguesia de Corroios, e o
que este representa para a comunidade,
Eduardo Rosa destacaria ainda «a
importância de trabalhar com jovens e
para os jovens, orientá-los naquilo que
podem vir a ser no futuro, tornando-os

parte activa das nossas reivindicações, das
nossas necessidades, para a construção
de um país que todos pretendemos
melhor. Os escoteiros almejam para si o
melhor, fazendo reflectir a sua actuação
em melhorias para a freguesia, para o
concelho e, acima de tudo, para um país
mais justo e mais fraterno, para que os
jovens não sejam forçados a emigrar, e
obviamente continuarem neste nosso
país, que é Portugal, contribuindo para
o seu crescimento e dignificação das suas
populações.»
José Pontes, dirigente máximo do
Grupo 242, sublinharia o significado
desta entrega de votos: «Significa muito.
Em primeiro lugar, estes jovens amam
aquilo que fazem. Ser escoteiro, é servir
sem qualquer recompensa e estar sempre
pronto, em conjunto com as autoridades
locais e, neste contexto, com a Junta de
Freguesia e com a Comissão de Utentes
da Saúde, nós podermos também dar
um contributo para que se faça luz, que
este Hospital seja uma realidade. Em
primeiro lugar, fará bem a quem necessita,
e os jovens são os futuros utilizadores deste
Hospital, que queremos esteja construído
o mais breve possível.»
Sobre os planos imediatos do Grupo
que dirige, José Pontes acrescentaria ainda
que: «Estou convencido que, ainda este
ano, vamos continuar com os trabalhos e
começar a construir a nossa sede, que estes
jovens necessitam, precisam e têm direito. A
Câmara apoiou-nos muito com o terreno,
a Junta já nos apoiou na construção da
vedação e do muro, e nós não vamos parar.

Nós temos que olhar pela nossa casa e,
estou convencido que, quer a Junta de
Freguesia, quer a Câmara Municipal do
Seixal, nos vão ajudar neste nosso projecto,
que é termos uma casa onde possamos
realizar as nossas actividades, para bem
da comunidade, de toda a juventude de
agora, e daquela que há-de vir.»
José Lourenço, em representação
da Comissão de Utentes, agradeceu o
empenho destes jovens e dos seus dirigentes
no apoio a esta causa, acrescentando que
«esta campanha tem tido uma dinâmica
de participação de que nos orgulhamos.
Onde temos estado, sentimos a apoio da
população e o incentivo para prosseguir
com a nossa luta, que está longe da sua
conclusão. Em 2009 estivemos quase no
mesmo ponto em que nos encontramos
actualmente, e fomos enganados pelo
governo de então. As circunstâncias hoje
são diferentes e queremos acreditar na
palavra destes novos governantes, mas a
luta só irá parar aquando da conclusão das
obras e da sua inauguração. O mesmo em
relação ao novo Centro de Saúde Corroios,
cujos projectos estão a ser desenvolvidos
e pormenorizados pela Administração
Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo,
no que respeita ao edifício, e pela Câmara
Municipal do Seixal, quanto aos espaços
exteriores, de acordo com o contratoprograma que foi assinado recentemente.
A população deve permanecer mobilizada
e firme na sua determinação, de ver
concluídos e em funcionamento, estes dois
importantes equipamentos de saúde para o
nosso concelho.»

sociedade

CSS | 20 de Dezembro de 2016

11

Sociedade Filarmónica Democrática Timbre Seixalense

Memórias da casa mãe do Movimento
Associativo Seixalense(2)*

Esse ambiente de paixão associativa que
caracterizava o dia-a-dia-da sociedade e o
gosto pela arte musical, levaram Manuel de
Oliveira Rebelo a inscrever-se na escola da
banda, - então designada de ‘Cachapins’ - o
que lhe permitiu saber tocar música antes do
exame da antiga instrução primária. “Tinha,
na altura, onze anos,” refere. “Gosto que, de
resto, mantive até 1950.”
Todavia, a sua ligação à Timbre, permaneceu,
através de uma empenhada participação nos
órgãos sociais da agremiação em diversos
Publicidade

mandatos, período durante o qual ocorreram
importantes iniciativas de âmbito cultural,
social e político, com particular destaque,
entre outros, para o concerto de Carlos
Paredes; o colóquio realizado com o poeta
russo Ievtushénko - no qual participou
também o conceituado jornalista e poeta
José Carlos Vasconcelos - e o concerto do
Coro dos Amadores de Música, dirigido pelo
Maestro Fernando Lopes Graça; as actuações
da soprano Isaura Garriga e do maestro Artur
Trindade, ou ainda, um ou dois colóquios com

Fernando Namora.
“Estas realizações - que lotaram por completo
o velho salão de festas -, constituíram uma
inequívoca prova de ousadia e destemor,
uma vez que os seus intervenientes, apesar de
serem destacadas figuras da cultura nacional e
europeia, eram, como é óbvio, alvo da atenção
dos responsáveis do regime que então nos
governava. Assim, facultar-lhes a possibilidade
de exporem publicamente os seus dotes
artísticos, adquiria quase foros de ‘lesa pátria’,
na perspectiva dos governantes da época.
A vigilância de que eram objectos estas
iniciativas por parte da extinta polícia política,
fez com que diversas vezes fossemos chamados
às autoridades e à câmara, onde éramos
ameaçados e advertidos a parar com este tipo
de acontecimentos, sob pena de a sociedade vir
a ser encerrada.
No entanto, “essa antipatia, não impediu que
em dado período da história da colectividade,
se vivesse uma fase de intensa actividade
cultural, na qual colaborou, igualmente, o
Capitão Gonçalves Louro que logrou trazer
ao Seixal, sob a direcção do Maestro Pedro
Blanco, a Orquestra Sinfónica da antiga
Emissora Nacional, estação, nessa altura,
presidida pelo Capitão Henrique Galvão, que
anos depois comandaria a tomada do paquete
Santa Maria.
Foi uma noite memorável, no decurso da qual
actuou ainda a nossa banda que executou
a sinfonia incompleta, de Shubert. O seu
desempenho foi de tal ordem que, no final,

