Caja PDF

Comparta fácilmente sus documentos PDF con sus contactos, la web y las redes sociales.

Compartir un archivo PDF Gestor de archivos Caja de instrumento Buscar PDF Ayuda Contáctenos



Comércio 320 .pdf



Nombre del archivo original: Comércio 320.pdf

Este documento en formato PDF 1.5 fue generado por Adobe InDesign CS4 (6.0) / Adobe PDF Library 9.0, y fue enviado en caja-pdf.es el 15/10/2016 a las 10:15, desde la dirección IP 85.242.x.x. La página de descarga de documentos ha sido vista 1052 veces.
Tamaño del archivo: 6.9 MB (16 páginas).
Privacidad: archivo público




Descargar el documento PDF









Vista previa del documento


Preço: 0,01

Publicidade

Publicidade

Semanário | Sábado | 15 de Outubro de 2016 | Ano IX | N.º 320

Director: Fernando Borges

REQUALIFICAÇÃO DO SEIXAL

ACELERA E PREOCUPA
Pág. 2 / 3

ACTUALIDADE

ENTREVISTA

SOCIEDADE

SOCIEDADE

Táxi ou Uber?

Culturismo

Escuteiros

Seixal Clube 1925

Conheça as diferenças e as semelhanças
que originaram a guerra entre Taxistas
e Motoristas Parceiros da Uber. Abordagem da legislação defendida por cada
um dos lados e a opinião de um taxista
do Seixal.
Pág. 4 / 5

Desde os 17 anos a praticar Culturismo, Miguel Pinto sagra-se Campeão
Nacional desta modalidade aos 29
anos, revelando algumas facetas do seu
treino e cuidados alimentares, deixando
alguns conselhos aos mais jovens.
Pág. 7

Recusando o escotismo como única
forma de ocupar tempos livres, o Grupo 242 de Corroios, orgulha-se de ser o
maior grupo nacional da Associação de
Escoteiros de Portugal, e um dos mais
dinâmicos do país.
Pág. 9

No regresso ao Estádio do Bravo, Seixalenses
têm um novo projecto que promete fazer
renascer o Clube que chegou a ser um dos
mais ecléticos da região, destacando-se em
várias modalidades como o futebol, o ciclismo, o hóquei ou o basquetebol.
Pág. 12

Publicidade

SOCIEDADE
2

Celino Cunha Vieira

editorial

Esta semana damos especial destaque
às obras de requalificação urbana que
estão a decorrer no Seixal, pois parece-nos
ser um tema actual e motivo preocupante
para moradores e comerciantes da zona,
que passado o incómodo de todo um
Verão sem acessibilidades e pó por todo
o lado, constatam agora com a chegada
das chuvas, que a sua vida quotidiana
irá ficar ainda mais complicada pelas
poças de água e a inevitável lama.
Os contratempos entretanto surgidos
durante a execução da obra não
justificam o enorme atraso para a
conclusão das mesmas, esperando-se
uma enérgica tomada de posição por
parte da CMS, pois está em causa a
defesa dos munícipes.
Com a recente polémica sobre a
legalização da plataforma electrónica da
Uber que levou a uma concentração de
taxistas em Lisboa, redundando num
bloqueio para os lados do aeroporto,
damos uma breve explicação sobre as
diferenças que existem entre as duas
partes e ouvimos um taxista do nosso
concelho sobre este assunto que parece
estar para durar, não se vislumbrando
uma solução que agrade às duas partes.
Porque o Seixal Futebol Clube, agora
Seixal Clube 1925 nos merece toda a
simpatia e consideração, é de destacar
a abnegação dos seus actuais dirigentes
que não têm poupado esforços para fazer
ressurgir o Clube que tanto prestígio
deu ao Seixal, abordamos num pequeno
apontamento alguns dos projectos que
estão em curso e que dependem da posse
de instalações próprias, já prometidas
pela CMS.
Desta vez os nossos “destinos”
foram até à Aldeia da Mata Pequena,
na região saloia para os lados de Mafra,
onde se pode passar um fim-de-semana
tranquilo em contacto com a natureza e
a poucos quilómetros do Seixal.

REQUALIFICAÇÃO
DO SEIXAL

Em 21 de Dezembro de 2015 iniciaram
no núcleo histórico do Seixal, obras de
requalificação, que de uma maneira geral
todos saudaram, pois há muito que eram
necessárias e pelo menos desde 2009, ano em
que foi conhecido o projecto vencedor para
esta obra, estavam prometidas.
No arranque desta obra, foram colocados
placards nas entradas do Seixal anunciando
231 dias para a sua realização, que terminaram
em 10 de Agosto. Desde então, passaram-se já
60 dias e pelo que está à vista, a obra está longe
de ser concluída.

ATRASOS NAS OBRAS GERAM
DESCONTENTAMENTO GENERALIZADO
E FORTE PREOCUPAÇÃO
NO COMÉRCIO LOCAL

Quem vive e trabalha nesta zona, tem
acompanhado esta obra com alguma
apreensão, dado que:
1. Cedo se teve a sensação que faltava
método e organização na obra;
2. A evolução da obra tem sido lenta, sendo
notória a escassez de recursos humanos, ou
seja, poucos trabalhadores para a dimensão da
obra;
3. Falta de clareza de alguns dos sinais
de trânsito então colocados, nomeadamente
"trânsitos proibidos", que de facto o não eram,
tendo provocado por esse motivo inibição e
confusão em muitas automobilistas;
4. Em vez de fasearem a obra (conforme foi
prometido) numa óptica de ir sendo resolvida,
mais ou menos rua por rua, optaram por
generalizar a intervenção em muitas ruas em
simultâneo, não tendo depois capacidade de as
resolver rapidamente;
5. Nesta fase, os buracos estão
generalizados, com ruas e acessos cortados,
que provocam grandes dificuldades de
mobilidade a moradores (grande parte de
idade avançada), visitantes, comerciantes,
clientes e fornecedores;
6. Acresce a tudo isto, uma significativa
falta de informação rigorosa por parte da CM
do Seixal, enquanto dona da obra;
7. São conhecidos os motivos que justificam
algum atraso na obra (Festas de S.Pedro
e questões arqueológicas), mas de modo

O Historiador Rúben Lopes
transporta-nos mais uma vez a
um passado do concelho por vezes
desconhecido e ignorado, brindandonos com a sua pesquisa sobre uma figura
que se destacou no final do século XIX e
início do século XX.

nenhum pode justificar a dimensão do atraso correndo-se no momento presente o risco de
que se verifica neste momento.
encerramentos, perdas de postos de trabalho
e desemprego.
O que já foi possível ver esta semana com
o início das chuvas, faz aumentar ainda mais
Foi neste enquadramento que cerca de 30
as preocupações. Se no verão, foi o pó que comerciantes do núcleo histórico reuniram no
invadiu estabelecimentos e casas, agora é a passado dia 11 de Outubro. Feito o diagnóstico
lama e as poças de água.
da situação e dada a ausência de uma
Associação que dê voz a estas preocupações,
O comércio local está a ser fortemente os comerciantes presentes decidiram de forma
penalizado, com quebras acentuadas nos própria, encetar as diligências necessárias,
clientes e consequentemente nas vendas, tendo como principal objectivo pressionar a
CM do Seixal e o empreiteiro da obra (Luís
Frazão, construção civil e obras públicas, SA),
para que esta obra seja concluída rapidamente.
Foi assim solicitada uma reunião ao Sr.
Presidente da Câmara, onde, entre as várias
questões, será apresentada uma proposta para
que a Câmara possa encontrar formas de
apoio, que possam vir a minorar os impactos
nefastos que estão a trazer ao comércio local.

Também entrevistámos o atleta
Miguel Pinto, que este ano se sagrou
Campeão Nacional de Culturismo e
reside no nosso concelho, sendo de toda
a justiça divulgar o feito alcançado.

Paralelamente, vão ser avaliadas formas
para sensibilizar a opinião pública para que
ajudem a manter vivo este Núcleo Antigo do
Seixal e todos possam ver esta obra concluída
e dela todos possam também vir a beneficiar.

Continuamos a alargar a nossa
equipa e contamos com uma nova
colaboradora a quem damos as boasvindas, a Nutricionista Adriana Marçal,
que nos trará alguns conselhos para uma
alimentação mais saudável.



Vitor Sarmento

É assim mais uma edição do “Comércio”
que esperamos seja do V/ agrado.

Administração, Redacção
e Publicidade

Director: Fernando Borges - CP1608
Registo do título: 125282
Depósito Legal: N.º 267646/07
Contribuinte N.º 194 065 499
Propriedade e Editor: Ângela Rosa

Rua Seixal Futebol Clube, n.º 1, 1.º Dt
2840 - 523 Seixal
Telm. 969 856 802
Telf. 210 991 683
comerciodoseixal@gmail.com
http://jornalcomerciodoseixalesesimbra.wordpress.com
Facebook: Comércio do Seixal e Sesimbra

Director Adjunto: Celino Cunha Vieira
Directora Comercial: Ângela Rosa
Paginação: Sofia Rosa
Desporto: Luis Pontes CO1039
Repórter: Fernando Soares Reis CP6261
Colaboradores: Adriana Marçal, Agostinho António Cunha, Alexandre Faleiro, Alvaro Giesta, ANIVET - Consultório Veterinário,
Dário Codinha, Hugo Manuelito, José Henriques, José Lourenço,
João Araújo, Jorge Neves, José Mantas, José Sarmento, Maria Vitória

Afonso, Maria Susana Mexia, Mário Barradas, Miguel Boieiro,
Paulo Nascimento, Pinhal Dias, Rúben Lopes, Rui Hélder Feio,
Vitor Sarmento.
Impressão: Funchalense - Empresa Gráfica, S.A.
Tiragem: 15.000 exemplares
O «Comércio» não se responsabiliza nem pode ser responsabilizado pelos
artigos assinados pelos colaboradores. Todo o conteúdo dos mesmos é da
inteira responsabilidade dos respectivos autores.

CSS | 15 de Outubro de 2016

3

Sobre este tema o “Comércio” solicitou
algumas explicações à CMS, que respondeu:
“A Câmara Municipal do Seixal iniciou a
intervenção no Passeio Ribeirinho do Seixal
em Dezembro de 2015, no seguimento do
concurso público realizado, com tempo de
obra estimado de 210 dias. Esta intervenção
incide na requalificação de todas as
infraestruturas, quer de águas, quer de
saneamento, assim como na requalificação
de todo o espaço público desta zona. É
sem dúvida a maior intervenção que a
Autarquia está a desenvolver no Concelho
e por conseguinte uma verdadeira aposta
na requalificação da qualidade de vida dos
moradores e visitantes.
Regularmente a Autarquia tem reunido
com o empreiteiro, no sentido de analisar o
não cumprimento do planeamento da obra e
ultrapassar os vários constrangimentos que
vão surgindo ao longo da empreitada. Os
atrasos verificados deveram-se em grande
parte aos vários trabalhos arqueológicos. A
prorrogação do prazo da obra foi concedida
até ao final do mês de novembro. Em caso de
incumprimento do contrato da empreitada,
a Câmara Municipal do Seixal atuará de
acordo com o artigo 403 e 404 do Código
dos Contratos Públicos, responsabilizando a
empresa por esse facto.
O acompanhamento desta obra por
parte da autarquia tem sido diário e muito
preciso, porque temos consciência dos
constrangimentos criados aos moradores
e a todos os que ali desenvolvem a sua
atividade comercial, importa referir que a
Câmara Municipal e a Junta de Freguesia
têm reunido sempre que solicitado com
Publicidade

moradores ou comerciantes no sentido
de esclarecer duvidas ou para ultrapassar
algumas das dificuldades que têm surgido
com o decorrer da obra. Nesse sentido a
Autarquia tem todo o interesse na sua rápida
conclusão e estará sempre disponível para
encontrar em conjunto com a população
e os comerciantes as melhores soluções.
Concluída esta intervenção, com o espaço
público devidamente requalificado, teremos
certamente um ganho inestimável para todos
e a possibilidade de usufruto do mesmo.”

actualidade
4

OPINIÃO

João Araújo

(in) Tolerância
Durante séculos têm sido travadas difíceis lutas pela defesa da igualdade entre
seres humanos. Combate ao racismo, à
diferença de género, de religião, convicção política, orientação sexual e de muitas
outras causas legítimas. São lutas de consciência sempre em prol da tolerância e do
respeito pela condição de cada um e pelas
suas livres opções. Na História de todas elas
e na consolidação de cada triunfo pode verse evolução civilizacional. Ora, para alegrar
as disputas surgem frequentemente personagens, mais ou menos trágicos e com mais
ou menos visibilidade, apostados na defesa
da intransigência e do radicalismo. Idiotas
ou meros oportunistas, deixam marcas profundas, causando sofrimento e destruição.
A galeria é imensa. Nela estão chefes de
estado, líderes religiosos, líderes militares e
políticos (entre estes últimos o incontornável fenómeno de apenas aparente estupidez,
Donald Trump), mas também estão todos
aqueles anónimos que, disfarçados de militantes da tolerância, propagandeiam exactamente o oposto. Aqueles para quem todos
os que não marcham e pensam de acordo
com uma certa e única perspectiva de tolerância, são intolerantes e, por isso devem
ser convertidos ou silenciados. É um estilo
de radicalismo moderno. Exemplificando:
durante um debate com um restrito grupo
de jovens tive a infelicidade de defender
que o fenómeno da violência doméstica
não deve ser encarado apenas sobre o prisma do sofrimento da mulher. Disse e digo
isto porque, por razões profissionais tenho
testemunhado diversas realidades de violência doméstica que, regra geral culminam em
agressões físicas cometidas pelo elemento
mais forte, normalmente o homem. Porém,
na generalidade dos casos as agressões físicas
são o culminar de processos de violência de
outro tipo, onde nem sempre o homem é
o principal agressor. Claro que nada disto
se destina a desculpar o macho, senhor de
condição capaz de impor a força. Procurei
apenas explicar que a realidade da vida, nomeadamente a familiar por vezes esconde
processos de torção, trágicos e arrastados,
onde as responsabilidades podem ser bem
diferentes daquelas que cabem ao agressor
físico. E ilustrei a explicação com um caso
que me perturbou especialmente, no qual a
mulher concretizou, por diversas vezes e na
presença dos filhos, as agressões físicas sobre
o marido. Porém este, alegada vitima, era
antes a cínica besta. Praticante avançado de
artes marciais, instigava e aceitava as agressões que depois usou com mestria para conseguir a condenação da mulher em 4 anos
de prisão, com pena suspensa. Pelo meio ela
perdeu a guarda do filho, o mesmo que não
percebendo que o pai o manipulara, depôs
para condenar a mãe. Mas para o meu debate de nada valeu o episódio relatado, pois
as posições dos meus interlocutores mantiveram-se radicalizadas e sem mudar um milímetro. E assim se vão criando consciências
que no futuro, contagiadas por discursos
panfletários emainstream, lá vão convictas
que dão forma ao saudável combate contra
o instituído. Vejo nestas perigosas formas
de tolerância, os militantes, por exemplo,
da luta contra o consumo de açúcar e fast
food (aliás muito justa e em breve apoiada
em imposto especial), onde não estranharei
que apareça quem, em nome da saúde pública, proponha que à condição de gordo
corresponda um castigo.

TÁXI
OU
UBER ?
Conheça as diferenças e as semelhanças que
originaram a guerra entre Taxistas e Motoristas
Parceiros da Uber. Abordagem da lei defendidas
por cada um dos lados.
Os argumentos de cada lado. A
Uber consiste numa plataforma tecnológica que liga as pessoas que pretendem ser transportadas a prestadores de serviços de mobilidade. Em
Portugal, existem duas modalidades:
o UberX – mais económico e, o UberBLACK, segmento de luxo. Cada um
destes serviços tem uma tarifa base e
depois é paga ao minuto/km, permitindo assim ao cliente saber antes da
viagem o que vai pagar pelo serviço.
O táxi, é um automóvel destinado ao
transporte de passageiros com um
taxímetro, que tem como finalidade
medir o valor cobrado pelo serviço,
com base numa combinação entre
distância percorrida e tempo gasto
no percurso.
Quais as principais críticas
apontadas pelos taxistas à actividade da Uber? Quais os argumentos desta plataforma recente a operar em Portugal?
A resposta a estas questões estão
afectas a três condicionantes; Impostos, Requisitos e por fim tarifas regulamentadas.
Impostos:
Segundo os taxistas a Uber desenvolve uma actividade que é ilegal e,
que por sua vez coloca os serviços de
transporte em desigualdade, por, não
serem taxados da mesma forma que
os táxis. Para os taxistas o pagamento
de dezenas de milhares de euros é um
facto presente na sua actividade. Os
seus rendimentos são tributados cá
e sujeitos às contribuições para a segurança social, porém, a Uber como
tem sede na Holanda, parte dos impostos vão para lá, ou seja, os lucros
da empresa são tributados nesse país.
Em Portugal os veículos pertencentes
a este sector de actividade – Táxis,
têm direito a uma dedução de 70%
no ISV (Imposto Sobre Veículos) enquanto, os veículos adquiridos pelos
parceiros Uber, têm direito a deduzir
100% do iva sobre a compra dos mesmos, o que lhes permite ter um benefício total de 30% no caso da compra
de um veículo de gama média.
Requisitos:
Para se ser condutor de táxi não
se pode ter perturbações visuais e, o
registo criminal tem de estar limpo.
Carta de condução grupo 2, alvará
e autorização da Câmara para exercer actividade. Em relação ao veículo de trabalho, este tem de ter uma
determinada distância entre eixos,
revisões de seis em seis meses e, uma
vasta panóplia de requisitos a que os
motoristas da Uber não estão sujeitos. Por sua vez, a Uber exige que os
seus motoristas tenham apenas a carteira profissional para o transporte de

passageiros. Os
seus
veículos
têm um seguro
que inclui uma
apólice de responsabi lid ade
civil com um
capital mínimo
de 50 milhões
de euros e uma
apólice de protecção dos ocupantes com um
capital mínimo
de 10 mil euros.
Tarifas regulamentares:
Os taxistas
têm a sua actividade regulada, o que faz
com que esteja
sujeita ao cumprimento de determinadas tarifas que não podem ser mexidas. No
caso da Uber, como por vezes o seu
serviço pode estar sujeito a uma tarifa
dinâmica, ou seja, quando a procura
passa a oferta, este acontecimento aos
olhos dos taxistas é considerado falta
de transparência a nível de preços.
A Uber, neste ponto defende-se
explicando que sempre que a tarifa é
mais elevada do que o normal, o utilizador é devidamente avisado desta
situação, tendo que aceitar antes de
solicitar o serviço. Segundo a Uber,
os utilizadores podem calcular o preço de uma viagem antes de a fazer,
tendo desta forma, uma ideia real de
quanto lhes vai custar a deslocação.
A Uber realça ainda a qualidade do
serviço prestado e a comodidade para
o utilizador. A possibilidade que dá
ao utilizador de escolher o tipo de veículo que pretende (uberBlack–Luxo,
UberX–Económico). Existindo também a UberGreen, carros elétricos.

O “Comércio” foi
ouvir um Taxista do
Seixal, com 39 anos,
que nos explica
quais as principais
diferenças entre
ambos os serviços a
operar em Portugal
e as abordagens da
lei defendidas pelos
mesmos.