Fernando
Fitas

Pedro Blanco, subiu ao estrado a felicitar o
nosso maestro, pela excelente exibição da
nossa filarmónica, opinião, aliás, comungada
pela generalidade dos críticos presentes, (com
excepção de Burbon e Menezes) os quais
sublinharam a boa execução a que haviam

assistido.
Por todas estas razões,” diz Manuel de Oliveira
Rebelo, “ a Timbre sempre procurou assumirse como uma verdadeira escola de virtudes
e saberes, dando expressão aos sentimentos
democráticos da sua massa associativa, situação
que nos motivava a promover todo o tipo de
festas que concorressem para a elevação dos
conhecimentos de quantos a frequentavam.
(continua…)
*Excertos de “Histórias Associativas- Memórias
da Nossa Memória – 1º Volume As Filarmónicas.
Edição Câmara Municipal do Seixal.-2001

reportagem
12

Aurpis,
uma Instituição 4 em 1, Lar de idoso, Creche,
Na passada terça-feira, dia 13 de Dezembro o Jornal O Comércio do
Seixal e Sesimbra, deslocou-se à Instituição Aurpis no Concelho do
Seixal com o intuito de falar com 4 utentes para saber como alguns
Pais, Avós comemoram esta época tão especial, o Natal.

Aurpis definisse como uma Associação
Unitária de Reformados, Pensionistas e
Idosos do Seixal, tendo como Atividades;
Artesanato, Caminhadas, Ginástica de
manutenção e Passeios. A base dos seus
serviços assenta em; Apoio domiciliário,
Centro de convívio e Centro de dia.
Tendo como missão; conquistar os
objetivos propostos através da excelência
nos serviços prestados, assegurar a todos
em situação de risco e vulnerabilidade
social, proteção e garantia dos seus
direitos, desenvolver o trabalho em rede
com outras Instituições e a comunidade.
A AURPIS iniciou o apoio aos idosos
carenciados do Seixal há 35 anos, a 14 de
Março de 1981, na Rua Paiva Coelho,
47, Seixal. Há 5 anos foi criado o novo
equipamento, na Rua Comendador
José Tavares da Silva, nº10 – Qta. D.
Maria, Seixal.
Segundo José de Jesus Silva, Diretor
da AURPIS, esta é uma instituição
particular de solidariedade social sem
fins lucrativos, vocacionada para apoiar
a população carenciada do concelho,
nomeadamente idosos e crianças.
A nível de projeto futuros confessa
que devido ao grande investimento que
Publicidade

fizemos recentemente com a construção
do novo equipamento da AURPIS
“Lar de Idosos e Creche”. Existe apenas
a intenção de concluir e acabar de
apetrechar o Parque de Merendas, para
uma rentabilização do espaço, a favor dos
utentes da instituição e da comunidade.
Para si, é o enquadramento familiar
na envolvência da instituição, para todas
as respostas sociais que forma a base
principal da Aurpis.
“Qual a característica principal dos
colaboradores da Aurpis?
O profissionalismo e a dedicação
com que tratam todos os utentes e
todos quantos estão ligados de alguma
forma à instituição.”
No decorrer dos anos foi conseguindo
alargar a sua resposta, e neste momento
apoia também a infância, no conjunto
de 2 equipamentos, num total de 424
utentes, 125 funcionárias, para além de
outros colaboradores de apoio inseridos
por parte de outras entidades, como o
IEFP, a Rumo e prestações de serviços.
Contando com as respostas sociais de
creche, centro de dia, centro de convívio,

CSS | 20 de Dezembro de 2016

13

, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

apoio domiciliário e ERPI
designação de lar de idosos).

(nova

Numa conversa durante a entrevista
a Assistente Social, Andreia Rodrigues
da Aurpis, explicou que a instituição, de
âmbito concelhio, surgiu com a resposta
de Centro de Convívio e ao longo dos anos
foi crescendo junto da população idosa
a fim de responder às suas necessidades
básicas.
Quarta-feira, Dia 14 de Dezembro
voltamos a Aurpis a convite da
administração a fim de participar na sua
Festa de Natal e, assim o fizemos. Fomos
de coração aberto para receber e partilhar
Publicidade

com esta grande “Família” o melhor que
o Natal tem, a amizade e o carinho pelo
próximo. O nosso OBRIGADO Aurpis
por esta fantástica experiência.
“Desejo em meu nome pessoal e em
nome da “Família AURPIS”, um Feliz
Natal a todos e que o Ano de 2017 traga
muita paz e esperança num mundo
melhor.”, Mensagem do Diretor da
Aurpis José de Jesus da Silva.

entrevista

CSS | 20 de Dezembro de 2016

12
14
14

“4 Rostos, 4 histórias de vida,
4 Felizes Natal”
A conversa com a equipa do Jornal decorreu na Biblioteca da Aurpis, numa atmosfera muito divertida e acolhedora. Os entrevistados; Maria
Mota, Francisca Rodrigues, Ermelinda Pires e Abel Ferreira irradiavam felicidade ao falarem das suas histórias de vida e, como comemoram
a quadra Natalícia.

Maria
Helena
da
Conceição Aves
Mota, 89 anos,
está no Lar da
Instituição da faz
6 anos. Foi para
a
Instituição
por estar a viver
sozinha, tanto
ela como a
Família com receio do mesmo acharam
que foi a melhor opção. Explicou-nos que
o Natal é passado em Família. Tem um
filho que vive em Sintra, 3 netos e uma
Bisneta de 3 meses. Apenas um dos netos
não passa com ela o Natal pois vive no
Estrangeiro e, não consegue vir a Portugal
nesta altura. No dia 22 ou 23 Dezembro o
seu filho vem buscá-la à Aurpis e, regressa
entre o dia 2 e 3 de Janeiro. Houve
um ano, que o seu Natal foi passado
na Aurpis, festa durante a tarde, mesa
composta e com muita fartura fez a delícia
de todos, com direito a prendinhas feitas
por colegas.
Maria Mota terminou a entrevista
dizendo que a Instituição Aurpis “é uma
grande Família, é um Lar 5 estrelas”.