Qual a diferença no serviço
de táxi para um serviço Uber?
O serviço de táxi é prestado por
um carro caracterizado de preto e
verde, com uma lanterna em cima
do tejadilho e um número de alvará colocado no carro para qualquer pessoa ver. Podem ser tomados numa Praça identificada ou na
rua.
A Uber presta o serviço de
transporte num carro descaracterizado, pode ser qualquer carro, e
apenas transporta clientes que tenham a aplicação no telefone.
A nível de impostos existe
uma grande diferença entre ambos, até que ponto esta discrepância vos prejudica?
Os táxis têm de pagar todas as
obrigações fiscais, segurança social, pec, selagem de taxímetro,
etc. A Uber como está sediada no
estrangeiro paga apenas uma parte sobre o lucro que faz do volume
de negócios.
O que é necessário para ser
taxista?
É preciso tirar um certificado
de aptidão profissional. É um curso de 150 horas.
Tarifários, qual a diferença
entre ambos? No teu ponto de
vista este factor é decisivo na escolha do tipo de serviço?
O tarifário dos táxis é tabelado
por regulamentação do governo
e está identificado na janela do
táxi. Na Uber o tarifário é variável
conforme um algoritmo matemático que se vai adaptando às condições de tráfego. Uma corrida do

CSS | 15 de Outubro de 2016

5
DR

DR

Publicidade

mesmo percurso pode ter valores
No teu entender o que falhou
muito diferentes. Mas é um fac- para a Uber ter visto no mercator decisivo, pois pode ser efecti- do uma oportunidade de negóvamente mais barato.
cio?
A existência de um monopólio
Serviço prestado, qual a dife- de táxis, pensar que era eterna e
rença?
alguma deficiência na oferta ao
O serviço é o mesmo; levar do cliente na forma de carros velhos,
ponto A para o ponto B, mas as motoristas mal apresentados e alcondições é que são diferentes. gum mau trato do cliente do táxi.
Por exemplo, na Uber os motoristas andam trajados de fato e
Qual o público-alvo que nesgravata e os carros são novos. Nos te momento recorre ao serviço
táxis nem sempre isto é igual.
de táxi?
Posso afirmar que todos correm
Inumera, as vantagens de um para o táxi, alguns habitualmente
serviço de táxi?
outros nem tanto. Uma história
É um serviço fiável, rápido, pessoal: um destes dias transporseguro e identificado caso exista tei um cliente Uber porque, o seu
alguma ilegalidade ou transtorno. parceiro de crédito bloqueou. Por
isso todos recorrem ao táxi.
Nesta guerra entre Táxis vs
Uber o que é que a Associação
Lanço-te um desafio, deixa
dos Taxistas está a fazer para uma mensagem para o público
vos ajudar?
em geral para recorrer mais aos
A associação está a tentar criar vossos serviços.
uma equidade entre os serviços
As pessoas não devem acreditar
para que exista uma verdadeira em tudo o que ouvem em relação
concorrência, mas uma concor- aos táxis, pois é um serviço fiárência leal.
vel, em que a maioria das pessoas
presta um serviço honesto, equiliCom o aparecimento da Uber brado e essencial para o funcionaperderam cota no mercado?
mento de uma cidade.
Eu não diria perda de cota de
mercado, houve um reajustamento com pessoas a experimentar
este serviço. Alguns ficaram, outros voltaram aos táxis. A Uber é
muito utilizada pelos estrangeiros
quando estão em Portugal.

Destinos

CSS | 15 de Outubro de 2016

6

Aldeia da Mata Pequena

Respirar tradições, viver sensações

Era uma aldeia esquecida onde ainda habitavam pouco mais do que uma dezena de aldeões que mantinham vivas os costumes e
tradições de sempre. Preservando a natureza e essência deste local, do quase abandono fez-se a recuperação, e desta o renascer na
perfeição de uma aldeia típica da região, transformando-a num edílico espaço de Turismo de Habitação. A ir… e sentir!

É um pequeno povoado rural composto
por uma dezena de habitações situado a escassos 30 minutos da cidade de Lisboa. O
seu nome é Aldeia da Mata Pequena. Um
lugar tão perto da capital e tão longe do
stress e do bulício urbano, uma aldeia enquadrada num cenário cheio de beleza na
denominada Zona de Protecção Especial
do Penedo do Lexim
onde se ergue um
vulcão já extinto que
acolhe uma importante estação arqueológica.
Aqui, o voo dominante da Águia
Imperial e o esgueirar furtivo da raposa
contracenam
com
uma paisagem natural extremamente rica
e preservada, convidando ao descanso, ao
lazer e ao contacto com a natureza.
Dizem que a presença humana na Mata
Pequena remonta ao período da ocupação romana, como atestam os vestígios aí
encontrados. Contudo, dos 70 habitantes
que viviam na aldeia no século XIX, já só
Publicidade

resta pouco mais do que uma
dezena que teimam em manter
vivos os usos e costumes de outrora.
Esquecida no tempo, a Aldeia da Mata Pequena beneficiou do seu isolamento, que
evitou intervenções menos "esclarecidas", descaracterizadoras
da sua autenticidade. Deste
modo, como que despertando
de um longo período de hibernação, a Mata Pequena afirmase hoje como um dos raros
exemplares da Arquitectura
Tradicional da Região Saloia,
mantendo fortemente vincada a sua identidade original.
Sim, era uma aldeia esquecida pela civilização, onde ainda habitavam aldeões
que mantinham as vivências e tradições
de sempre. Também poderemos dizer que
perdida no abandono. Ou para ser mais delicado, no esquecimento.
Mas um dia,
Ana e Diogo Batalha olharam para
esta aldeia com outros olhos. E deste
lugar idilicamente
perdido num espaço
marcado pelo verde
transformaram-no
num espaço de Turismo de Habitação,
preservando a natureza e a essência deste
local, mantendo intacto o gosto de outros
tempos.
Aqui, os hóspedes ainda têm como vizinhos alguns residentes permanentes na
aldeia. Sim, são uns dez que mantêm vivas
ancestrais tradições Por isso mesmo, não
se trata de uma aldeia museu. É uma al-

deia com vida própria, onde se tem a possibilidade de contactar directamente com
os usos, costumes e fainas diárias da vida
rural.
Todos os dias de manhã, os ingredientes para o pequeno-almoço e o pão quente,
cozido no forno a lenha, são colocados à
porta de cada casa. E são os visitantes que
preparam a sua própria refeição.
Portas de um pequeno povoado rural
onde ainda se vive em comunhão com a
natureza e se respira pacatez e autenticidade. Portas simples de rústicas e pequenas de acolhedoras casas rigorosamente
recuperadas que parecem espreitar para os
montes e vales que as circundam.
Aqui, na Mata Pequena, que possui uma
área dedicada a preservar o burro tradicio-

nal da região, os hóspedes são desafiados a
conhecer a zona através de várias propostas
organizadas, como burricadas, caminhadas, passeios off-road num jipe ou passeios
equestres, podendo-se ainda alugar uma
bicicleta e partir à descoberta deste local
único onde a tradição falou mais alto e
provou que o conforto e o bem-estar são
mais autênticos nas coisas simples.
Mas também para tranquilamente percorrer de carro esta região de uma enorme
beleza paisagística e marcar encontro com
o Penedo de Lexim, Mafra, Sobreiro, Ribeira de Ilhas, Ericeira e Cheleiros.
Este é de facto um lugar repleto de pedaços de um passado que é comum a muitos de nós e que nos aviva carinhosas recordações.
Texto e fotos: Fernando Borges

ENTREVISTA

CSS | 15 de Outubro de 2016

7

"Culturismo é a minha vocação"
O Culturismo é um desporto de constante desenvolvimento onde é necessário muito investimento pessoal
para que dia após dia consigamos alcançar os objetivos a que nos propomos, refere o atleta Miguel Pinto
Francisco.
Quando surgiu o gosto por esta
Modalidade?
Aos 17 anos, quando desafiado
por alguns amigos para um treino
experimental. Foi neste dia que descobri
um gosto especial pelo mundo do Fitness
que com o passar do tempo, treinos e
estudo, percebi que o Culturismo era sem
dúvida a minha vocação.
Há quanto tempo estás em competições?
Há 3 anos, tendo sido a minha
primeira prova “IFBB Regional Sul” onde
conquistei um 2º lugar.
Quais os segredos para o sucesso?
A disciplina e rigor são a base de
suporte para este desporto, seguido da
determinação, de muito estudo e sem
sombra de duvidas e provavelmente o
mais importante, ter o acompanhamento
de bons profissionais como preparadores.
E neste campo, tenho muito a agradecer
à Família 2Korpus em especial ao meu
Mestre António Guerreiro e Liliana
Guerreiro.
Como divides o teu tempo entre
Treinos, Provas e Família?
Em época de preparação faço treinos
bidiários em paralelo com o trabalho
(Personal Trainer) e consequentemente
é mais difícil inserir a vida familiar e
social no meu dia-a-dia, tento gerir as
minhas folgas o melhor que consigo para
compensar a minha ausência durante toda
a semana. Em offseason levo uma vida
perfeitamente normal, igual a qualquer
Publicidade