Publicidade

Francisca
do
Carmo Rodrigues,
101 anos, está no
Centro de Dia da
Instituição faz 5
anos. Foi para a
instituição por estar
a viver sozinha numa
casa velhinha, como
tal, a filha levou-a
a viver consigo.
Durante o dia está
no Centro de Dia da Aurpis regressando
a casa da sua filha por volta das 17h. Foi
mãe aos 32 anos, neste momento tem 1
neta e uma bisneta, num desabafo disse;
“é a nossa alegria”.
De uma forma muito dinâmica e
divertida Dª Francisca contou-nos
algumas histórias da sua juventude, quais
as tarefas que gosta de ajudar na Aurpis,
tarefas, essas, inerentes às refeições e, até
nos falou que faz ginástica, à sua maneira
e, como pode.
Nascida, criada e casada no Concelho
do Seixal Dª Francisca é uma figura única,
um exemplo de coragem, uma força
da natureza. O seu Natal é passado em
Família em casa da sua filha.

Ermelinda Pires, 85 anos, está no
Centro de Dia da Instituição faz 4 anos.
Vive no Casal do Marco, no r/ch e o filho
no 1º andar. Para si o Natal é passado em
Família, com o filho, nora e 2 dos seus netos.
Ermelinda Pires, foi uma cidadã do Mundo,
Mãe de 2 filhos, esteve 22 anos em Angola,
na cidade de luanda, tomava conta dos filhos
e, ajudava também o seu Tio proprietário de
uma lavandaria. O seu marido trabalhava
num armazém de café. Passados alguns anos
e, em busca de uma vida melhor, mudaramse para o Canadá. De volta a Portugal,
reformada e com um filho a viver perto de
si, confessou com alguma tristeza o facto de
a filha, residente no Canadá e, os seus netos
não poderem passar o Natal consigo devido
ao preço das passagens aéreas serem elevadas.
Gosta de ajudar a colocar a toalha na
mesa, para ficar à sua maneira, de ler e fazer
a sopa de letras. Para terminar a entrevista
deixou dois versos:
“Gostava de escrever um poema,
Para o jornal,
Estou muito contente,
De estar no Lar do Seixal”
“Isso foi para o Canadá,
Foi porque era retornada,
Trabalhei muito em angola e,
No fim fiquei sem nada”

Abel dos Santos
Ferreira, 84 anos, está
no Lar da Instituição
Aurpis faz 1 ano.
Também Abel foi para
o Lar, por estar a viver
sozinho em casa. Pai
de 2 filhas e, avô de
3 rapazes confessou
que era um homem
que gostava muito de
aventura. Mecânico
de profissão fazia viagens a nível nacional e,
depois para a Alemanha.
Adepto de férias no Algarve, local de
eleição para quem quer por em prática os
seus dotes de poliglota que era o caso do Sr.
Abel, falava alemão, inglês e espanhol.
Filho de Pai marinheiro e Mãe doméstica,
vivia com mais 3 irmãs. Num desabafo em
tom de brincadeira disse-nos que sua irmã
mais velha obrigava-o a ir consigo à missa.
O último trabalho que teve foi de taxista,
mais de 20 anos agarrado ao volante do seu
táxi, na Arrentela. Na Aurpis diz sentir-se
em Família, falou das Técnicas como umas
“filhas”, pelo cuidado e carinho com os
utentes da Instituição.
O Natal para o Srº Abel não poderia
ser senão passado em Família, com as suas
filhas, netos e genros.

saúde

CSS | 20 de Dezembro de 2016

11
15

INVESTIGAÇÃO LABORATORIAL
DA ANEMIA
dr

Nível de hemoglobina sérica
Hemograma completo
Esfregaço de sangue periférico
no diagnóstico de hemorragia gastrointestinal.
Índices de reticulócitos (volume globular
Dependendo dos resultados destes testes
médio, concentração de hemoglobina globular laboratoriais iniciais, podem ser realizados outros
média)
testes, incluindo:
Índices do metabolismo do ferro (ferro sérico,
capacidade de ligação do ferro total, percentagem
Níveis séricos de vitamina B12 e ácido fólico
de saturação de transferrina, ferritina sérica)
Níveis séricos de homocisteína e/ou ácido
metilmalónico
Tenha em atenção que a ferritina sérica, uma
Nível da hormona paratiróide
forma de armazenamento de ferro, é também um
Receptor solúvel da transferrina
reagente de fase aguda que pode estar elevado na
Electroforese de proteínas sérica ou urinária
inflamação aguda ou crónica; portanto, níveis
Painel de hemólise
normais ou elevados de ferritina sérica não
Relação ureia/creatinina sérica
excluem a possibilidade de anemia por deficiência
Níveis de desidrogenase láctica, bilirrubina
de ferro.
indirecta e haptoglobina
Teste de Coombs
Realizar testes de sangue oculto nas fezes ajuda
Teste de sangue oculto nas fezes: pontos-chave

artigo
Jorge Neves
Susana Coito

Não inicie um teste de sangue oculto nas
fezes:
Se existir hemorragia activa devido a
hemorróidas ou uma fissura anal
Se existir sangue na urina
Durante o período menstrual, ou durante os
primeiros três dias após o fim de um período.
Sete dias antes do teste de sangue oculto nas
fezes, o doente deve parar de tomar aspirina ou
outros anti-inflamatórios não esteróides (AINE)
72 horas antes do teste, o doente deve efectuar
as seguintes alterações alimentares:
Evitar tomar mais de 250 miligramas de
vitamina C por dia
Evitar comer carne vermelha (carne de vaca ou
borrego), incluindo fígado e carnes processadas
ou frias
Evitar comer frutas e vegetais crus,
especialmente melões, rabanetes, nabos e
rábanos-silvestres.