DR

DR

outra pessoa que goste de manter uma boa gratificante. Neste dia tive a certeza
forma física (com moderação obviamente), que todo o esforço e dedicação são
e é nesta altura que tento aproveitar compensados.
ao máximo para fazer o dia-a-dia sem
De todas as provas realizadas qual a
grandes regras, horários e obrigações.
que mais te marcou?
Sem dúvida o Campeonato Nacional
Como é o teu dia-a-dia?
O meu dia inicia-se às 6 horas da de 2016, onde conquistei o título de
manhã para que consiga organizar as Campeão Nacional até 80kg.
minhas refeições contando com a ajuda
Um conselho de um veterano para
essencial da “Marmitando” que prepara
algumas delas. Depois preparo as minhas os iniciantes desta modalidade, o que
aulas, Pt´s e por fim os meus treinos. De dirias?
Sejam muito focados, disciplinados e
forma resumida, acordo – treino – dou
pts – treino, o meu dia é passado quase na persistentes, o Culturismo é um desporto
de constante desenvolvimento onde é
totalidade no Ginásio.
necessário muito investimento pessoal
para que dia após dia se consiga alcançar
Quantas horas treinas por dia?
os objectivos a que nos propomos.
Actualmente 3 horas/dia
Procurem também alguém que
Que cuidados tens com a alimentação vos acompanhe devidamente, que vos
aconselhe e ajude neste processo. Não é
e contigo?
Faço uma dieta bastante restrita, qualquer pessoa que tem conhecimentos
consumindo alimentos como peixe, suficientes para preparar um atleta, e
carnes brancas, batata-doce, arroz e ovos. se queremos ser os melhores temos que
Coloco de parte tudo o que é alimentos trabalhar com os melhores.
Nos treinos, não tenham qualquer
processados, alimentos ricos em açúcar e
sódio. Tento descansar no mínimo 7h/8h tipo de preconceito em pedir ajuda, ouvir
e sou acompanhado semanalmente pelo opiniões e trocar ideias. Neste mundo
meu Osteopata (Pedro Portinhas) que estamos em constante aprendizagem,
neste desporto é muito importante devido nunca sabemos tudo, e isso só vai
contribuir para o vosso sucesso.
o cargas exercidas nos treinos.
Quero agradecer à minha namorada,
Filipa Guimarães, e a todas as pessoas que
Como foi a tua primeira prova?
Foi provavelmente o dia mais me fizeram chegar até aqui, um muito
importante de toda a minha carreira obrigado por toda a confiança, amizade e
enquanto culturista. Estava nervoso e dedicação que depositaram em mim e no
ansioso mas o resultado final foi muito meu trabalho.

social

CSS | 15 de Outubro de 2016

8

José O´Neill Pedrosa

BURACO DA MINHOCA

o «progressista» seixalense (I)
Dário S. Cardina Codinha

Novo Companheiro de Plutão
e Água em Proxima-b
Plutão acabou de ganhar mais um
companheiro, chama-se 2014 UZ224,
está a cerca de 18 mil milhões de Km do
Sol e é o 3º objecto mais distante descoberto do sistema solar.
Tem cerca de 1000 km de diâmetro,
demora cerca de 1000 anos a dar uma
volta ao Sol. Este novo planeta-anão
junta-se a Éris, Sedna, Makemake, Almeia e Plutão.
O planeta-anão foi descoberto usando uma câmara grande angular para fazer imagens do céu, pertencente ao Dark
Energy Survey.
No primeiro mês desta pesquisa foram descobertos 6 objectos, entre eles o
2014 UZ224.
O instrumento e a metodologia utilizada nesta pesquisa pode servir, não só
para descobrir mais objectos interessantes no nosso sistema solar profundo, mas
também para aprofundar a pesquisa sobre o planeta 9.
O astrónomo principal desta pesquisa, David Gerdes, disse que a caçada está
apenas a começar e certamente serão
descobertos muitos mais objectos.
Um grupo de astrónomos franceses,
do instituto CNRS, chamou a atenção
para a possibilidade do exo-planeta mais
próximo de nós, o proxima-b (em torno
da estrela mais próxima de nós, a 4 anosluz) ter água.
O grupo estimou, apesar do erro ser
grande, a sua massa através de modelos
computacionais.
Basearam-se na possibilidade de o planeta ser rochoso com núcleo metálico,
depois ajustaram os dados à realidade.
Chegaram à conclusão de que o raio
deste exo-planeta situa-se entre 0,90
a 1,4 raios terrestres. Se tiver 0,9 raios
terrestres, terá um núcleo com 65% a
massa do planeta e o restante será manto
rochoso (algo idêntico a Mercúrio).
Teria, ainda, água na sua superfície
correspondente a 0,05% a massa do planeta.

Rúben Lopes

Nascido no ano de 1846 em Amora, José O´Neill Pedrosa (1846-1939) esteve entre os mais importantes
seixalenses da história do concelho, tanto como político como benemérito. Era descendente de João O´Neill,
um nobre irlandês do Clã O´Neill que em meados do Século XVIII passou a habitar em Portugal, estabelecendose na Quinta de Arealva (no actual concelho de Almada). Foi benemérito de várias associações do concelho,
principalmente da Sociedade Musical 5 de Outubro (em Paio Pires, freguesia onde habitava) – deteve o cargo
de presidente da Câmara Municipal do Seixal por duas ocasiões e chegou a ser eleito deputado.
A falta de documentação não nos ajuda
muito a detalhar a vida de Pedrosa nas
primeiras décadas da sua vida, até à sua
tomada de posse como Presidente da Câmara
Municipal do Seixal pela primeira vez no ano
de 1887, após a sua lista ter vencido as eleições
municipais de Setembro do mesmo ano – era
então membro do Partido Progressista, que
desde a sua fundação (em 1876) alternava no
poder juntamente com o Partido Regenerador
dentro da Monarquia Constitucional.
Permaneceria como Presidente da
Câmara até 1889, abandonando o cargo
para se candidatar a deputado para as Cortes
Constituintes pelo círculo uninominal de
Almada nas eleições legislativas de Outubro
do mesmo ano, perdendo no entanto estas
eleições contra o candidato do Partido
Regenerador, Jaime Artur da Costa Pinto.
Nas eleições municipais de Novembro
de 1892, Pedrosa encontra-se dentro da lista
camarária dos «progressistas» para a Câmara
Municipal, mas perde contra a lista do então
Presidente da Câmara, José Abraham de
Almeida Lima, «regenerador». A derrota de
Pedrosa foi celebrada pelo jornal afecto ao
«regeneradores» de Almada, O Puritano – na
época, não existia ainda um jornal sediado
no concelho Seixal - cujo correspondente
afirmava que a derrota de Pedrosa fora
surpreendente, tendo em conta que o mesmo
“dirigia os negócios do concelho há cerca de
dez anos” (O Puritano, Nº323, de 17/11/1892,
pág.3); por outro lado o correspondente do
jornal associado ao Partido Progressista, O
Diário Popular, culpava a derrota da lista dos
«progressistas» seixalenses à mobilização dos
operários da fábrica de lanifícios de Arrentela
pela lista dos «regeneradores» (O Diário
Popular, Nº9164, de 07/11/1892, pág.2).
Pedrosa recandidatou-se ao cargo de
Presidente da Câmara Municipal do Seixal
na eleição municipal de 27 Fevereiro de 1898,
vencendo-as e tomando o cargo pela segunda
vez. Esta eleição para a Câmara Municipal
seguiu-se à restauração do concelho do
Seixal nesse mesmo ano, após este ter sido
momentaneamente extinto desde 1895, por

Legenda: Vila do Seixal nos inícios do Século XX

anterior decreto do ministério «regenerador»
de Hintze Ribeiro – este facto poderá ter
favorecido Pedrosa na sua vitória. Segundo o
jornal O Popular (sucessor do Diário Popular),
esta vitória deu-se contra a lista coligada dos
«regeneradores» seixalenses e dos apoiantes
do Conselheiro do Rei D. Carlos, José Dias
Ferreira, e que Pedrosa teve o apoio da “classe
piscatória e operária” (O Popular, Nº621 de
01/03/1898, pág.2).
Por outro lado, o jornal A Tarde, associado
ao Partido Regenerador, contava uma história
diferente, ao afirmar que a derrota da lista
dos «regeneradores» seixalenses deveu-se à
intimidação dos apoiantes desta lista por “uma
caterva de caceteiros de mistura com cabos
de política”, que segundo o mesmo jornal,
estavam a mando de José O´Neill Pedrosa (A
Tarde, Nº3080 de 10/03/1898, pág.1).
Em 6 de Novembro do mesmo ano dão-se
novas eleições municipais (que se estenderam
desta vez para todo o país), sendo que Pedrosa
ganha estas e mantém-se como Presidente
da Câmara – era a terceira vez que ganhava
eleições municipais.
Vale a pena notar que a família de Pedrosa
detinha grande influência no concelho

do Seixal, visto que entre 1905 e 1908,
Guilherme d´Abreu Viana O´Neill Pedrosa foi
o Presidente da Câmara Municipal; ao mesmo
tempo, Henrique O´Neill Pedrosa e José
d´Abreu Viana O´Neill Pedrosa detiveram o
cargo de Administrador do Concelho (cargo
que representava os governos nos concelhos).
Durante a sua última presidência da
Câmara, José O´Neill Pedrosa deixou como
obra feita a criação da Comarca Judicial do
Seixal (1899), a criação da avenida marginal
na vila do Seixal (a actual Avenida D. Nuno
Álvares Pereira) e a instalação de candeeiros
de bicos de gás.
Após 1900, por razões desconhecidas, José
O´Neill Pedrosa não se recandidata ao cargo
de Presidente da Câmara.
Em 1910, dá-se a Implantação da
República, sendo que Pedrosa acabaria
por aderir ao novo regime como «adesivo»
(termo usado para identificar políticos do
caído regime monárquico que proclamaram
lealdade ao novo regime e que aderiram aos
partidos republicanos). Na próxima parte,
falaremos do percurso de José O´Neill Pedrosa
desde a Implantação da República até ao seu
falecimento em 1939.

ROSTOS DO SEIXAL
RITA MARRAFA DE CARVALHO
(1977)

No cenário de 1.4 raios terrestes, seria
composto por 50% de rocha e 50% de
água, com um oceano de cerca de 200
Km.
Em ambos os casos, uma fina camada
de gás cobre o planeta o que o torna potencialmente habitável.
DR

Licenciada em Ciências da Comunicação, com especialização em Jornalismo e
Novas Tecnologias, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade
Nova de Lisboa, Rita Marrafa de Carvalho
é uma jornalista e cantora nas horas vagas
da sua profissão de coração.
Oriunda da freguesia de Amora, começou por experimentar rádio na Seixal FM

com 17 anos, passou pela imprensa escrita,
produção de cinema e, em 1999, apresentou o programa Curto Circuito Especial de
fim-de-semana, no Canal de Notícias de
Lisboa.
Jornalista da RTP desde 1999, esteve no
Telejornal até 2010, altura em que aceitou o
convite para integrar a redacção do programa 30 Minutos. Segue casos relacionados
com a primeira e segunda Infâncias e Justiça, como o Freeport e o processo Casa Pia.
Como enviada especial foi à Indonésia,
para cobertura do terramoto e tsunami, em
2005, destacando também o trabalho no
Mundial de Futebol 2010, África do Sul, o
primeiro aniversário do 11 de setembro em
Nova Iorque, no ano de 2002, entre outros.
Realizou diversas Grandes Reportagens,
nomeadamente a primeira em Portugal
onde foi filmada uma reunião de Alcoólicos
Anónimos, de nome "Mais um Dia a Seco",
em 2007, ou "Feridas no Mar de Ceilão",
que acompanhou um grupo de órfãs do Sri
Lanka em 2008, num processo de terapia

de reconciliação com o mar, onde perderam
a família com o Tsunami.
Na arte literária, é co-autora dos livros
365, Os primeiros Anos (2004); Curtas-Letragens (2004); Vieste p@ra ser o meu livro
(2006); Esmeralda ou Ana Filipa, Dois nomes, dois Pais (2008); Histórias Sem Aquele
Era Uma Vez (2010); Folie à Deux (2011).
Conquistou alguns prémios tais como a
Menção Honrosa - Prémio de Jornalismo
pela Diversidade Cultural - ACIDI/Unesco
- Mercado das Vontades (2009) e Seleção
final para CINE'ECO, programa Avenida
Europa sobre Políticas Energéticas (2008).

Mário Barradas

SOCIEDADE

CSS | 15 de Outubro de 2016

9

Escoteiros de Corroios
iniciam Época 2016/2017

euros, da vedação do terreno destinado
à futura sede, cedido pela Câmara
Municipal do Seixal, contando ainda
com um apoio financeiro da Junta
de Freguesia de Corroios. Anunciaria
também o arranque, ainda este ano,
da construção da sede, que conta estar
concluída até ao final da presente época,
num investimento de cerca de 40.000
euros.
O Grupo 242 começou a ser idealizado
no verão de 2010, a partir de um conjunto
de antigos escuteiros do CNE, que
pretendiam criar em Corroios um grupo
de escoteiros multi-confessional, aberto a
todos, sem distinção de fé ou religião.
Com o objectivo de proporcionar
aos jovens da freguesia um escotismo
variado, baseado em muita vivência em

Para o Grupo 242 de Escoteiros de
Corroios foi início de mais um ano
escotista.
Durante a tarde, nas instalações
cedidas pelo C. C. D. de Pinhal do Vidal,
e na presença de dezenas de pais, o Grupo
242 iniciaria as actividades com o hastear
das bandeiras, ao som do Hino Nacional.
Um período para reencontros e
recordação dos momentos passados no
ano 2015/2016. Seriam ainda feitas as
passagens de Divisão e recepção aos novos
Publicidade

elementos que integram o Grupo.
O Conselho de Pais reuniu-se à noite,
numa escola local, juntando cerca de
uma centena de pais e dirigentes, num
debate franco, aberto e participativo para
um balanço da época transacta, com
críticas e sugestões, numa interacção
pouco comum e habitual noutras esferas
associativas.
José Pontes, dirigente máximo do
Grupo, informaria os presentes da
adjudicação recente, por cerca de 5.000

campo (e portanto bastante técnico),
com actividades ricas em conteúdo,
realizadas em terrenos variados, o grupo
seria constituído em 14 de Maio de 2011,
integrado na Associação de Escoteiros de
Portugal.
Recusando o escotismo como
forma de ocupar tempos livres,
aspiram a proporcionar actividades
engrandecedoras, repletas de desafios,
ricas em aprendizagem e crescimento em
grupo.
Hoje, o Grupo 242 de Corroios,
orgulha-se de ser o maior grupo nacional
da Associação de Escoteiros de Portugal,
e um dos mais dinâmicos.

José Lourenço

Saúde

CSS | 15 de Outubro de 2016

10

CONSTIPAÇÕES/ RESFRIADOS

NUTRIÇÃO

Atchim… Atchiiiim!! É a manifestação mais universal da infeção por um
dos vírus mais vulgares e contagiosos que existem: o rinovirus.
Adriana
Marçal
Nutricionista

DR

Qual a razão
pela qual engordamos
e como o podemos
contrariar
Atualmente vivemos numa sociedade
sem tempo, em que a oferta alimentar é
enorme, comida rápida e saborosa, reduzimos a nossa atividade física e o gasto
energético, passando mais tempo sentados, andamos menos devido ao facilitismo dos transportes entre outros fatores.
Outro Factor a ter em conta é a genética. Existindo predisposição para a obesidade o nosso estilo de vida é crucial.
Diariamente todos nós necessitamos
de energia para o nos mantermos vivos,
metabolismo basal, que é alterado conforme a idade, o sexo, a composição corporal e a atividade física.
Em termos bioquímicos a razão pela
qual nós engordamos vai depender da
quantidade de energia (expressa em calorias) que necessitamos e da quantidade
de energia que ingerimos ao longo do
dia. Ou seja, se ingerir uma quantidade
de energia (kcal) superior à quantidade
de necessitamos existe uma transformação dessa energia em gordura. Essa
transformação é feita pelo nosso fígado
e pelas células adiposas (células armazenadoras de gordura) e armazenada no
nosso corpo.
O contrário ocorre quando queremos
emagrecer. Para ocorrer redução de peso
é necessário existir um défice calórico,
com a redução de ingestão de calorias e
aumentar o gasto energético através da
prática de exercício físico.
Para diminuirmos o aumento de
peso existem vários aspetos a ter em
conta como:
- Ingerir menos calorias do que as que
necessitamos
- Aumentar a atividade física
- Reduzir o consumo de alimentos ricos
em gordura, sal e açúcares,
- Preferir alimentos o mais naturais possível como frutas e hortaliças
- Fazer 5 a 6 refeições diárias
- Consumir porções mais pequenas de
alimentos
- Evitar dietas restritas para não existir
o risco de compulsão alimentar
Mude o seu estilo de vida, para melhor controlo de peso e melhorar a sua
saúde. Consulte um nutricionista para
ajudá-lo.

DR

Jorge Neves

O rinovírus é um tipo de vírus com mais
de 100 diferentes variedades e que representa
a mais frequente causa de constipação,
também conhecida por resfriado. Ainda que
na maioria dos casos se trate de uma infeção
ligeira e autolimitada, é a doença mais comum
na nossa espécie, tendo custos elevados e uma
repercussão económica indireta enorme, que
se traduz no absentismo escolar infantil ou
juvenil, e laboral entre os adultos.
As constipações são infeções das vias aéreas
superiores, atingindo especialmente o nariz e
garganta que, contrariamente ao que se pensa,
podem ocorrer em qualquer altura do ano,
embora em maior número durante o outono e
o inverno, independentemente da localização
geográfica.
Sabe-se, contudo, que a temperatura
ambiente não influencia a frequência da
infeção nem a gravidade do quadro clínico e,
contrariamente à crença popular, a “corrente de
ar”, o tempo frio, chuvoso e húmido, ou a falta
de um agasalho, não afetam a nossa resistência
à infeção ao rinovírus. A maior frequência de
resfriados nestas estações deve-se antes ao facto

de os vírus que os causam estarem mais ativos
nessa altura.
Além disso, nas épocas frias as pessoas
concentram-se mais em casa, muitas vezes em
divisões mal arejadas, facilitando o contágio.
Igualmente, o ar seco, pelo uso dos sistemas
de aquecimento, ou a exposição a ar muito frio
no exterior conduzem a uma inflamação da
mucosa do nariz, facilitando o desenvolvimento
da infeção.
A constipação é uma das razões mais
comuns pela qual os doentes visitam o médico
– o número de casos de constipação em todo
o mundo ascende a 12 biliões por ano. Tratase de uma doença altamente contagiosa que
se transmite através das gotículas de saliva ou
expetoração libertadas pelo doente quando
tosse ou espirra. Outro grande veículo de
transmissão são as mãos contaminadas quando
o doente se assoa.
A constipação vulgar é uma infeção
benigna que desaparece espontaneamente, cuja
sintomatologia dura cerca de sete a dez dias –
embora possa persistir por três semanas –, e que
afeta mais as crianças (em média seis vezes/ano)

do que os adultos (em média quatro vezes/ano).
Os sintomas ocorrem dentro de 10 a 12 horas
após a infeção e têm início com uma dor ligeira
ou sensação de garganta arranhada, seguida
por secreções nasais aquosas e nariz entupido,
olhos lacrimejantes, espirros e tosse. O pico da
doença ocorre no segundo ou terceiro dia. As
secreções nasais pioram e podem tornar-se mais
espessas e com aspeto amarelado/esverdeado.
Esta descarga mucopurulenta é comum e
não indica necessariamente a presença de
bactérias, com a introdução de antibióticos no
tratamento.
Outros sintomas da constipação incluem
o mal estar, fadiga, dor de cabeça, rouquidão,
dores articulares, pressão no ouvido, febre
e dores musculares. Uma tosse seca pode
desenvolver-se e persistir até à segunda semana
de sintomas, às vezes mais tempo. A febre
(abaixo de 38,5°C) é comum em crianças, mas
rara nos adultos.
Não existe um tratamento específico para
a constipação nem está recomendada a toma
de antibiótico, uma vez que é uma doença
provocada por vírus e não por bactérias (às
quais se destinaria este medicamento). O
objetivo é, antes, aliviar os sintomas e prevenir
complicações, enquanto o sistema imunitário
do organismo combate a infeção.
Para além do repouso, evitar mudanças de
temperatura, ambientes frios ou correntes de ar,
existem uma série de “remédios” naturais a que
os doentes podem recorrer, sem sair de casa,
para ajudar a diminuir o desconforto à medida
que a doença segue o seu curso natural.

CALAFITO

A Serra da Adiça é justamente considerada uma das maravilhas naturais
do nosso País devido à característica paisagem e principalmente à biodiversidade da sua flora, a qual beneficia do clima mediterrânico e de singulares microclimas e ainda das condições geológicas da região.