Verbasco

penugem e macias como flanela. Como se calcula,
elas eram ideais para a função acima mencionada.
Os catalães puseram-lhe o nome de “trepó”, pois
a configuração das tais folhas faz lembrar as tripas
dos mamíferos. No segundo ano, a planta deita um
Já imaginaram como seria penoso o quotidiano caule lanoso, ereto e vigoroso que chega a alcançar
dos humanos no alongado período que antecedeu dois metros de altura. É ao longo desse espigão
a época moderna? Suponhamos que vivíamos na que se formam as pequenas flores, quase sésseis, de
Europa em plena Idade Média. Não havia batata, amarelo claro, com cinco pétalas e cinco sépalas. As
nem milho, nem tomate, nem abóboras, nem folhas ovais e ligeiramente lanceoladas são alternas
feijão, nem café e o açúcar era
e bastante mais pequenas do que
uma especiaria só ao alcance
as basais do primeiro ano, mas
dos nobres ricos. A conservação
igualmente cobertas de pelinhos
dos alimentos era feita com
brancos ou prateados. Os frutos
sal, o qual também atingia
são cápsulas cheias de sementes
valor elevado. O único picante
castanhas que não chegam a ter um
conhecido era a mostarda, de
milímetro de diâmetro.
sublimada importância, porque
O verbasco é nativo da Europa,
“escondia “ o mau sabor dos
Norte de África e Ásia Menor mas
alimentos deteriorados. E como
DR
hoje está disseminado pelos vários
faziam os nossos antepassados quando, “após darem continentes. Gosta de sol e de terrenos secos e
de corpo”, queriam limpar o rabiosque, o rabo, as pedregosos. É frequente no nosso país à beira dos
partes traseiras, o “sim-senhor”, ou outro nome caminhos serranos. Na serra da Arrábida surge em
mais apropriado que lhe queiram dar? Estou-me a abundância. O reputado Engº José Gomes Pedro
referir, é evidente, apenas aos mais asseados. Papel no seu “Guia de Campo – Flores da Arrábida”
higiénico não havia, nem sequer jornais e os míseros menciona o Verbascum sinuatum (verbascotrapos eram reservados às rudes vestimentas. Como ondeado) que é basicamente idêntico à espécie
fazer então?
thapsus. Aliás, saliente-se que existem no mundo
E eis mais uma função, hoje esquecida, das mais de 300 espécies e subespécies de verbascos,
plantas nossas amigas. A gente dessas remotas eras cujas características pouco variam entre si.
servia-se dos vegetais que medravam nos campos.
As flores autopolinizam-se ou beneficiam
Era necessário escolher as folhas mais macias e de polinizações cruzadas, sendo estas as mais
sedosas para o efeito desejado, pois muitas eram produtivas. As sementes possuem uma dormência
ásperas e arranhavam os alvos traseiros das criaturas. espantosa. Estudos americanos calculam que as
É aqui que entra em cena o verbasco, planta que sementinhas conservam o seu poder germinativo
tinha muitas aplicações, como iremos ver a seguir. durante cem anos.
O Verbascum thapsus, herbácea da família
O nome “verbascum” provém do vocábulo latino
das Scrophulariaceae é, quase sempre bienal. No “barbascum” que significa “barba”, em referência
primeiro ano, forma uma roseta basal com grandes aos pequenos filamentos que a planta possui.
folhas grossas verde acinzentadas, cobertas de
Quimicamente o verbasco contém flavonóides,

Publicidade

Miguel Boieiro

mucilagens, saponinas, hidratos de carbono, ácido
cafeico e outros ácidos.
Entre as propriedades fitoterápicas da planta
apontam-se, entre outras, a de ser demulcente,
diurética, sedativa, adstringente, expectorante,
anti-inflamatória, antibacteriana, antifúngica e
analgésica.
Já na antiguidade clássica ela era usada para
tratar faringites, amigdalites, afonias e tosse. De um
modo geral, o verbasco é útil para debelar todos os
males do aparelho respiratório. Segundo Pamplona
Roger prepara-se, para esse efeito, uma infusão de
20 a 30 g das flores por litro de água para tomar
três chávenas diárias. Deve-se filtrar o “chá” para
evitar os pelos que podem irritar a garganta. Mas
há ainda numerosas aplicações tópicas para limpeza
e tratamento da pele, otites e eczemas no pavilhão
auditivo.
A raiz seca e pulverizada é boa para problemas
urinários e é base para cremes e unguentos no
tocante ao alívio do hemorroidal.
É também usada em homeopatia.
Falta ainda dizer que, em tempos antigos, o
verbasco era utilizado como piscicida, visto causar
problemas respiratórios aos peixes de água doce que
assim eram capturados mais facilmente.
Igualmente servia como base de vários corantes.
Com as folhas secas e os caules preparavam-se
pavios e, envolvidas em sebo, constituíam tochas
com boa duração.
Tudo isto tem a ver com práticas muito antigas
que já entraram em desuso. Convém, no entanto,
recordar e registar.