Algumas
espécies
são
raras e em vias de extinção,
como, por exemplo, a Orchis
collina, orquídea que, em
todo o território português,
só aqui é encontrada. Na
visita que efectuámos, ficámos
deslumbrados com a profusão
de altíssimas canas-freixas
que competiam com o olival
e o montado de azinho. Em
determinada altura vimos um enorme
sobreiro, classificado como monumento
natural e, alastrando pelo solo, o calafito,
planta que há muito suscitou a minha
curiosidade e que desejava conhecer mais
de perto. Por isso, sem desprimor para
outras espécies igualmente interessantes
e que se encontram descritas na bem
elaborada obra “A Serra de Ficalho –
Flora e Vegetação” de Carlos Pinto
Gomes, optei por analisar o Hypericum
tomentosum L, designação científica do
popular nome de calafito.
Devo dizer que tomei contacto
pela primeira vez com a referida
planta quando fui acometido por
uma arreliadora hepatite. Trouxe-ma
(a planta, obviamente) o meu amigo
António Coelho dos campos da Póvoa
de São Miguel (concelho de Moura),
sua terra natal, com a recomendação de
que era eficaz para as maleitas figadais.

Miguel Boieiro

DR

Fosse por isso, ou por outros motivos,
valha a verdade que se diga que a hepatite
desapareceu em tempo recorde.
A Hypericum tomentosum L é
considerada por uns como pertencente
à família botânica das gutíferas e por
outros ao grupo das hipericáceas. Dá-se
em terrenos alcalinos das zonas quentes
e solos húmidos, ou temporariamente
encharcados, da região mediterrânica
ocidental, o que lhe confere algum
estatuto de raridade. Vegeta em altitudes
entre os 140 e os 880 metros. É uma
ervinha perene, lenhosa na base junto
ao solo, provida de pequenas folhas
peludas, aliás como os caules, ficando
com aspeto embranquecido. Talvez por
isso, os espanhóis a apelidam de “pericón
blanquillo” ou “periquillo lanudo”.
As florinhas são amarelas e possuem
pequenas glândulas negras, atributo
idêntico ao da conhecida milfurada,

Hypericum perforatum L.
Provei uma das folhas e concluí que o
sabor não é desagradável, pelo contrário,
apresentando-se, em simultâneo, doce e
levemente apimentado.
Não
existem
muitos
estudos
científicos sobre o calafito ao contrário
do que acontece com outras hipericáceas.
Encontrei apenas uma breve referência
em “Elementos da Flora Aromática” de
Aloísio Fernandes Costa, edição de 1975
da Junta de Investigações Científicas do
Ultramar, que aponta o reconhecimento
de diversos hidrocarbonetos gordos e
álcoois terpénicos.
Contudo, a medicina popular
alentejana e algarvia atribui alargadas
propriedades a esta planta endémica:
protetora do fígado, da vesícula e dos
rins, sedativa, tranquilizante, analgésica.
Para além das doenças relacionadas
com o fígado é também recomendada
para insónias, ansiedades, cefaleias,
hiperatividade e falta de concentração,
irritações da mucosa respiratória,
perturbações nervosas e, externamente,
para cicatrizante de feridas e chagas.
Usa-se correntemente o infuso de um
punhado da planta seca num litro de água
para beber ao longo do dia. Não foram
registadas quaisquer contraindicações ou
interações medicamentosas.

Gastronomia

CSS | 15 de Outubro de 2016

11

Receita:
Salada de frango com ricota
DR

DR

Ingredientes:
Valor calórico
109 Kcal por porção

Preparação:
• Cozinhe a couve-flor no
vapor e pique em pedaços
pequenos
• Cozinhe o peito de frango
e passe no processador
• Misture a couve-flor, o
tomate e a cebola
• Tempere com o limão e o
sal
• Adicione o peito de
frango, o creme de ricota
e a salsinha e misture

Publicidade




3 Chávenas (chá) de couve-flor cozida
e picada



200g de peito de frango desfiado



2 Chávenas (chá) de tomate picado



1 Chávenas (chá) de cebola



Creme de ricota



Salsinha picada a gosto



Sumo de 1 limão grande



Sal a gosto

SOCIEDADE

CSS | 15 de Outubro de 2016

12

REGRESSO
AO ESTÁDIO DO BRAVO

passado, tem de recuperar esse prestígio e ser
orgulho dos seus associados e adeptos.
De que forma isto é possível?

Não descorando todo o trabalho
Seixalenses têm um novo projecto para o Futebol que promete fazer
desenvolvido
no passado do Clube, a ideia
renascer o Clube.
consiste em devolver o Seixal aos seixalenses.
Num simples olhar ao “staff” do Clube,
Fundado em 1925, o Seixal Futebol Clube Futebol Clube e torná-lo desta forma, uma concluímos que todas as pessoas têm raízes no
chegou a ser um dos clubes mais ecléticos da das bandeiras do nosso concelho, no que diz Seixal.
Para Hugo Rodrigues, este projecto não se
região, destacando-se em várias modalidades, respeito ao futebol juvenil.
desde o futebol ao ciclismo, do basquetebol ao
Este novo projecto, também tem como pode apenas considerar de competição mas sim,
hóquei em patins.
objectivo o regresso do futebol sénior que fundamentalmente, de formação de atletas e de
Depois de duas passagens pela 1ª divisão pode funcionar perfeitamente como um treinadores, com um foco especial nos jovens
nacional de futebol nos anos sessenta e algumas complemento ao crescimento e formação de com cursos tirados recentemente e formados no
épocas na 2ª divisão, dá-se a queda em 2003 novos atletas, sendo fulcral para o clube, pois clube como jogadores. Formação de directores,
da equipa sénior em futebol à 3ª divisão e em servirá como uma alavanca para dar seguimento com base nos mais antigos que por sua vez vão
passar a cultura e a essência do Seixal antigo aos
seguida para o Campeonato Distrital de Setúbal ao Futebol de Formação.
onde consegue um 4º lugar na época 2006O Seixal Futebol Clube foi durante décadas novos directores recém-chegados ao futebol,
2007, mas a Direcção decide terminar com a uma referência na Cidade e, por sua vez, o mas, com muita vontade de realçar a alma
equipa por motivos financeiros, sendo que, na Seixal Clube 1925, herdeiro desse glorioso Seixalense, sem esquecer que para além de tudo
época seguinte, já não houve equipa do Seixal
Futebol Clube em futebol sénior.
Tendo passado por grandes dificuldades, não
só financeiras como também ligadas à falta de
instalações, o Clube tem recorrido ultimamente
ao campo nº 6 do Centro de Estágios do
Benfica e tudo indica que as coisas estão neste
momento no bom caminho para que esta
situação temporária seja ultrapassada.
Os seus dirigentes estão a trabalhar
arduamente para a revitalização do Clube e
no desenvolvimento de um projecto a que está
ligado o antigo Estádio do Bravo, na sequência
de profundas remodelações.
Segundo Hugo Rodrigues, vice-presidente
do Clube e também Coordenador do Futebol,
o projecto desportivo do Seixal Clube 1925
tem como base voltar a relançar o antigo Seixal

LIBERDADE!

“O amor da liberdade é uma das mais
perigosas paixões do coração humano.”

Esta frase foi proferida há anos por
um grande político da nossa praça e
confesso que nunca consegui atingir
esta reflexão, mas, mesmo assim, vou
fazer sobre ela alguns comentários.
Perigosa porquê? O conceito, quanto
a mim é muito selectivo e depende do
prisma pelo qual é analisado. Todas
as actividades humanas podem ser
perigosas. Mas só e quando, reúnem
determinadas condições. Funções
essenciais, como, por exemplo, comer e
beber, podem matar em determinadas
condições, como aliás todos sabemos
perfeitamente. E não é por isso que as
podemos rotular de perigosas. São, pelo
contrário, vitais. Se a liberdade fosse
de, per si, perigosa, como poderia ser
quem dela está privado, infeliz? Como
se justificaria que, todo o ser humano,
quando dela está cerceado, lute com
todas a armas e manhas de que dispõe
para a alcançar de novo? É que, e para
encurtar razões, ninguém é feliz sem
ela. E a sua falta é uma penalização tão

grande que, para os criminosos, ainda
não se encontrou melhor forma de
castigo e de reabilitação.
Perante certos crimes parece-nos, no
auge da nossa raiva, que a mais acertada
seria a pena de morte. Mas será que
estamos certos? Será maior castigo o
fuzilamento, a cadeira eléctrica, a forca
ou a prisão perpétua quando se está na
casa dos vinte anos? Deixemos ao diabo
a escolha, dirá a maior parte, totalmente
incapaz de emitir a sua opinião. Agora
quando alguém, em política, pretende
impor na mente de uma criança que a
liberdade é um perigo, ninguém duvida
que esse alguém é um autêntico tirano.
E só nesta vertente se pode entender
a intenção, que nunca o conceito. Este
é tão grosseiro, que não hesitamos em
o apontar como erro de igual monta.
É daqueles que põem a nu, não só a
honestidade, mas também a inteligência
dos outros.
Não pode haver liberdade para um
homem que, duma forma bárbara,

FICÁMOS
MAIS POBRES!....

com quem dava gosto conversar. Parecia que a
vida para ela era uma brincadeira, não devendo
ser levada muito a sério porque ela em qualquer
momento podia acabar, como veio a acontecer.
Ultimamente até dizia que agora era um dia de
cada vez…
Ficámos mais pobres com a sua morte, mas
resta-lhe a consolação de ser lembrada por
todos que consigo conviveram, durante os 65
anos que esteve entre nós.
Era uma apaixonada pela poesia que fazia
com grande paixão e ternura, em especial
quando se tratava de poesia dedicada ao
Alentejo, de onde era natural.
Tenho na minha posse 51 quadras, todas
dedicadas ao Alentejo, que ela me ofertou e que
guardo religiosamente.

É com um nó
na garganta e um
aperto no coração que
começo a escrever este
texto. Acabámos (eu e
o Agostinho Cunha)
de perder uma amiga
(a Glória) que fazia
parte da equipa de
colaboradores do Jornal Comércio do Seixal e
Sesimbra.
A Glória Ambrósio era uma optimista por
natureza, até já quando a saúde lhe faltava,
ela tinha sempre um sorriso aberto e cativante

arrepiante, assassina uma senhora
advogada que se limitou a proceder á
defesa duma mulher que, por acaso, era
a esposa do assassino. E a vítima deste
monstro estava indefesa, trabalhando
no seu escritório, cumprindo a sua
missão para com a justiça e a sociedade.
Não pode haver liberdade para um
jovem de 17 anos que, selvaticamente,
assassinou um outro de 14 anos de
idade para, segundo parece, lhe roubar
a roupa de marca que a vítima usava.
Não pode haver liberdade para este e
muitos outros casos que, no quotidiano,
vão surgindo nas páginas dos jornais, na
rádio e na televisão, casos que assustam,
mas assustam de verdade, muita e muita
gente.
E essa gente pergunta onde é que
isto irá parar?... E a pena de morte foi
recentemente aplicada a um jovem de
23 anos que, na América, foi autor dum
atentado que matou e feriu inúmeras
pessoas. E, curiosamente, todas as
pessoas com quem tenho falado acerca

isto está a parte social e o convívio.
O clube foca-se diariamente em trabalhar
a sua imagem desfavorável até então, devido à
crítica de algumas pessoas pelo facto de o clube
nunca mais sair do Campo Albano Narciso
Pereira e do Centro de Estágios do Benfica.
Existem muitas pessoas desanimadas e
saturadas, mas, segundo Hugo Rodrigues, há
que saber esperar, mas uma coisa é certa, ter um
espaço físico é determinante.
Uma nova dinâmica e ambição chegaram
ao Clube. Não se pretende ser melhor que
os outros, pretende-se sim, ser o Seixal e, ser
o Seixal, é praticar desporto com muito “fair
play” e com vitórias.
Jogadores entre os 4 e os 18 anos que fazem
parte do plantel das equipas juniores, que na
próxima época se tudo correr bem serão duas
equipas de juvenis, uma de iniciados e outras
serão equipas de futebol de sete.
Toda esta nova dinâmica e vontade de
crescer estão interligadas com o facto de se
querer regressar ao Estádio do Bravo. Segundo
Hugo Rodrigues, “este projecto só faz sentido
arrancar, com novas instalações”.
O Clube continua a marcar presença no
Campo nº 6 do Benfica, mas com o avançar
deste projecto, não faria sentido se o Clube não
tivesse uma casa própria. A Direcção do Clube
e a Câmara Municipal do Seixal decidirão para
quando será o regresso definitivo do Clube ao
agora denominado Estádio Municipal, depois
de ultrapassadas algumas barreiras burocráticas.
Existe uma grande vontade de ambas as
partes para que este projecto comece a ganhar
forma. A vontade não parte só de quem está
por dentro do projecto, também se conta com
o apoio dos pais dos atletas, dos sócios do clube,
da Junta de Freguesia, da Câmara Municipal e
dos patrocinadores.

deste caso, não lhes notei qualquer
expressão de repulsa pela aplicação
desta pena, prova irrefutável de que as
pessoas estão fartas de tanta violência,
de tantos e tantos horrorosos crimes.
Quem pode duvidar que o desejo de
liberdade é imperioso, forte, tenaz
e obsessivo. Prova evidente desta
afirmação, além de muitas outras que
poderia apontar, foi a incapacidade
em exterminar radicalmente, os judeus
durante a Segunda Grande Guerra
Mundial. Poucos se salvaram é certo, a
avaliar pelo elevado número de mortes
horríveis, mas conseguiram salvar-se
para contar tais horrores.
Mas, para finalizar, não posso deixar
de expor a minha modesta opinião
sobre esta palavra LIBERDADE. Ela
é um bem sem preço, que os homens
procuram reaver quando a não têm,
mesmo com risco da própria vida.

José Mantas

De entre estas 51 quadras, escolhi duas para fazer poesia. Tenho gravado na minha
que testam bem quanto amor ela tinha ao seu memória as vezes que ela se deslocava do
Alentejo:
salão de cabeleireiro, onde trabalhava, até
á Associação de Reformados, da Torre da
Nasce o sol no Alentejo
Marinha, à procura de mim e do Cunha para
Ouvem-se na eira os pardais
nos mostrar mais quadras que entretanto tinha
O rouxinol no silvado
feito. Ela irradiava felicidade. Fazia-me lembrar
O cuco nos olivais
aquela criança que dá os primeiros passos e
chega onde idealizou chegar, ficando toda
Meu coração está feliz
contente pelo feito que acabava de realizar.
Não o consigo transcrever
Como alguém disse um dia: “ A vida é uma
Como é lindo o Alentejo
viagem e o mais importante dessa viagem são
Como é bom cá viver
as pessoas que conhecemos pelo caminho”.
Glória, um dia algures no Além, voltaremos
O caderno de linhas e a esferográfica a encontrar-nos para darmos seguimento á
estavam sempre à mão para aproveitar todos nossa paixão pela poesia e pela prosa.
os momentos de inspiração que lhe surgiam
Um até sempre do amigo José Mantas.

Agenda

CSS | 15 de Outubro de 2016

13

DR

DR

Percursos pedestres,
curso de produção e utilização de plantas aromáticas, formação em arranjos florais e lançamento do
livro “Da Arrábida ao Tejo”
são algumas das atividades que se vão realizar de
outubro a dezembro no
Parque Ecológico da Várzea da Quinta do Conde.
Localizado junto à Ribeira de Coina, em reserva ecológica, o Parque
Ecológico da Várzea da
Quinta do Conde tem uma
área de cerca de 112 mil
metros quadrados, onde
se incluem as Hortas Solidárias da Quinta do Conde. Este local de grande
valor natural tem ainda
acolhido inúmeras ações
por parte do projeto Anime, de que é exemplo o
1.º Festival da Terra, Artes
e Biodiversidade, realizado entre 30 de maio e 5
de junho deste ano.

«João
e o Pé de Feijão»

BASQUETEBOL
DO SEIXAL
Este fim de semana,
para além de vários jogos
das equipas de formação
do
Basquetebol
do
Seixal, respeitantes aos
respectivos campeonatos
distritais, a equipa de
seniores femininos inicia
a sua participação no
Campeonato Nacional da
2ª Divisão e hoje à tarde
realiza-se no pavilhão do
Clube a concentração
de Mini-Basket integrada
na XXXIII edição da
Seixalíada.

«João e o Pé de Feijão»
é o nome da peça infantil que está em cena este
domingo, dia 16, às 16
horas, no Auditório Municipal do Fórum Cultural do
Seixal.
DR

Das várias actividades
programadas, é já amanhã, domingo dia 16, a
partir das 9 horas, em Alfarim, no Largo Movimento
das Forças Armadas, que
haverá a oferta de pãezinhos, seguindo-se um
passeio aos Moinhos de
Sesimbra e à Moagem de
Sampaio.

Decorreram até hoje, dia 15
de Outubro, as Jornadas Arqueológicas da Região de Setúbal
que têm lugar nos municípios
do Barreiro e do Seixal, com um
vasto programa dirigido à comunidade educativa, composto
pela realização de conferências
e visitas ao património relevante da região, que inclui, Almaraz
(período orientalizante), Hipogeus
da Quinta do Anjo, Castro de Chibanes (Palmela), Olaria Romana
da Quinta do Rouxinol (Seixal),
Estabelecimento romano de
preparados piscícolas do Creiro
(Arrábida), Castelo de Palmela e
Ruinas Romanas de Troia.
As jornadas pretendem mobilizar o património arqueológico, enquanto instrumento pedagógico, bem como salientar
as potencialidades dos museus
na promoção de uma formação
abrangente e inclusiva com base
na experimentação, em contacto
directo com o território, o património e a identidade regional.
Estas Jornadas resultam de
uma organização do Museu de
Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, Associação de
Municípios da Região de Setúbal
e Forúm Intermuseus do Distrito de Setúbal, com a colaboração das Câmaras Municipais de
Almada, Barreiro, Seixal, Palmela
e Vila Franca de Xira, Tróia Resort
e Centro de Formação Ordem de
Santiago.

O espectáculo, inspirado na obra escrita pelo
inglês Benjamin Tabart,
apresenta a mudança e
o crescimento de João.
A experiência e aprendizagem são factores de
transformação que se
relembram através deste
rapaz.

DR

A Câmara Municipal de
Sesimbra está a promover
de 12 de Outubro a 1 de
Novembro o Dia Mundial
da Alimentação e do Pão,
que inclui o lançamento
da marca “Pão Caseiro de
Sesimbra Cozido em Forno de Lenha” uma iniciativa que pretende promover
os produtores locais.