Técnica Saúde Ambiental
Unidade de Saúde Pública -ACES
Almada-Seixal

Desimpeça a via
para todos passarmos
É cada vez mais frequente encontrar
na rua pessoas com mobilidade condicionada. Será uma mudança na mentalidade coletiva?
Segundo o Instituto nacional de Estatística, nos concelhos de Almada e Seixal
há 10% da população com 15 ou mais
anos de idade com mobilidade condicionada a viver em edifícios com três ou
mais alojamentos familiares.
Dos residentes em Almada e Seixal,7%
não têm a entrada do prédio acessível à
circulação em cadeira de rodas.
A existência de elevadores é também
importante. Existem cerca de 13200 residentes com mobilidade reduzida vivem
em edifícios com elevador e 20600 em
edifícios sem elevador.
É verdade que as sociedades estão de
modo geral mais inclusivas e tolerantes
com as diferenças.
Os profissionais de todas as áreas,
incluindo os diretamente ligados ao
planeamento, projeção e construção civil, estão cada vez mais despertos para
temáticas de inclusão. Apesar das várias
adversidades, podemos contribuir para a
sociedade que queremos inclusiva.
Um bom exemplo é o trabalho que
a Unidade de Saúde Pública do ACES
Almada-Seixal desenvolveu com o Projeto DARE - Deficiência sem Diferença, Resposta na Escola no ano letivo
2014/2015. O projeto teve por objetivo a sensibilização para a diferença no
âmbito da pessoa com mobilidade condicionada, desenvolvendo sessões em escolas do ensino básico, nas turmas de 4º
ano e abrangendo mais de 300 crianças.
A mobilidade condicionada é uma situação real na vida diária das crianças e das
escolas.
Deixou-se a semente nestas agora
crianças mas brevemente futuros cidadãos e profissionais ativos.
Vamos à rua ver as luzes de Natal?

reportagem

CSS | 20 de Dezembro de 2016

16
16

poema

Agostinho Cunha

POEMAS DEDICADOS AO MÊS DE
NATAL PELO NASCIMENTO DE JESUS
CRISTO

Concerto de Natal
da Orquestra Geração
chega ao RioSul Shopping
Foi no passado dia 17 de Dezembro, pelas 16h00, A música chega ao RioSul Shopping ao som da música da
Orquestra Geração, proporcionando desta feita mais um momento de lazer recheado de espírito natalício
a todos os visitantes do Centro.

Por muitos foi esperado
Seu caso estava previsto
Ao ter sido anunciado
O nascimento de Jesus Cristo

Dezembro um mês divino
A vinte e cinco foi o dia
Que nasceu o Deus menino
Filho da Virgem Maria

Menino de bom coração
Era um menino feliz
Bondoso e brincalhão
Como qualquer um petiz

Todos os dias ia rezar
Com muita fé e nobreza
Fez tudo para acabar
Com a maldita pobreza

Sempre falando verdade
Espalhando sua fé
Defendendo a liberdade
Menino de Nazaré

Iniciativa, esta que conta com a
participação de 70 alunos da Orquestra
Geração, que farão entoar pelo Centro
diversas músicas natalícias muito
conhecidas do público, sob a direção do
maestro Jorge Camacho e tendo como
maestrina convidada Filipa Jordão.
Espalhadas pelo centro, as crianças
apresentam um Flash Mob que dará
início ao concerto, ao som do “Te Deum”
de Charpentier. Os alunos por sua vez,
encontram-se no corredor central junto à
árvore de Natal, no piso 0, com o objetivo
de dar continuidade a este momento
musical onde serão interpretados grandes
temas conhecidos do público como
“Jingles Bells” de James Lord Pierpont,
“Hallelujah” de Handel, “A Christmas
Proclamation” de Smith, entre muitos
outros.
Este concerto no RioSul Shopping é
uma iniciativa que decorre no âmbito do
projeto “Ciclo de Orquestras”, integrado

no programa de
responsabilidade
social da Sonae
Sierra.
Tendo início
no Dia Mundial
da Criança (1
de junho) este
projeto, organiza
concertos
em
parceria com a Orquestra Geração
e Conservatórios de Música. Estas
atuações decorrem de norte a sul do país,
incluindo ilhas, sempre com o objetivo
de proporcionar aos visitantes dos 22
Centros da Soane Sierra um momento
de lazer e enriquecimento musical, com
temas bem conhecidos do reportório
clássico e popular.
A Orquestra Geração é um projeto
de inclusão social que aposta na
aprendizagem da música em crianças e
jovens de comunidades desfavorecidas

que conta com o apoio da Sonae
Sierra, no âmbito da sua Política de
Responsabilidade Corporativa. Inspirado
no Sistema de Orquestras Infantis e
Juvenis da Venezuela (El Sistema), visa
integrar crianças e jovens na sociedade,
aumentando-lhes a auto estima e o
respeito pelo outro, de forma a atingir
um desenvolvimento harmonioso da sua
personalidade e combater o absentismo
escolar.

VIOLÊNCIA CONTRA AS CRIANÇAS
A violência atinge todas as famílias,
independentemente da classe social,
do nível socioeconómico ou do grau de
escolaridade. A violência engloba desde
as ofensas verbais á agressão física,
independentemente da forma que for.
O agressor -pode ser algum dos pais,
padrasto ou madrasta, ou outro familiar
(tios, avós), habitualmente próximo
da criança. Relativamente aos pais
maltratantes, os mesmos têm dificuldades
em controlarem os seus impulsos, revelam
uma baixa autoestima e dificuldade em
manter empatia.
Comunimente estes pais têm maior
tendência a utilizar castigos, ameaças,
poder e coerção para se afirmarem perante
os seus filhos. Como é obvio não optam
nem pelo raciocínio nem pelo afeto para

conseguir educar ou disciplinar a criança.
Os agressores podem apresentar
diversas problemáticas à priori, por
exemplo perturbação mental, abuso
de substâncias (álcool ou drogas),
descontrolo de impulsos e agressividade,
baixa tolerância á frustração, padrão de
agressividade entre gerações no meio
familiar (os seus pais ou avós já o faziam e
assim sucessivamente), vinculação pouco
segura entre estes pais e os seus próprios
pais, tipo de papel assumido (associado
ao género: homem assume com mais
frequência o papel de agressor), ou outro
tipo de problemas (divórcio, dificuldades
no trabalho).
Mas sabe porque se mantém este
comportamento?! Porque os castigos
físicos têm resultados mais imediatos

(redução do mau comportamento naquele
momento) e existe um alivio da raiva ou
revolta sentidas pelo agressor, todavia,
como é sabido, as consequências a longo
prazo são estrondosas no desenvolvimento
da criança e na reprodução destes modelos
educativos desajustados.
Acrescenta-se que as consequências
para estas crianças variam consoante o
tipo e duração das agressões, relação com o
agressor; idade, nível de desenvolvimento
e personalidade da criança, nível de
violência ou ameaças sofridas.
É importante reter que as crianças
aprendem muitos comportamentos por
modelagem do contexto familiar (das
pessoas significativas para si, ex. pais)
onde estão inseridas e a agressividade é
um deles.