Publicidade

Parque Ecológico
da Várzea

jornadas
arqueológicas

DIA MUNDIAL
DA ALIMENTAÇÃO
E DO PÃO

lazer

CSS | 15 de Outubro de 2016

12
14
14

DESCUBRA AS 9 DIFERENÇAS
O NOSSO SEIXAL...

cinema

"INFERNO"

ORIGINAL

14 a 20 de Outubro

Carneiro

21-03 a 20-04

Amor: Os ciúmes não o levam a lado algum, tenha confiança na pessoa que tem a seu lado.
Saúde: Cuidado com a diabetes, não coma muitos doces.
Dinheiro: Momento propício para fazer um investimento mais sério.
Números da Semana: 15, 20, 24, 36, 45, 49

dr

Touro

Inferno é um filme americano do gênero de suspense dirigido por Ron Howard e
escrito por David Koepp, baseado no romance de mesmo nome por Dan Brown.
O filme é a sequência de Anjos e Demônios, e é estrelado por Tom Hanks, reprisando seu papel como Robert Langdon,
junto de Felicity Jones, Omar Sy, Sidse Babett Knudsen, Ben Foster e Irrfan Khan.
Robert Langdon acorda num quarto
de hospital em Florença, sem memória
do que aconteceu nos últimos dias. Ele se
acha novamente na mira de uma grande
caçada. Mas com a ajuda da Dr. Sienna
Brooks e do seu conhecimento em simbologia, Langdon ira tentar reganhar sua
liberdade e memórias perdidas, enquanto
resolve o enigma mais intrigante que ele
já presenciou

ALTERADO

Sudoku

Amor: Poderá reconciliar-se com uma pessoa
com quem já não fala há alguns anos.
Saúde: Sistema nervoso alterado. Pense positivo
Dinheiro: Tudo correrá dentro da normalidade, se
souber argumentar.
Números da Semana: 1, 4, 13, 24, 28, 29

Gémeos

“ATÉ PENSEI QUE
FOSSE MINHA”
SOLUÇÃO

Caranguejo

21-06 a 23-07

Amor: Os defeitos também fazem parte da nossa
personalidade, não espere encontrar alguém perfeito.
Saúde: Poderá sofrer algumas dores de cabeça.
Dinheiro: Nada o preocupará.
Números da Semana: 10, 20, 24, 27, 29, 36

Leão

24-07 a 23-08

Amor: Não sinta saudades daquilo que não viveu.
Pense nos momentos lindos que teve na sua infância.
Saúde: Poderá sofrer de uma quebra de tensão,
tenha cuidado!
Dinheiro: A impulsividade poderá causar alguns estragos
na sua conta bancária.
Números da Semana: 5, 15, 26, 29, 38, 39
24-08 a 23-09

Amor: As brincadeiras serão uma constante na
sua relação afetiva.
Saúde: Não deixe que a irresponsabilidade afete a sua
saúde, e procure com maior regularidade o médico.
Dinheiro: Cuidado com os gastos inesperados.
Números da Semana: 18, 19, 17, 12, 26, 38

Balança

24-09 a 23-10

Amor: Deixe de lado o orgulho e dê o braço a torcer.
Saúde: Possíveis dores musculares, sem motivo aparente.
Dinheiro: Se gastar em demasia, poderá não
ter dinheiro para pagar as contas que tem certas.
Números da Semana: 4, 9, 15, 19, 36, 48

Escorpião

24-10 a 22-11

Amor: Aproveite os momentos com a família pois dar-lhe-ão
um grande bem-estar emocional.
Saúde: Faça um retiro que lhe proporcione bemestar físico e emocional.
Dinheiro: Tenha presente a situação de crise em que se vive.
Números da Semana: 25, 31, 32, 39, 42, 43

Sagitário

dr

SOPA DE LETRAS - PAÍSES

21-04 a 21-05

Amor: Não deixe que a rotina perturbe a sua relação afetiva.
Saúde: Cuidado com o consumo excessivo de doces.
Dinheiro: Não gaste mais do que aquilo que realmente pode.
Números da Semana: 5, 9, 17, 20, 39, 49

Virgem

música

21-04 a 21-05

O novo álbum de António Zambujo;
“Até pensei que fosse minha”, é composto apenas por canções de Chico Buarque.
“Deste álbum fazem parte algumas das
canções mais emblemáticas referentes ao
percurso de Chico Buarque, como ‘Cálice’, ‘Valsinha’, ‘João e Maria’, ‘Tanto Mar’
ou ‘Geni e o Zepelim’”. Chico Buarque,
de 72 anos, gravou com António Zambujo uma versão da canção “Joana Francesa”, mas esta, não foi a única participação
no álbum. A cantora brasileira Roberta Sá
participa no tema “Sem fantasia”. A fadista Carminho gravou com Zambujo “O
meu amor”.

23-11 a 21-12

Amor: Dê mais atenção aos seus familiares mais próximos. Reúna a sua família com o propósito de falarem
sobre os problemas que vos preocupam.
Saúde: Tudo correrá dentro dos parâmetros normais.
Dinheiro: Nada de preocupante acontecerá.
Números da Semana: 5, 6, 18, 22, 31, 34

Capricórnio

22-12 a 20-01

Amor: Não esconda os sentimentos, partilhe as
suas dúvidas e receios com a pessoa amada.
Saúde: Não deixe que o stress e a tensão o conduzam
a desequilíbrios.
Dinheiro: Não aposte em investimentos de risco.
Números da Semana: 8, 19, 22, 26, 31, 39

Aquário

21-01 a 19-02

Amor: O amor espera por si. Saiba estar à sua altura.
Saúde: Tendência para dores de barriga.
Dinheiro: Efetuará bons negócios.
Números da Semana: 7, 22, 23, 28, 33, 39

Peixes

20-02 a 20-03

Amor: O amor e o carinho reinarão na sua
relação afetiva.
Saúde: A rotina poderá levá-lo a estados depressivos.
Dinheiro: Sem problemas neste campo da sua vida.
Números da Semana: 8, 9, 20, 24, 26, 33

Desporto

CSS | 15 de Outubro de 2016

11
15

Andebol
no Alto do Moinho:
Um início de época prometedor

No passado fim-de-semana (8 e 9 de Outubro), o andebol do Alto do Moinho esteve
envolvido em várias frentes: os Seniores fizeram o seu primeiro jogo oficial esta
época, defrontando no seu pavilhão, o Vela de Tavira para a Taça de Portugal.
O jogo decorreu de forma muito
equilibrada com um ligeiro ascendente
do Alto do Moinho que comandou quase
sempre o marcador, embora com reduzidas
vantagens. O resultado de 25-23 para os
locais que se verificou no final, reflectia isso
mesmo. De destacar os ataques demolidores
de Alexandre Pereira, atleta do Alto do
Moinho, que marcou 7 golos e foi o melhor
marcador da sua equipa.
Na terceira jornada do Campeonato
Nacional da 1ª Divisão, os Juniores tiveram
o Sporting como adversário: de notar a
disparidade dos meios disponíveis das duas
equipas. Neste jogo, pelo Sporting alinharam
vários jogadores que foram formados no Alto
do Moinho e que não resistiram à tentação,
tantas vezes enganosa, de se integrarem nos
chamados clubes grandes.
O jogo começou com alguma ascendência
do Sporting que os jogadores do Alto
do Moinho foram contrariando, nunca
deixando de acreditar que a vitória seria
possível. Aos 15 minutos da 2ª parte, a
diferença no resultado era de 3 golos o que
deixava tudo em aberto: com um ambiente
de forte emotividade, nos minutos finais terá
faltado aos jogadores do Alto do Moinho
alguma calma, o que resultou em falhas de
concretização que normalmente não têm. O
resultado final acabou por ser favorável ao
Sporting por 21-26. Os melhores marcadores
Publicidade

foram Nuno Nunes pelo Alto do Moinho
com 8 golos e Bruno Gaspar do Sporting
com 9.
Os Juvenis, a contar também para o
Campeonato Nacional da 1ª Divisão,
jogaram no sábado com o Vitória de
Setúbal: o jogo teve apenas um sentido e o
Alto do Moinho venceu com uma margem
muito confortável (29-20). Individualmente
destacou-se o Gonçalo Nogueira, jogador
da Selecção Nacional do seu escalão, que
marcou 7 golos.
Este escalão está a fazer um campeonato
magnífico, contando por vitórias os três
jogos já disputados. Assume-se hoje como
uma das equipas mais fortes desta zona e um
candidato a passar à fase seguinte.
As duas equipas de Iniciados da casa
defrontaram-se, num jogo a contar para o
Campeonato Nacional de Iniciados – 1ª fase:
uma delas é formada por jogadores do escalão
de Infantis que assim têm oportunidade de ao
longo da época, defrontar equipas de maior
valia e melhorar a sua evolução individual e
colectiva. A vitória sorriu naturalmente aos
mais velhos por 25-10.
No próximo sábado, 15 de Outubro,
os Seniores deslocam-se ao Vela de Tavira,
numa repetição do jogo mas desta feita a
contar para o Campeonato Nacional da
2ª Divisão e os Juvenis recebem o Ginásio
Clube do Sul.

O Corfebol do CCRAM
está de parabéns
No passado dia 27 de Setembro, na Quinta de Devisme em Benfica,
a Federação Portuguesa de Corfebol procedeu à entrega de prémios
relativos à época passada.

O evento contou com a participação
de numerosas individualidades ligadas
ao desporto nacional e municipal,
designadamente o senhor Secretário de
Estado da Juventude e Desporto.
Entre muitos outros municípios, também
o Município do Seixal se fez representar
com uma comitiva de três individualidades
lideradas pelo senhor vereador do desporto:
José Carlos Gomes.
Essa festa foi o culminar de um processo
de nomeações e de atribuições dos prémios

por votação secreta de um vasto conjunto
de individualidades do Corfebol nacional,
tais como treinadores, dirigentes e outras
individualidades de reconhecido prestígio.
Foi assim um processo completamente
transparente e democrático: os eleitos
corresponderam ao sentir da comunidade do
Corfebol nacional.
Para o Corfebol do Alto do Moinho,
a fasquia tinha sido colocada bem alto:
foram nomeados cinco atletas do CCRAM
e quatro foram presenteados com os
prémios de jogadores revelação. Foram eles
o Almerindo Fortes e Catarina Frade da 2ª
Divisão e Olavo Pereira e Catarina Sousa da
3ª Divisão.
Esta modalidade que se pratica no CCR
Alto do Moinho desde há três anos tem vindo
a ganhar cada vez mais um maior destaque
na colectividade e no município, trazendo
uma força maior e um maior prestigio para
a terra. Estes atletas, os seus treinadores e
todos os envolvidos estão de parabéns!

Publicidade
16
16

CSS | 15 de Outubro de 2016


Documentos relacionados


Documento PDF comercio 338
Documento PDF comercio 320
Documento PDF comercio 321
Documento PDF comercio 350
Documento PDF comercio 348
Documento PDF comercio 347


Palabras claves relacionadas