José Mantas

Qualquer “mortal comum” tem a
obrigação de sinalizar os maus tratos,
sendo que os profissionais de saúde
têm responsabilidade acrescida no
cumprimento desde dever cívico. Todos
temos o direito de combater esta violência
contra as crianças (seja contra as próprias
seja as mesmas testemunharem violência
entre os familiares).

sociedade

CSS | 20 de Dezembro de 2016

17

Réveillon de Sesimbra volta a atrair milhares de visitantes

Primeira passagem de ano subaquática
aconteceu há uma década

Hoje, o Réveillon de Sesimbra é um dos mais procurados do país e assume-se como um ponto alto do turismo no concelho. A animação de rua, e
o fogo-de-artifício sobre a Baía, ao som da música de Mozart, são os principais ingredientes que prometem voltar a encher a vila de Sesimbra.
Foto: Mário Gomes

Em 2006, numa perspetiva de contrariar
a sazonalidade do turismo em Sesimbra,
na altura muito centrado no verão e no
Carnaval, a Câmara Municipal começou a
desenvolver um conjunto de atividades em
diferentes épocas. O reforço do Réveillon de
Sesimbra foi uma das primeiras apostas. A
vila tinha todas as caraterísticas para receber
uma grande festa de passagem de ano, desde
o enquadramento geográfico, com a Baía
Publicidade

como pano de fundo, à oferta hoteleira e
de restauração, passando pela animação nos
bares até de madrugada.
Nesse primeiro ano, no entanto, um
grupo de mergulhadores decidiu passar a
meia-noite no fundo do mar, e aquilo que
começou por ser uma brincadeira entre
um grupo de amigos acabou tornar-se
no elemento central da passagem de ano
em Sesimbra. Desde então, a imagem dos

mergulhadores surge sempre ligada ao
Réveillon de Sesimbra, não só para divulgar
a iniciativa mas para demonstrar a ligação
deste concelho ao mar, e para promover um
dos destinos de mergulho mais importantes
da Europa.
Nos últimos anos, a vila de Sesimbra tem
recebido milhares de visitantes atraídos, não
só pelo fogo-de-artifício sobre a Baía, mas
também pela animação de rua ao longo da
Marginal. Este ano não vai ser exceção, e
a Câmara Municipal, em parceria com as
juntas de freguesia, hotéis e o Turifórum,
grupo de empresários ligados ao turismo,
volta a apostar num programa de qualidade.
O momento alto da noite é o espetáculo
piromusical, que tem como título Hino
à Vida, assinalando os 260 anos do
nascimento de Amadeus Mozart, um dos
maiores génios musicais de todos os tempos.
O fogo-de-artifício, que parte do Pontão
junto à Marina de Sesimbra, vai iluminar o
céu da Baía ao longo de cerca de 15 minutos.
Antes e depois, a animação estará a cargo
do DJ Dove, no Largo da Marinha, e do
DJ Júlio Costa, no Largo de Bombaldes.
A música começa às 22 e só termina às 2
da manhã. Os bares estarão abertos até de
madrugada. Tal como no ano passado, por
volta das 22.30 horas, os mergulhadores
vão sair do Clube Sesimbrense e passar por
entre a multidão, antes de se dirigirem para

o Porto de Abrigo, onde vão entrar na água
e dar continuidade a uma das passagens de
ano mais originais do país.
Réveillon Subaquático de Sesimbra
assinala uma década
Estávamos em 2006, e um grupo de
amigos, apaixonados pelo mergulho e por
Sesimbra decidiu fazer algo completamente
diferente: passar as 12 badaladas no fundo
da Baía de Sesimbra. A originalidade deste
feito foi tal que acabaram na televisão, e
aquilo que começou como uma brincadeira
foi um sucesso a nível nacional. No ano
seguinte, já com apoio da Câmara Municipal
e do Turifórum, grupo de empresários do
setor do turismo do concelho, a aventura
repetiu-se, mas desta vez com mais de uma
centena de mergulhadores que desenharam,
com luz, um 2008 no fundo do mar.
Desde então, o Réveillon Subaquático
tem sido a imagem de marca da passagem
de ano em Sesimbra e ajudou a transformar
este momento em época alta para o turismo
no concelho. À volta do mergulho surgiram
os espetáculos piromusicais, animações de
rua e música, pela noite dentro. Este ano, a
história repete-se e, à meia-noite, enquanto
o céu se ilumina com fogo-de-artifício, o
fundo do mar volta a iluminar-se com as
luzes de dezenas de mergulhadores.

publicidade
16
16
18

CSS | 20 de Dezembro de 2016

gastronomia

CSS | 20 de Dezembro de 2016

19

Receita:
Cabrito com arroz no forno
DR

Ingredientes:
Preparação:



1,5 kg cabrito

• Passo 1: Corte a carne em pedaços
e tempere com sal, pimenta,
malagueta, colorau, vinagre, o alho
picado, o alecrim e o azeite. Deixe
tomar gosto 2 horas.



1 malagueta



1 c.chá coloraau



2 c.s vinagre



4 dentes de alho



1 ramo de alecrim



0,5 dl azeite



1 cebola



1 c.s margarina



1 c.chá açafrão



350 gr arroz



7 dl caldo de galinha

• Passo 2: Refogue a cebola picada
na margarina. Junte o açafrão e o
arroz. Envolva e regue com o caldo
quente.
• Passo 3: Tempere e cozinhe 10min
em lume brando com o tacho
tapado. Disponha o arroz num
pirex e sobre este coloque o cabrito.
Leve ao forno a tostar 20 min.
• Passo 4: Coloque a carne no forno
15 min a 200º

Publicidade

reportagem

CSS | 20 de Dezembro de 2016

16
20
16

Abertura Solene
do Ano Académico da Unisseixal

poesia

Pinhal Dias

Menino piedoso

Foi no passado sábado dia dezanove de Novembro que o Auditório do Forum do Seixal se encheu de alunos,
seus familiares, professores e autarcas do concelho para comemorar com pompa e circunstância o início
das aulas na Universidade Sénior. A sessão foi iniciada com a recepção a todos os presentes com palavras
de boas vindas pela vice - reitora, Mariana Mareco como sempre moderadora destas sessões.

O menino caminhava,
o seu mundo não parava,
toda a gente o admirava
p’la amizade que doava…
Unindo os seus amigos
à volta d’ uma fogueira
alegrava os mendigos
p’lo gostar da brincadeira
Na escola satisfeito
um aluno assumido
tinha coração perfeito,
por Deus era conduzido
Com doçura no olhar
do menino piedoso
vendo velhice tombar!
Levantava esse idoso…
Menino chegou a velho
nesta vida retratado
com imagem de espelho
Hoje!? Um pobre coitado!

Pinhal Dias (Lahnip) - PT
In: “Bálsamo de Vida”

Publicidade

Seguiu-se um momento mágico:
a execução ao piano de três temas de
música clássica de autoria de dois autores
portugueses. Esta execução esteve a cargo
de uma jovem e talentosa pianista, Inês
Andrade, cujo prestígio já há muito
transpôs fronteiras muito premiada que
já tocou um pouco por todo o mundo.
Foi um momento mágico que nos
encheu de emoção e de orgulho pois que
a nossa pianista é natural do Seixal. No
fim da sua execução o público aplaudiu
intensamente de pé.

Seguiram-se os discursos do Reitor
António Pinto da Costa, dos oradores
convidados António Santos representante
das freguesias do concelho,Vanessa
Silva, Vereadora da Educação, e por
fim encerrando a parte dos discursos
Tomás de Aquino Presidente da Casa do
Educador.De salientar também a presença
do Senado da Unisseixal e também a do
Doutor Carlos Ribeiro acompanhado da
esposa, professor da Unisseixal e distinto
cirurgião de que todos nos orgulhamos.
A Oração de Sapiência de seu nome

“Toada Coimbrã” foi brilhantemente
executada por Mário Veiga que ia entoando
as canções coimbrãs e desfiando memórias
e falando da evolução das canções através
dos tempos. Mariana Mareco colaborou
no desenvolvimento deste tema com o
mesmo brilho do cantor na descrição dos
factos inerentes a esta temática.
Com um refinado e inteligente humor
Mário Veiga contou algumas historietas
desses tempos memoráveis de Coimbra
enquanto citava Luis Góis, Leonel Neves,
Fernando Machado, Adriano Correia de
Oliveira e Zeca Afonso. Mutio conhecido
no concelho como exímio tocador e
possuidor de uma bela voz e muita
sensibilidade proporcionou-nos também
a magia da sua arte com a qual encantou
a audiência tendo sido largamente
aplaudido com todo o público de pé.
Esta interessante Abertura do Ano
Académico terminou com o Hino da
Unisseixal após uma grande tarde de
cultura e agradável convívio.

lazer

CSS | 20 de Dezembro de 2016

21

DESCUBRA AS 9 DIFERENÇAS
O NOSSO SEIXAL...
ORIGINAL

cinema

Festa de Natal
da Empresa

19 a 25 de Dezembro

Carneiro

21-03 a 20-04

Amor: As suas obrigações profissionais podem
não lhe permitir estar tanto tempo com a pessoa
amada, por isso, aproveite de uma forma especial todos os momentos a dois.
Saúde: Procure ter uma alimentação equilibrada.
Dinheiro: Poderão surgir novas perspetivas nesta fase, mas não se deixe levar pelos impulsos.
Números da Semana: 8, 17, 11, 4, 2, 3

Touro

21-04 a 21-05

Amor: Seja mais carinhoso com o seu parceiro.
Saúde: Opte por refeições ligeiras.
Dinheiro: Poderá realizar investimentos a título
individual.
Números da Semana: 8, 10, 24, 30, 32, 43

Gémeos

21-04 a 21-05

Amor: Poderá ter de enfrentar uma forte discussão
com alguém da sua família.
Saúde: O cansaço poderá invadi-lo, tente relaxar.
Dinheiro: A sua conta bancária anda um pouco
em baixo, seja prudente nos gastos.
Números da Semana: 1, 16, 15, 24, 27, 31

ALTERADO

Caranguejo

Amor: A sua vida afetiva poderá ganhar um novo rumo.
Saúde: Cuide melhor da sua pele, está a necessitar
de uma limpeza facial.
Dinheiro: Sentir-se-á preparado para realizar os
projetos a que se propõe.
Números da Semana: 7, 8, 47, 41, 45, 3

dr

Sudoku

21-06 a 23-07

Carol (Jennifer Aniston), a diretora-geral da
empresa, decide encerrar a filial onde trabalha
o seu irmão, o irresponsável e divertido Clay
(T.J. Miller).
Clay decide então unir forças com o diretortécnico Josh (Jason Bateman) e os restantes
colegas, para organizarem a mais estrondosa
festa de Natal alguma vez vista e encorajarem
um potencial cliente a fechar o negócio que
salvará os empregos de todos.

música

Michael Bublé Christmas

Leão

24-07 a 23-08

Amor: O seu cansaço pode prejudicar a sua relação
amorosa.
Saúde: Procure não andar tão atarefado.
Dinheiro: Poderá ter problemas com a sua entidade patronal.
Números da Semana: 1, 8, 4, 10, 11, 6

Virgem

24-08 a 23-09

Amor: Uma pessoa próxima de si poderá mostrar uma
faceta menos agradável.
Saúde: Poderá sentir dores musculares.
Dinheiro: Seja justo numa decisão que poderá ter que tomar.
Números da Semana: 8, 1, 14, 11, 17, 22

Balança

24-09 a 23-10

Amor: Tente pensar um pouco na sua relação, e
reflita bem se esta o faz feliz.
Saúde: O stress e o excesso de trabalho poderão
trazer-lhe alguns problemas de saúde.
Dinheiro: Poderá haver um crescimento inesperado do seu poder material.
Números da Semana: 2, 11, 14, 17, 27, 39

Escorpião

24-10 a 22-11

Amor: Rejeite pensamentos pessimistas e derrotistas.
Saúde: Liberte-se da pressão do dia a dia através da
boa disposição.
Dinheiro: Apesar das divergências de opiniões no seu
ambiente de trabalho, não desista dos seus objetivos.
Números da Semana: 10, 20, 30, 4, 5, 9

Sagitário

dr

SOLUÇÃO

23-11 a 21-12

Amor: Um convite inesperado alegrará o seu dia.
Saúde: Mantenha o otimismo e procure manter a
sua energia habitual.
Dinheiro: Investigue as oportunidades de emprego em empresas recentes.
Números da Semana: 16, 25, 33, 42, 50, 61

O Natal não seria o mesmo sem um
disco de Michael Bublé. “Christmas” é o
novo álbum do famoso artista canadiano
alusivo a esta época festiva do ano. Inclui versões de standards de Natal, duetos com a sua compatriota Shania Twain,
com as Puppini Sisters, com a mexicana
Thalia e um novo tema original. Neste
disco, Bublé fez-se acompanhar em estúdio pelos produtores David Foster, Bob
Rock, Humberto Gatica e gravou nos
famosos Capitol Studios. “Christmas” é
o grande regresso aos discos de Michael
Bublé - um campeão de vendas em todo
mundo e membro do clube restrito dos
“platinados” no nosso país.

Capricórnio

22-12 a 20-01

Amor: O convívio com a pessoa amada estará
favorecido nesta fase.
Saúde: Fase estável, mas esteja sempre alerta.
Dinheiro: Os seus problemas poderão ser
resolvidos, embora com lentidão.
Números da Semana: 7, 10, 5, 22, 41, 1

Aquário

21-01 a 19-02

Amor: Procure não esconder segredos ao seu
melhor amigo.
Saúde: Evite adotar posturas incorretas.
Dinheiro: É possível que não consiga cumprir um
pagamento.
Números da Semana: 2, 19, 26, 34, 42, 54

Peixes

20-02 a 20-03

Amor: Sentirá necessidade de conhecer pessoas diferentes.
Saúde: Probabilidade de ocorrência de pequenos
acidentes domésticos.
Dinheiro: Altura de fazer contenção de despesas.
Números da Semana: 17, 23, 44, 13, 26, 1

desporto

CSS | 20 de Dezembro de 2016

16
22

G.d. criar-t
seixal
hóquei

Publicidade

Semana Desportiva 49

Sub-7 (Bambis)

Sub-17
Crónica do Treinador Hernâni Nunes:
Mais uma jornada do Campeonato
Regional, desta vez em Castro Verde,
para o desfio da equipa da casa, que atá
aqui tinha sido a única equipa que a
Criar-t venceu nesta prova, quando jogou
em "casa".
Com o conjunto de atletas mais
completo, com o regresso do capitão de
equipa após dois meses de paragem por
lesão, a Criar-t, entrou muito concentrada
no jogo e a pôr em prática o trabalho
desenvolvido durante a semana. Domínio
do jogo com a criação de inúmeras
situações de golo o que veio a dar
vantagem no final da 1ª parte. Na parte
complementar da partida e apesar de uma
boa réplica da equipa da casa, a Criar-t
manteve sempre o controlo do jogo, vindo
a vencer por 7-5 de forma inteiramente
justa. Arbitragem regular.

Crónica do Treinadores Rinito Rita e
José Narciso:
Uma palavra de apreço aos nossos mais
pequeninos que com a sua dedicação e
capacidade de trabalho , lá vão evoluindo
de uma forma bem segura, consistente e
divertida. Nesta 1ª jornada da 2ª fase do
TEFJ da APL , os nossos jovens hoquistas,
voltaram a demonstrar melhorias,
reflectindo nos resultados do jogos,
marcando os primeiros golos e ganhando
o primeiro jogo. Alegria contagiante
dos nosso meninos, estavam felizes e
souberam transmitir esse sentimento aos
seus familiares, dirigentes e treinadores.

ATLETA AMORENSE NA
SELECÇÂO NACIONAL
DR

Gonçalo
Ferrão,
nadador
da
Associação Naval Amorense foi
convocado para a Selecção Nacional
pré-junior e irá representar Portugal no
Meeting Internacional de Lisboa que se
realizará nos dias 18 e 19 de Fevereiro
de 2017. Estão assim de parabéns não
só o atleta mas também a Colectividade,
que vê assim recompensado o trabalho
e a dedicação que têm vindo a ser
desenvolvidos
nesta
modalidade
desportiva.

DR

PUBLICIDADE

CSS | 20 de Dezembro de 2016

23

Publicidade
24
16

CSS | 20 de Dezembro de 2016


Comercio 327.pdf - página 1/24
 
Comercio 327.pdf - página 2/24
Comercio 327.pdf - página 3/24
Comercio 327.pdf - página 4/24
Comercio 327.pdf - página 5/24
Comercio 327.pdf - página 6/24
 




Descargar el documento (PDF)

Comercio 327.pdf (PDF, 8.3 MB)





Documentos relacionados


Documento PDF comercio 353
Documento PDF comercio 327
Documento PDF comercio 326
Documento PDF comercio 352
Documento PDF comercio 325
Documento PDF comercio 322

Palabras claves relacionadas